teatro_rapido-dezembro_header

Teatro Rápido – Dezembro de 2012: ouro, incenso e Birra!

O Teatro Rápido (TR) encerra 2012 com oferendas para todos os gostos; são quatro os reis magos (quatro salas) e as prendas incluem dinheiro, lágrimas, gargalhadas e realidade

Sala 1 – mata-te a ti primeiro e a mim depois

“Bank bank you’re dead?” é uma ideia de Cláudia Lucas Chéu e conta com a encenação de Sofia Portugal. Esta é uma sala perturbadora, onde a escuridão contrasta com as luzes de Natal que não se destinam a alegrar uma casa, enfeitando uma árvore.

Pedro Carvalho e Joana Ribeiro Santos interpretam dois irmãos cujo plano é a morte pela asfixia em dinheiro. Os espectadores são convidados a assistir aos seus últimos quinze minutos de vida, onde a palavra “amo-te” é repetida até à exaustão, até ao último suspiro. Perturbadora e escura, a sala 1 constitui-se como uma alegoria (sem alegria alguma) para o live fast and die young: infectados pelo vírus do capital, a única saída para a sobrevivência será o amor? Aquele amor que nos faz destruir o objecto amado?

Porque o trabalho não salva e, como se pode ouvir na peça, a indústria da pornografia é a única onde se assume que o trabalho é obsceno. E consegue ser verdadeiramente pornográfico, acrescentamos nós.

M/16 | Horário das sessões: 18h00 / 18h25/ 18h50/ 19h15/ 19h40/ 20h05

Sala 2 – são lágrimas, senhor, são lágrimas

“Quando somos crianças só temos ideias brilhantes”, diz-nos a personagem interpretada por Susana C. Gaspar. O texto é uma adaptação livre do conto “No more tears”, de Adília Lopes. Depois crescemos e há uma empresa malvada que inventa um produto que erradica as lágrimas do mundo. Dos olhos. Dos olhos dela.

Ela é interpretada por Susana C, Gaspar, actriz que conta (canta, grita e… bom. não chora, porque as lágrimas acabaram) na primeira pessoa a estória de uma menina e moça que precisava do ardor do champô para se sentir viva, para fazer birra, para amar, para estar, para ser.

E tu? Do que precisas para justificar uma boa birra perante o mundo?

M/12 | Horário das sessões: 18h05/ 18h30/ 18h55/ 19h20/ 19h45/ 20h10

Sala 3 – era uma vez a ratolândia

Entramos na sala onde Sofia Nicholson e Marina Albuquerque se encontram a ensaiar, a preparar o próximo espectáculo. Apercebemo-nos, rapidamente, que o António está atrasado. Mas isso não impede as actrizes de darem início ao ensaio. Eça de Queirós e Clarence Gillis contribuem com um olhar de outrora que é assustadoramente contemporâneo. Não sabemos se a palavra “crise” chega a ser mencionada alguma vez, mas ela está presente. Aliás, a peça mostra-nos como a crise está presente desde… o passado.

Em apenas quinze minutos duas grandes actrizes da nossa praça assumem o papel de… actrizes, e divertem-se, divertindo-nos. Reflectem, fazendo-nos reflectir.

“Diz-me rápido” é a adaptação do espectáculo de António Gonçalves Pereira, “Diz-me d’Eças”, que esteve em cena com António Machado e Philippe Leroux (que já esteve em cena no TR, no mês de Outubro).

Aconselhado a todos os habitantes da ratolândia (ou seja, eu, tu, nós, vós e eles).

M/12 | Horário das sessões: 18h15/ 18h40/ 19h05/ 19h30/ 19h55/ 20h20

Sala 4 – aqui não moram finais (nem natais) felizes

É véspera de Natal e ele está a trabalhar, no computador. Ela está entediada porque ele tem as mãos no teclado e não nela. Aproxima-se o jantar de família. Mas da família de quem? E porque é que temos que jantar “em família” só porque é dia 24 de Dezembro?

Neste casal encontramos o quotidiano de tantos outros: o conflito entre o que se quer fazer e o que os outros querem que façamos; o grande amor diluídos nos dias em que não há tempo para amar. A paixão que se desvanece porque não há tempo para amar.

Uma estória com um final que não é feliz. Mas que é aquilo que é, provando que a vida é de todas as cores, assumindo tons de negro e cinzento, em vez do falso cor-de-rosa.

“Há dias em que te amo, outros em que não sei que fazer contigo” – é um espectáculo escrito e encenado por Rafaela Lacerda e que conta com a interpretação de Eduardo Ribeiro e Rafaela Covas.

M/16 | Horário das sessões: 18h20/ 18h45/ 19h10/ 19h35/ 20h/ 20h25

O mês de Dezembro contempla, ainda, uma exposição comemorativa dos 35 anos de carreira da actriz Cármen Santos, que tem lugar no TR Bar. A exposição conta com a parceria da Junta de Freguesia de Carnide. Do cardápio deste mês consta ainda a III Tertúlia Rápida, sobre “O Poder da Birra”, em data a anunciar.

Recordamos que as peças podem ser vistas de quinta a segunda, até ao dia 30 de Dezembro. O bilhete custa três euros (por peça), havendo lugar a um pacote para as quatro sessões que lhe permite poupar dois euros. Este pacote, no valor de dez euros, poderá ser adquirido em forma de cartão/presente para oferecer teatro a cultura aos seus familiares e amigos. Tem validade de três meses e permite quatro entradas nas peças TR.

O TR estará encerrado no dia 31 de Dezembro e promete novas estreias a 3 de Janeiro.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This