f4f_day3_02

Football for Friendship | Dia 3

Um feito para recordar.

O terceiro dia do programa Football for Friendship levou-nos a visitar o Polideportivo Dehesa de Navalcarbón, local selecionado para acolher as eliminatórias do torneio de futebol do F4F. Nesta edição de 2019 os nomes atribuídos às diferentes equipas em competição remetiam para animais, uma forma da organização apelar à protecção de certas espécies cuja sobrevivência parece perigar. Oriental Stork, Amsterdam Albatross, Snow Leopard, Chinchilla, Red Panda, European Mink, Tasmanian Devil, Asian Elephant, Fossa, Philippine Crocodile, Sunda Pangolin, Tatu-Canastra foram algumas das designações que evoluíram no relvado sintético do Polideportivo Dehesa de Navalcarbón sob olhar atento de uma multidão que preenchia generosamente as bancadas, com especial destaque para os jovens jornalistas que foram cobrindo todas as incidências desta competição.

Com o relvado dividido em quatro campos de futebol de cinco era possível ir seguindo várias eliminatórias simultaneamente, podendo claramente testemunhar-se alguns dos valores emanados pelo Football for Friendship, principalmente através do fair-play e da união que as equipas de cariz multinacional revelavam. Contas feitas, após umas meia-finas super disputadas, ficaram apuradas para a final a realizar no dia seguinte em plena Plaza Mayor de Madrid as equipas Antiguan Racer e Tasmanian Devil.

Todavia, não era apenas o torneio de futebol que marcava o calendário deste terceiro dia de actividade do F4F. Como a superação é igualmente um dos temas sempre presentes, e para qual muito podem contribuir os nove valores emblemáticos desta iniciativa (amizade, igualdade, justiça, saúde, paz, devoção, vitória, tradição e honra), o Football for Friendship colocou a si mesmo o desafio de lograr um recorde do Guinness, de forma a vincar ainda mais o papel importante que actualmente pratica. O objectivo era alcançar o treino de futebol envolvendo o maior número de nacionalidades, havendo obviamente que respeitar as restritas regras do próprio Guinness, que nesta ocasião teve como representante Anna Louise Orford. Ditava a júri que o treino tivesse uma duração mínima de uma hora, sendo que nenhum dos participantes pudesse abandonar o relvado para que a tentativa de recorde tivesse êxito. O treino foi orientado por Miquel Puig, director da Soccer Barcelona Youth Academy, e por Josep Gambau, que actualmente treina a equipa indiana dos Delhi Dynamos, coadjuvados eficientemente por um grupo de treinadores portugueses, que se responsabilizaram por garantir que os diversos grupos criados seguiam as orientações transmitidas pelos treinadores principais.

Após um curto, mas vistoso, espectáculo de dança por um colectivo russo, a responsável do Guinness ratificava a tentativa de recorde do Football for Friendship, cujo nome faz agora parte da gloriosa lista de recordistas. A celebração foi feita em pleno relvado com o CEO da direcção da Gazprom, principal patrocinadora desta iniciativa, Viktor Zubkov a erguer o respectivo título, rodeado dos participantes no treino que juntos personificaram 57 nacionalidades diferentes.

Foi indubitavelmente uma forma preciosa de entrar para os anais da história, promovendo ao mesmo tempo a diversidade de nacionalidades, géneros e capacidades físicas a que o F4F tanto se dedica.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This