Sony Xperia Z

Sony Xperia Z

Pssst ... somos a Sony e ainda estamos por aqui.

Depois da excelente impressão com que fiquei do Xperia Z tablet tinha alguma curiosidade em conhecer melhor uma das grandes apostas da Sony no mercado de smartphones. Lançado no início deste ano, o Xperia Z foi um dos primeiros smartphones Quad-core com ecrã de 5’’ e com uma resolução altíssima (1080 x 1920 pixels), capaz de reproduzir conteúdo 1080p com uns incríveis 441 pixeis por polegada. Para além de muitas outras especificações técnicas bastante atraentes um dos principais selling points do topo de gama da Sony, à semelhança do que acontece com o tablet, é a capacidade de resistencia à agua. Mas será que no “mundo real” o Xperia Z consegue estar a par dos mais recentes topos de gama da Samsung e HTC?

DESIGN

A capacidade de resistência à agua tem um custo associado. Tal como acontece no tablet, todos os ports estão protegidos para que seja possível mergulhar o telefone em água (30 minutos até 1 metro de profundidade). Se no tablet a utilização dos ports é mais esporádica, num smartphone o mesmo não acontece. Torna-se pouco prático destapar o port para os auscultadores cada vez que os queremos utilizar.

De uma forma geral o design do Xperia Z coloca-o como um produto premium. Vidro na traseira com o branding Xperia a meio, linhas totalmente direitas e o botão on/off/standby do lado direito, bastante evidente e prático. Infelizmente, estas linhas direitas aliadas ao tamanho e peso do dispositivo (139 x 71 x 7.9 mm – 146g) tornam o seu manuseamento mais dificil e um pouco incómodo principalmente para que tem mão pequenas.

ECRÃ

Tal como acontece no tablet, o Xperia Z apresenta um dos melhores ecrãs do mercado. Mais do que números o que importa é a sua utilização no dia-a-dia e nesse aspecto o ecrã de 5 polegadas do Xperia Z tem um notável equilibrio de cores não se tornando cansativo para a vista. Tal como acontece em muitas das funcionalidades destes novos dispositivos móveis da Sony, este ecrã utiliza tecnologia já existente em outros produtos da marca, neste caso o BRAVIA Engine 2, aqui na sua versão mobile.

CÂMERA

Não é a característica mais forte do Xperia Z. Equipado com uma câmera traseira de 13.1MP mostrou ser bastante capaz em fotografias no exterior com boa luminosidade mas deixou bastante a desejar em condições mais adversas, principalmente com pouca luz. Com capacidade de gravar até 1080p a 30 FPS, o Xperia Z mostrou ser bastante eficaz, beneficiando também de um software bastante intuitivo.

Sample Photo - Tirada com Xperia Z

BATERIA

Nos últimos anos os smartphones tornaram-se verdadeiros computadores sendo possível efectuar dezenas de tarefas. É possível fotografar quase como uma câmara compacta, é possível jogar quase como numa consola portátil e é possível ver filmes, ouvir músicas, etc. A definição e tamanho dos ecrãs aumentou de uma forma dramática. Para além do LTE os smartphones estão equipados com muitas opções de conectividade. Tudo isto necessita de ser “alimentado” e infelizmente a tecnologia utilizada nas actuais baterias continua um passo atrás de tudo o resto e começa a ser bastante frustrante não conseguir chegar a casa com o telefone ligado ou então ter que efectuar uma utilização cuidadosa.

Dito isto, a performance da bateria do Sony Xperia Z não é pior que a performance das baterias dos concorrentes directos mas infelizmente, tal como acontece nos outros dispositivos, continua a não ser suficiente para uma utilização diária sem preocupações.

SONY APPS

Tal como qualquer outro fabricante que utiliza Android como sistema operativo, a Sony desenvolveu o seu próprio launcher e as suas próprias aplicações. Não sendo o mais intrusivo, o launcher também não é o mais apelativo (obviamente que uma das grandes vantagens do Android é a possibilidade de descarregar uma das muitas alternativas disponíveis na Play Store). Em relação às aplicações é importante realçar o Walkman, sem dúvida o player de música mais bonito em qualquer smartphone.

CONCLUSÃO

Em Berlim, no inicio de Setembro, a Sony anunciou um novo smartphone – Xperia Z1 – que irá ocupar o lugar do Xperia Z como flagship da marca nipónica e que tem na sua câmera o principal destaque. Se por um lado, com este lançamento, a Sony alarga a sua oferta de dispositivos, por outro lado não deixa de ser frustrante para os consumidores que compraram o Xperia Z, encontrarem meses depois um novo “topo de gama” disponivel no mercado. Se por um lado é bastante louvável a forma com a Sony procura criar um ecossistema que faça a ligação entre as suas diversas divisões e com isso ter uma vantagem competitiva, é fundamental gerar confiança e acreditar mais nos seus produtos. O Xperia Z poderia muito bem ser o único smartphone Sony desta gama lançado neste ano (afinal o Z é a última letra do alfabeto).

O Xperia Z consegue estar no pódio dos smartphones Android lançados no primeiro semestre de 2013 e é uma excelente opção para quem já investiu em outros produtos Sony e procura um produto premium.

Pode ser adquirido em Portugal por cerca de 540 euros desbloqueado. Está também disponivel nas três operadoras móvel em diversas modalidades de acordo com o plano de fidelização pretendido.

PRÓS

– Existência de Rádio FM com RDS. Pode parecer old fashion mas dá muito jeito
– Aplicações Sony, particularmente o Walkman
– Look & Feel Premium

CONTRAS

– Os ports tapados para permitir ser colocado na água comprometem a funcionalidade
– Câmera um pouco abaixo do expectável



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This