rdb_artigo_ceciliamaryrobson

Cecilia Mary Robson

A nova paixão da imprensa de moda londrina.

De tempos a tempos, o design de moda londrino ganha uma nova cara. Desta vez a newcomer é Cecilia Mary Robson. Desde os tempos de Stella McCartney e Alexander McQueen que a imprensa não se apaixonava de uma forma tão intensa por um finalista de um curso de moda, dando-lhe tanta projecção num tão curto espaço de tempo.

Cecilia Mary Robson começou por fazer, a título de experiência, aulas privadas de ilustração e de modelação e corte. A ideia era ter a certeza de qual a área em que gostaria de trabalhar. Optou então por estudar design de calçado na Cordwainers College, em Londres. Em 2007 concluiu o mestrado em Fashion Design Technology, na London College of Fashion.

Em Maio de 2007, a sua colecção de final de curso, “Et in Arcadia Ego”, foi seleccionada para apresentação na Royal Academy of Arts – Graduate Fashion Week. Participaram mais de 1000 alunos de 48 escolas do Reino Unido no evento onde a intenção era mostrar os seus trabalhos finais em exposição ou desfile.

O trabalho de Cecilia Mary Robson foi recebido de forma calorosa. A colecção explorava formas circulares e uma estética muito próxima das visões futuristas da década de 60, trazendo à lembrança os anos de ouro de Roberto Capucci e Pierre Cardin. Depois da apresentação, a designer inglesa teve uma exposição anormal na imprensa britânica, merecendo destaque em revistas como a “You”, a “Wallpaper”, a “Drapers” ou a “Disorder”.

Cecilia trabalhou com designers tão conhecidos como o dinamarquês Jens Laugesen, o canadiano Jean-Pierre Braganza e, mais recentemente, o britânico Giles Deacon, com quem colaborou durante cinco estações. Com os seus mestres aprendeu a conceber construções complicadas, a atribuir tridimensionalidade ao vestuário e a brincar com diferentes texturas.

Cecilia lançou oficialmente a marca em nome próprio em Setembro de 2008, altura em que começou a desenvolver as suas colecções “ready to wear”. Para além disso, faz peças únicas por encomenda para clientes privados. “Tenho uma ideia que depois desenho ou escrevo e desenvolvo-a pensando nos aspectos técnicos como o corte e o tecido, tentando eliminar os problemas antes de começar a trabalhar a ideia”. O que resulta deste processo criativo situa-se entre os Jetsons, a Barbarella e o Star Trek. “Apaixono-me tanto pelo futuro como pelo passado e estou sempre interessada em explorar o espaço e a ciência. Nas minhas peças existem sempre formas geométricas e estruturadas”, diz a designer, que se assume como fã incondicional do realizador Stanley Kubrick. As suas colecções dirigem-se a pessoas imaginárias e são combinações de personagens que vai criando em função daquilo que sente na altura em que está a desenvolver a colecção. “A intenção é manter as características do meu design, focando-me na alta qualidade e na longevidade cultural, perseguindo a excelência”.

Em Fevereiro de 2008, Cecilia foi uma das designers a apresentar no ON/OFF – calendário independente que decorre ao mesmo tempo que a London Fashion Week. A designer provou que sabe como impressionar a imprensa, pois cada peça sua é uma surpresa. Em Fevereiro de 2009 apresentou no mesmo evento a colecção “The Beginning of the End” e o efeito surpresa manteve-se, para gáudio da imprensa especializada.

Cecilia Mary Robson é actualmente o nome mais promissor da moda inglesa. Be aware!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This