5

The Sims 4: City Living | Análise

A desculpa ideal para os fãs voltarem a mergulhar em The Sims 4

Foi no dia 3 de Novembro que The Sims 4 recebeu a sua mais recente expansão. Chama-se City Living e convida os nossos Sims a deixar para trás os subúrbios e a abraçar a vida agitada da cidade de San Myshuno. Façam as malas e não olhem para trás, pois à vossa espera está uma das melhores expansões que alguma vez agraciou a série e sem dúvida a mais impressionante de The Sims 4. Conteúdo é coisa que não falta, desde novos itens de personalização ao regresso dos apartamentos,a enorme e cheia de vida cidade de San Myshuno faz-se acompanhar por quatro bairros temáticos, todos eles bem animados e cheios de actividades. Novas carreiras e peripécias irão conferir aos nossos protagonistas novos objectivos para alcançar mas também uma enorme panóplia de experiências que não só os nossos Sims podem viver mas que também nós os jogadores podemos criar. Para melhor poder verificar de que forma é que as várias novidades desta expansão se traduzem no nosso ecrã, pedi ajuda ao meu Sim, Darth Phineas Maul.

 

Depois da dura derrota que Obi-Wan Kenoby infligiu sobre ele, finalmente longe da opressão do imperador Palpatine, Darth Maul achou que era a altura ideal para se reformar. Mudou-se assim para Willow Creek, só que – engenhoso como é – decidiu mudar de nome, não fosse alguém reconhecê-lo. O Mundo ficou assim a conhecer Darth Phineas Maul. A sua transição para os subúrbios correu muito bem. Aliás, assim que se instalou e para espanto da vizinhança, deu por si rico, depois de receber “pipa de massa” atrás de “pipa de massa.” “Tacho” pensaram os vizinhos; “Wohuu” gritou Phineas que não quis saber de onde veio tanto dinheiro; Batota pensou a minha mulher; A Força a trabalhar de forma misteriosa, concluí eu… Como se isso não bastasse, ao que parece, os duros treinos até se tornar num poderoso Sith fizeram dele imortal. A sua felicidade é constante e os seus desejos e necessidades estão sempre saciados. Realmente, a Força é qualquer coisa…

A imortalidade e a riqueza permitiram-lhe, não ter de se preocupar com trabalho e dedicar o seu tempo a causas mais dignas do seu gabarito. Devido aos seus traços de personalidade que – vamos culpar outra vez a Força, pode ser? – a Força escolheu para ele, Darth Phineas Maul tentou estabelecer amizades a brigar com os seus vizinhos e fazer deles eternos inimigos. As “super-divertidas” partidas que lhes pregou de modo a consolidar a sua “amizade”, não foram (para seu espanto!) bem aceites. Darth Phineas Maul não sabia explicar bem porquê mas começou a sentir-se indesejado. É que sabem… Vamos falar a sério um bocadinho, Phineas esconde uma enorme sensibilidade e o facto de ser tão acanhado impede-o de concretizar o seu maior sonho. Partilhar a sua imortalidade com alguém que o compreenda e que se torne na sua parceira de travessuras e arruinar a vida de todos os Sims à sua volta, tudo em prol da boa diversão. A oportunidade surgiu, ao receber um convite para deixar Willow Creek para trás e partir para a cidade de San Myshuno.

 

Darth Phineas Maul não pensou duas vezes. Terminada a sua viagem até San Myshuno, depressa se apercebeu de que esta cidade é enorme. Está divida em quatro bairros distintos, o da Moda, o das Especiarias, o da Arte e o que abrange a Parte Alta da cidade. Este último bairro, descrito como “o luxuoso coração da cidade onde residem os ricos, os poderosos e os indivíduos algo… peculiares” pareceu-lhe bem. Resta agora escolher o apartamento ideal para se instalar. Nas ruas muitos sims elogiavam o “regresso” dos apartamentos mas Phineas não ligou. Acontece que no passado, quando ainda trabalhava por conta do império, já conhecia estas estruturas de habitação, graças a umas brochuras que o correio lhe fazia chegar. Escolhido o apartamento ideal, apenas temporário pois o objectivo é conseguir ficar com uma incrível Penthouse, chegou o momento de se apresentar aos membros desta tão agitada comunidade.

Fora do seu apartamento, há vida por todo o lado. Vários Sims correm de um lado para o outro focados nos seus afazeres mas não deixam mesmo assim de parar um pouco e dar as boas vindas ao nosso simpático Darth. Este claro que amigavelmente responde com um grito, ou com fortes apertos de mão, daqueles bem “chocantes”, dignos dos melhores travessos. Uma vez mais… Darth Phineas Maul corria o risco de ser mal compreendido. Só que San Myshuno é enorme e isso implica um maior número de Sims, o que, por sua vez, representa uma maior probabilidade de encontrar a sua cara-metade. Ganhou uma competição de comida no bairro das especiarias, procurou no museu no bairro de arte, frequentou a Geek Con, foi ao ginásio e nada… Fez imensos inimigos, pregou partidas por telefone, fez a vida negra ao seu senhorio, levou um lama para o emprego, despediu-se e iniciou uma nova carreira como crítico nas redes sociais mas…

 

Phineas sentia-se sozinho. No entanto, lembrou-se de uma coisa: “Será que também existem clubes por aqui aos quais me possa juntar?” Existem vários mas onde realmente se sentiu em casa foi com os Renegades. Darth Phineas Maul nunca mais se esqueceu das aulas onde aprendeu a sabotar sanitas. Conhecimentos que ficam para a vida, pensou ele debruçado naquela peça de cerâmica onde praticou. Mas sobretudo, nunca mais se esqueceu daquele momento em que viu Ulrike Faust a sair da piscina do clube. “Tenho de ir falar com ela.” Depois de balbuciar algo horrível, possivelmente na língua dos Ogres, tudo parecia que ia correr mal. Mas… A Força indicou-lhe, dá-lhe um daqueles apertos de mão… Ele deu. Ela gostou e o tempo pareceu parar, quando de repente esta doce rapariga alça a perna, com uma graciosidade invejável, e solta um enorme traque… Juro que isto aconteceu! A “Força” ficou parva. Mas não tanto como quando observou o delicado abanar das mãos na direcção da cara de Phineas, felicíssimo por finalmente alguém ter partilhado alguma coisa com ele. Desesperada a “Força” tentou separá-los mas para Phineas… Esta é para casar! Dias depois ficaram parceiros de travessuras e atormentaram a comunidade felizes para sempre. Só que até se esquecer daquele momento “tão romãntico” a “Força” ainda insiste que Ulrike tenha de ir trabalhar todos os dias…

 

Esta pequena história para mostrar que The Sims 4 está ainda bem vivo e recomenda-se. Aliás agora ainda mais graças a City Living. Se já haviam todas as condições para que pudéssemos criar as nossas histórias em The Sims, afinal de contas o ponto alto da série, a cidade De Myshuno com os seus bairros, festivais e personalidades que por ela deambulam, torna-se na desculpa ideal para os fãs voltarem a mergulhar em The Sims. Mais do que reciclar alguns elementos já existentes em títulos anteriores, City Living refina-os e oferece aos fãs uma experiência incontornável para qualquer fã da série. As horas vão passar e nem vão dar por isso!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This