rdb_CabaretVicente_header

“CABARET VICENTE” de José Eduardo Rocha

Uma divertida ópera sobre São Vicente

“É preciso desconstruir os mitos. O Projecto Travessa da Ermida, com a EGEAC e o programa LISBOA NA RUA, anda há três anos a dar nova vida a um mito fundador da identidade de Lisboa. Oitocentos e quarenta anos depois de um episódio fabuloso da invenção de Lisboa, VICENTE reivindica, na informalidade do nome próprio, uma participação de todos na(s) história(s) que a arte tem para contar.

O rol de actividades tem passado por intervenções urbanas em Belém, pela edição, pelo debate e por passeios. Reinventámos as relíquias e os corvos através da escultura, redescobrimos novos sentidos para velhas palavras e atirámo-las para a rua, realizámos livros e colocámo-los à disposição do público. Ao VI-CEN-TE – já logomarca – faltava apenas o teatro musical.

Foi assim que fizemos o convite ao José Eduardo Rocha para realizar esta ópera. Também no palco principal do São Luiz Teatro Municipal (um agradecimento especial ao director José Luís Ferreira e equipa), o sortilégio é a actualização artística da mitologia em muitíssimos planos da sua complexidade. Este é a proposta de um espaço raríssimo em Portugal – o da comédia contemporânea, aquela em que o filósofo Alain Badiou reconhece “a virtuosidade social e intelectual das classes baixas”. Mas, como pudemos ler numa obra realizada em 2012: “Melhor Iluminar do que apenas brilhar, para entregar aos outros as verdades contempladas em vez de simplesmente as contemplar”. Vira Vicente!”

Mário Caeiro / Projecto Travessa da Ermida

 

Vicente é o nome que se dava aos corvos que habitavam o quotidiano lisboeta, à entrada das tabernas e barbearias, nas torres da Sé. Vicente é o santo padroeiro de Lisboa, supliciado em Valência, cujo corpo chegou ao Tejo acompanhado desde Sagres por dois corvos marinhos que nunca deixaram de sobrevoar a sua barca. Cabaret Vicente é uma espécie de ópera de câmara, a primeira obra de teatro musical sobre a enigmática figura de São Vicente. Em cena, um ensemble de cantores, actores e músicos que dão corpo e alma a um ‘santo cabaret’, feito de histórias da história, hagiografia e taumaturgia, dramaturgia e ironia e, não esqueçamos, de música, sagrada e profana.
6 A 9 FEV
QUINTA A SÁBADO ÀS 21H; DOMINGO ÀS 17H30
SÃO LUIZ TEATRO MUNICIPAL, SALA PRINCIPAL
M/12
€12 a €15 (com descontos: €5 a 10,50)

Ganha convites duplos aqui.

 

Música, Dramaturgia, Encenação e Direcção Musical: José Eduardo Rocha
Libreto: Pedro Vieira de Moura e José Eduardo Rocha, com a colaboração de Nelson Guerreiro e Mário Caeiro
Letras: Pedro Vieira de Moura e José Eduardo Rocha
Dispositivo Cénico: André Banha
Figurinos: José Eduardo Rocha
Execução do guarda-roupa: Isabel Rodrigues
Desenho de Luz: Daniel Worm d’Assumpção
Assistentes de cena: Daniel Coimbra, Paula Custódio
Produção executiva: Sofia Ventura
Curador Projecto Vicente Mário Caeiro

Elenco

Cantores: Catarina Molder (soprano), Ana Urbano (mezzo), Marco Alves dos Santos (tenor) e Pedro Morgado (barítono)
Actores: Isabel Galvão, João Abel, João Pedro Santos, Nuno Crespo, Rosa Abreu, Daniel Coimbra, Ana Dionísio, José Mendes
Músicos: (Ensemble JER): Ricardo Torres (clarinete), Ricardo Alves (trompa), Nuno Morão (percussão), Vasco Lourenço (piano), Marcos Lázaro (violino) e Duncan Fox (contrabaixo)

Produção: JER Produções (Nuno Morão e José Eduardo Rocha)
Co-produção: JER Produções, São Luiz Teatro Municipal e Projecto Travessa da Ermida/Vicente
Apoio: Mascarilha
Apoio à divulgação: RTP, Antena 1, Antena 2, SAPO, ESAD.CR/IPL – Escola Superior de Artes e Design Caldas da Rainha do Instituto Politécnico de Leiria, Viral Agenda, RDB, FERTAGUS e Turismo de Lisboa.



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This