“O Endurance – Encurralados no Gelo” de Caroline Alexander

“O Endurance – Encurralados no Gelo” de Caroline Alexander

Ode à sobrevivência

Com trabalhos publicados em revistas de referência como The New Yorker, Granta, Condé Nast Traveler, Smithsonian, Outside e National Geographic, a norte-americana Caroline Alexander conta também no seu currículo com obras como “One Dry Season”, “The Way to Xanadu, Battle’s End”, “Mrs. Chippy’s Last Expedition” e foi curadora da exposição “Endurance: A Lendária Expedição de Shackleton”, que percorreu os Estados Unidos da América.

É esse último trabalho que inspirou Alexander a fazer nascer “O Endurance – Encurralados no Gelo” (Planeta, 2014), uma amálgama entre relato de viagem e um álbum com maravilhosas fotografias de Frank Hurley, fotógrafo australiano que registou a aventura do famoso explorador Ernest Shackleton que acompanhado por uma tripulação de 27 homens, rumou em direção ao Atlântico Sul em busca do último prémio ainda não reclamado da história da exploração polar: a primeira travessia a pé do continente antártico.

Esta viagem desafiante foi feita a bordo do navio “Endurance” e teve início em 1914. A cerca de 80 milhas do destino, o navio foi vítima da superfície gelada e ficou encurralado. Ainda resistiu algum tempo, servindo de porto de abrigo para a tripulação, mas a natureza brutal do local obrigou os homens a improvisar um acampamento no gelo.

Foi nesse contexto que Hurley conseguiu impressionantes imagens que ilustram a narrativa emocionante descrita de Caroline Alexander em forma de “diário de bordo”. O fato das imagens – sejam elas de momentos quotidianos da tripulação, da paisagem, dos fiéis amigos de quatro patas da tripulação, de retratos, do resistente e teimoso “Caird” ou de singulares torneios de cortes de cabelo – terem conseguido resistir à passagem dos anos, deu origem um dos mais impressionantes relatos em forma de livro sobre a resistência do ser humano face a condições adversas.

Entre as muitas dificuldades, Shackleton e alguns dos seus camaradas foram, por exemplo, obrigados a recorrer a um bote salva-vidas e empreender uma alucinante viagem marítima acabando por avistar a Ilha Elefante, destino que permitiu uma caminha terrestre na busca de ajuda.

Em conjunto, texto e imagem recriam a beleza terrível da Antártida, a destruição do navio e a heroica luta diária da tripulação pela sobrevivência, um milagre tornado possível pela liderança inspiradora de Shackleton. Embora a expedição não tenha atingido o seu objetivo, constitui, indubitavelmente, uma incrível odisseia de sobrevivência e, como tal, Shackleton é hoje visto como o paradigma do líder carismático que sempre soube colocar as vidas humanas acima dos sonhos de glória.

Através de um discurso que mescla a terrível provação de almas perdidas no vazio da esperança com a crescente emotividade de uma qualquer luz ao fundo do túnel, Caroline Alexander organiza um livro notável de leitura apaixonante sobre 22 meses de provação e constantes desafios de superação diária.

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This