Ender´s Game / Jogo Final

Ender´s Game / Jogo Final

Poderá uma imagem valer mais que mil palavras?

Existem duas maneiras de se olhar para filmes como este “Ender´s Game/Jogo Final” :

Como um apreciador da obra de Orson Scott Card ou apenas, como um espectador de cinema de ficção.

Esta dicotomia é comum sempre que alguma obra iconográfica é adaptada ao cinema, seja com os heróis da Marvel ou da DC, seja um Sherlock Holmes ou seja …um Ender´s Game.

Como mero espectador de cinema é possível, muito possível, sair com uma sensação de perplexidade e algum desconforto após ver esta adaptação da obra de Card. Fruto da aparente (apenas aparente) puerilidade de algumas personagens e da imagética extraordinariamente apurada.

A história é relativamente simples e já foi contada de outras formas, em outros filmes (É importante lembrar que Ender´s Game na sua versão original é de 1977 e serviu de base para outras obras do autor, que nunca até ao momento havia permitido qualquer adaptação da obra para o grande ecrã), ainda que raramente com tanta complexidade como na obra de Card.

A Humanidade envolveu-se numa encarniçada guerra contra os Formics, uma civilização invasora que como o nome indica, é muito semelhante às formigas quer em aparência, quer na forma colectivista como se organiza e combate.

Quando tudo parece perdido, a bravura e inteligência do grande guerreiro Mazer Rackham (Ben Kingsley) faz pender a balança para o lado dos humanos e o adversário recua para o espaço sideral. Contudo a paz é incerta e a possibilidade de nova invasão pesa na mente dos terráqueos que passam a viver num regime marcial, sempre antecipando uma nova invasão.

É nesse mundo de medo, que o nosso improvável herói é talhado.

Ender Wiggin (Asa Butterfield) – é esse herói (ou anti-herói) que dotado de uma mente superdotada do ponto de vista estratégico, torna-se a principal esperança dos comandos militares, que o treinam afincadamente para se tornar ele próprio um comandante mais brilhante ainda que Rackham e o Coronel Graff  (Harrison Ford).

Como dito anteriormente, não é a primeira vez que Hollywood nos traz uma adaptação de uma obra Sci-fi onde a Terra é atacada por versões gigantes de pequenas criaturas terrestres.

Em “Starship Troopers/Soldados do Universo” de Paul Verhoeven (adaptação do livro do mesmo nome de Robert A. Heinlein) são aracnídeos…mas apesar de alguns pontos em comum, esta película de 1997 é muito menos interessante.

“Ender´s Game/Jogo Final”, não é um filme memorável, o que não faz dele um filme desinteressante ou sem méritos.

É relativamente fiel à história original, consegue ter algum do seu ritmo e da contida exploração emocional das personagens principais. Tem efeitos visuais e sonoros espectaculares, mas vive demasiado desse cruzamento entre jogo 3D e sala de recreio de Hogwarts.

As interpretações são apenas sofríveis, com Harrison Ford em poupança de combustível e Ben Kingsley a arriscar-se a ser um novo Michael Caine, se continuar a aceitar todos os papéis que lhe são oferecidos.

Um pouco melhores, estão: Asa Butterfield e Hailee Stenfeld, que apesar de tudo, já brilharam mais em outros lugares.

Não considero que Gavin Hood tenha desiludido na realização e no argumento, conseguindo até (para aqueles que não conhecem a trama) algumas surpresas e reviravoltas interessantes.

Em suma um filme que agradará aos jovens e aos fãs da saga, mas que provavelmente nada acrescentará à maioria dos cinéfilos não aficionados das obras de Card.

Sai com um Satisfaz!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This