rdb_hjmkoons_header

31/2

Jeff Koon e José Ribeiro. Uma dupla improvável no Hospital Júlio de Matos

O Centro Hospital Psiquiátrico de Lisboa (Hospital Júlio de Matos) inaugurou a sua segunda exposição no pavilhão 31, o pavilhão para as Artes Plásticas da Instituição. A exposição é organizada pela P28, dirigida por Sandro Resende, que dá aulas de artes plásticas a doentes deste hospital há mais de uma década.

Intitulada 31/2, a exposição conta conta uma dupla bastante improvável: Jeff Koons, artista/escultor conceptual, e José Ribeiro, um utente (e artista) daquele serviço psiquiátrico. Esta troca de conhecimentos entre artistas e utentes dos serviços prestados pelo Hospital Júlio de Matos não é nova, iniciou-se há cerca de dez anos com uma primeira exposição, no pavilhão 28, daquele hospital.

Numa pequena sala temos uma ambulância situada no meio do espaço. A obra de José Ribeiro, carregada de retratos e expressões do quotidiano, transforma uma simples ambulância num objecto com uma forte dimensão artística – uma transformação que faz da carrinha quase uma própria galeria ambulante. Basta-nos circundar pela ambulância e ver todas as pequenas figuras que o artista desenhou, faixas onde se pode ler uma história através de linhas e traços que formam a arte de José Ribeiro. Na parede para onde o nosso olhar é guiado, temos três grandes obras de Koons, numa semelhança de traço extremamente interessante, num paralelismo entre a arte do artista norte-americano e do artista português.

 

Esta iniciativa, como foi divulgado no comunicado, “sensibilizou” Jeff Koons, que “depois de ver os desenhos do doente José Ribeiro, colocou à disposição várias obras suas para serem expostas no Pavilhão 31, das quais foram escolhidas quatro auto-retratos avaliados em mais de 160 mil euros”. Esta é a segunda exposição no primeiro ano de nascimento deste espaço, e após intervenções dos artistas Eduardo Souto Moura, Miguel Palma, Artur Moreira e Duarte Oliveira em Março de 2012, surgiu agora o convite a Jeff Koons para intervir com o artista/doente José Ribeiro. O que mais se pode esperar deste pavilhão, só o futuro o dirá, mas exposições certamente tão interessantes como esta vão ter presença marcada.

Patente até 30 de Dezembro. Das 10:00 às 16:00. Entrada gratuíta.



There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This