rdb_PietroMarcello_header

Pietro Marcello

Conversa com um dos realizadores homenageados na 5ª edição da 8 ½  Festa do Cinema Italiano

Nascido em Caserta em 1976, Pietro Marcello é um dos maiores documentaristas italianos, pela sua força e coragem de inovar.

Estreou-se em 2003 com as curtas-metragens “Carta” e “Scampia”. No ano seguinte, “Il Cantiere” vence a 11ª edição do Festival Libero Bizzarri. Em 2005 é atribuído a “La Baracca”, o Prémio do Público no Videopolis. “Il Passaggio Della Linea” (documentário rodado inteiramente em comboios rápidos que atravessam a Itália) foi apresentado em 2007 na Secção Horizontes (Orizzonti) no Festival de Veneza, venceu o Prémio Pasinetti e a Menção Honrosa Doc/it. “La Bocca Del Luppo” (2009) é apresentado em mais de vinte festivais internacionais, obteve vários prémios importantes em festivais como o Festival de Cinema de Torino, o Festival de Berlim. Dois anos depois filma o documentário “Il Silenzio di Pelesjan” sobre o arménio Artavazd Pelesjan, lenda viva do cinema.

“Faz-me lembrar a minha juventude. Com quinze anos fugi e apanhei um comboio para Paris”

“Eu comecei com um documentário porque era mais acessível a nível económico, porque é algo que se faz com baixo orçamento e nos proporciona mais liberdade criativa. Foi interessante; tinha vinte e quatro anos quando venci este prémio”. Pietro Marcello fala sobre o seu começo na realização e sobre a primeira vez que foi premiado com a curta-metragem “Il Cantiere”.

“Este tipo de comboio já não existe. Construiu a história económica da Itália e foi importante para a imigração do sul para o norte. Também gosto muito de viajar de comboio, faz-me lembrar a minha juventude. Com quinze anos fugi e apanhei um comboio para Paris”, contando-nos como surgiu a ideia para o filme “Il Passaggio Della Linea”.

“Fiquei fascinado pelo seu rosto, pela sua carga emocional”

“A produção do documentário “La Bocca Del Luppo” teve o apoio de uma fundação de jesuítas, a Fundação “San Marcellino”. Estava em Génova quando, à porta de uma padaria, deparei-me com Enzo Motta. Fiquei fascinado pelo seu rosto, pela sua carga emocional. Tornámo-nos amigos, foi uma experiência fabulosa. Comecei a desenvolver a história à medida que editava o filme”, explicando como conheceu Vincenzo Motta, um dos protagonistas do filme “La Bocca Del Luppo”, e como foi o processo de criação.

“Não me preocupei se poderia ir ou não a competições, foi mais uma homenagem para a história do cinema, uma possibilidade de divulgar o seu cinema e criar a possibilidade de restaurar os seus filmes, foi como um contributo”, comenta o realizador sobre “Il Silenzio di Pelesjan”

Pietro Marcelo é considerado um dos surpreendentes novos talentos do cinema italiano contemporâneo. Este ano é homenageado na secção “Focus” na quinta edição da 8 ½ Festa do Cinema Italiano que decorre em Lisboa até à próxima quinta-feira, dia 19 de Abril.

O realizador Pietro Marcello estará presente hoje às 21:30 na Cinemateca Portuguesa para apresentar a sua obra “Il Silenzio di Pelesjan”. Os filmes “Il Passagio Della Linea” e “la Bocca Del Lupo” podem ser vistos amanhã, dia 17 de Abril, às 21:15 no Espaço Nimas.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This