Sopro

A última produção da Companhia Rui Lopes Graça vai estar em cena em Guimarães e em Almada durante o mês de Junho.

Sopro, é um espectáculo para cinco intérpretes, com aproximadamente uma hora de duração, cujo propósito é reflectir e traduzir num ambiente  coreográfico, memórias individuais e a sua relação com o mundo que as envolve.

A partir de momentos marcantes da vida de cada intérprete, são invocados diferentes espaços de tempo da existência individual que, em determinados momentos se combinam com o colectivo. Dito de outra forma, os traços que desenham a nossa vida individual, não estão dissociados do colectivo que os abarca e com o qual interage.

Sopro, é esse estímulo que funciona como indutor, que inicialmente faz procurar referências nos recantos da memória e posteriormente se transforma numa sensação geradora de movimento, que levado por esse impulso inicial, redirecciona, fragmenta e compõem materiais que agrupados constituem frases e discursos do corpo e da alma.

Sopro é a causa e ao mesmo tempo, o efeito. Esta acção mútua e inclusiva convoca à memória gestos guardados sem saber, onde as palavras perdem a força face ao indizível do gesto.

Este espectáculo conta com composição original de Pedro Carneiro, reconhecido internacionalmente como um dos mais importantes percussionistas da actualidade e uma figura impar da nossa música contemporânea.

O espectáculo vai ser exibido em Guimarães no dia 16 de Junho para depois descer até à capital no dia 18, para uma apresentação no Teatro Camões.

Para o mês de Outubro está agendada uma passagem pela Casa das Artes de Famalicão.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This