Cantina da Estrela

Cantina da Estrela

Está na hora de entrar no restaurante com alma escolar

Situado num dos bairros mais carismáticos da cidade, a Cantina da Estrela não é uma novidade da restauração lisboeta mas apresenta agora um menu mais arrojado criado pela mão de Artur Carneiro, o jovem chef que lecciona in loco a arte da cozinha aos estudantes da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa.

O nome diz tudo e não há como enganar. Ao entrar na Cantina da Estrela, inserida no Hotel da Estrela, vai voltar aos seus tempos de estudante num ápice. Os bancos corridos à saída do elevador, o bengaleiro de parede, as madeiras escuras e maciças e as ardósias espalhadas um pouco por toda a sala, despertam as memórias da vida escolar por um motivo lógico. O edifício, onde funcionam o restaurante e o hotel, é a antiga Escola Industrial Machado de Castro, que divide paredes meias com a Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa, razão natural para a Cantina ter recuperado o espírito estudantil. É por isso também que a Cantina da Estrela caracteriza-se por ser um «restaurante e escola de aplicação», visto que os alunos da EHTL passam pela cozinha e têm a oportunidade de estagiar neste hotel, conta-nos Marco Silva, chefe de sala do restaurante. Mas a ligação ao universo académico não fica por aqui. A Cantina da Estrela tem um método de pagamento original, baseado numa avaliação que os clientes fazem da refeição: «O cliente tem o mínimo e o máximo e mediante o que gostou, paga mais ou menos, e faz a sua própria conta. É uma brincadeira, os alunos não são efectivamente penalizados pela Escola, é apenas um conceito divertido», esclarece Marco.

Cantina da Estrela

Passamos então à degustação dos pratos servidos. Depois do couvert (2,5€ por pessoa) composto por uma selecção de pães, servido numa marmita de metal, uma manteiga de ervas, azeitonas temperadas e um azeite mergulhado em gotas de vinagre balsâmico, assentes numa pequena ardósia, chegaram-nos à mesa as entradas. O divinal creme de abóbora com nata azeda e crocante de chouriço (entre 3,5€ e 7€) estava absolutamente perfeito no diz respeito ao sabor e cremosidade, com a nata a equilibrar a acidez do prato.

Cantina da Estrela - Entrada

Cantina da Estrela - creme de abóbora com nata azeda e crocante de chouriço

Ainda na fase “pré-primária da refeição”, como sugere a carta, provámos um recheio de sapateira, apresentada numa lata de conserva, com tostas alentejanas (7€-14€). Destaque para as tostas muito estaladiças e para o sabor a mar em prevalência na boca, provocado pela pasta de sapateira. Marco Silva serviu-nos ainda uma espetada de tomate cherry, enchido português e porco, cortesia da casa, cujo formato mini funciona na perfeição, tendo em conta o sabor intenso das carnes.

Continuámos esta refeição com duas sugestões do chef: lombinho de porco com recheio de ameijôas à Bulhão Pato (9€ a 18€) e bacalhau numa alhada com poejo e pak choi (12€ a 24€). Os lombinhos, acompanhados com migas de caldo verde e feijão encarnado, estavam deliciosos, cuja carne suculenta e tenra é a protagonista deste prato que resulta da desconstrução da tradicional carne de porco à alentejana. Por sua vez, o bacalhau, uma generosa posta cujas lascas se desfazem facilmente, cumpre o os requisitos mínimos do que é expectável mas não deixa saudades. A guarnição também não surpreende. Em suma, falta mais personalidade, carisma e intensidade ao prato.

Cantina da Estrela - Lombinhos de Porco

 

Cantina da Estrela - Bacalhau

Como fomos “bons meninos que comeram a papa toda”, alerta dado pela carta, terminámos este jantar com um crumble de frutos vermelhos e maçã com gelado de yoghurt e canela e mel (4€-8€) e um leite creme com gelado de caramelo (3,5€ a 7€). O crumble, apresentado em duas taças, mostrou ser uma agradável surpresa de texturas e temperaturas. Se por um lado os frutos vermelhos dão a acidez necessária ao crumble, a combinação clássica e infalível maçã-mel-canela remata com o sabor essencial deste postre. Uma sobremesa equilibrada e que desperta sensações da primeira à última colherada.

Cantina da Estrela - crumble de frutos vermelhos e maçã com gelado de yoghurt e canela e mel

O leite creme, que por si só já faz disparar os níveis de doçura ao máximo, peca apenas pela fusão com o gelado de caramelo, o que torna este pospasto excessivamente doce. No entanto, damos nota positiva ao leite creme pela sua cremosidade e gosto vincadamente tradicional.

Cantina da Estrela - Leite Creme

Estas foram apenas algumas das sugestões da nova carta da Cantina da Estrela, cuja ementa está bem recheada de variadas opções, por entre entradas, arrozes e massas, peixes, carnes e sobremesas. Ficou-nos debaixo de olho o carpaccio de roastbeef com mostarda antiga (4,5€-9€) ou o xarém de ameijôas e coentros (8€ a 16€). Na secção dos peixes, o polvo grelhado com batata doce (12€-24€), o salmão com crosta de camarão e courgette do “da Giovannino” da Sardenha (10€ a 20€) ou o já tão afamado bife de atum à portuguesa com ovo a cavalo (12€ a 24€). As sobremesas também prometem finais felizes, com propostas como o gelado de salame de chocolate com “luscious chocolate mousse” (3,5€-7€) ou o melhor pão-de-ló do Universo, de ovo ou chocolate (4€-8€).

É da relativamente curta mas intensa experiência de Artur Carneiro, discípulo do reconhecido chef Aimé Barroyer, que nascem estas criações. O chef, que comanda os tachos na Cantina da Estrela há 2 meses, começou o seu percurso no Pestana Palace, passou pela Bica do Sapato, abriu o restaurante da Herdade da Malhadinha Nova e ainda esteve no Hotel da Costa da Caparica. A sua paixão pela comida portuguesa, que gosta de explorar de raiz a raiz, é sem dúvida a base do seu estilo culinário, e é também por isso teve total liberdade para criar na cozinha que adora dirige.

É assim que a renovada ementa da Cantina da Estrela se mostra à cidade, um restaurante de bairro que quer ser reconhecido como mais um espaço de referência em Campo de Ourique, não perdendo a qualidade de serviço e dos ingredientes, factores implícitos no ADN do Grupo Thema, do qual a Cantina faz parte.

 

Horário de funcionamento:

 

De Terça a Sábado das 12:30h às 15h para almoços
Jantares das 19:30h às 22:30h
Encerrado Domingo e Segunda
Rua Saraiva de Carvalho, nº 35, 1250-242 Lisboa

 

Fotografia de Ricardo Freire Mateus

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This