roleta-turim_header

“Roleta” ou uma ideia louca em torno de uma arma

Um breve olhar pela ficha técnica do espectáculo Roleta e sabemos que há garantia de qualidade: texto assinado por Eric L. Da Silva, encenação de Rosa Villa e um elenco de luxo. Até 9 de Junho, no Teatro Turim.

Roleta é uma comédia que surgiu «de uma ideia muito maluca do meu irmão», confessou Eric: «A imagem com que abrimos a peça surgiu e foi a partir daí que escrevi o texto. Foram uns cinco dias, em casa, a escrever.».

Este trabalho acontece após o desafio que Anabela Moreira lançou ao actor Hugo Costa Ramos para fazer um trabalho no Teatro Turim, em Benfica. E o Hugo falou com a Rosa, ambos falaram com o Eric, o Eric falou com o Gonçalo Oliveira. A eles juntaram-se Sofia Arruda e Sofia Nicholson. Misturaram uma boa dose de humor, de espontaneidade e eis que acontece “Roleta”.

«Todas as personagens têm um pedaço de mim», disse-nos Eric, numa entrevista rápida e improvisada, que aconteceu no dia da ante estreia. «Sentas-te a escrever e as personagens ganham vida própria.» Eric L. Da Silva tem-nos habituado a textos em que o bom humor é uma constante: diverte-nos e faz-nos pensar.

«Quando o [Hugo] Costa Ramos me falou em fazermos um trabalho aqui no Turim pensei no Eric para escrever. E pensei numa peça com três homens e três mulheres, pois não me apetecia fazer, novamente, uma peça com duas pessoas apenas, como acontecia em Não sou eu, és tu, que esteve em cena no Teatro Rápido em Fevereiro.» conta-nos Rosa Villa. Os actores em cena já se tinham cruzado no Teatro Rápido, com excepção de Sofia Arruda, a quem a Rosa chamou, carinhosamente, de caloira.

O trabalho de encenação, a cargo da Rosa, não foi difícil. «Tenho o privilégio de estar a trabalhar com cinco profissionais. Como encenadora gosto sobretudo de receber o que cada um têm para dar à sua personagem. Oriento, mas sobretudo gosto de dar muita liberdade a cada um no processo de criação.» Rosa, que está quase a comemorar 30 anos de profissão, confessa que os ensaios, que aconteceram em apenas um mês, foram, acima de tudo, divertidos.

Seis estranhos encontram-se após a morte de um amigo comum. Segue-se uma noite de experiências quase morte que são, na verdade, experiências quase vida. Cada personagem vai questionar-se sobre os motivos para morrer (para viver?) e aceitam as regras de um jogo que vai mudar as suas vidas, literalmente.

Os nomes presentes em cartaz fizeram-nos elevar as expectativas. A interpretação dos actores, bem como a encenação, cenografia, desenho de luz, não desiludiram. Pelo contrário: Eric L. da Silva sai reforçado como autor e Sofia Arruda, a «caloira», está ao nível dos «veteranos» que com ela partilham o palco do Turim.

 
Roleta de Eric L da Silva, uma encenação de Rosa Villa, com interpretação de Eric L da Silva, Gonçalo Oliveira, Hugo Costa Ramos, Rosa Villa, Sofia Arruda e Sofia Nicholson e produção Spotlight Produções encontra-se em cena, no Teatro Turim,  de quinta a domingo às 21h30 até 9 de Junho. 

Fotografia de Mário Pires



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This