1

Everybody’s Golf | Análise

Um jogo para todos, independentemente da forma como o queiram jogar!

Depois de experimentar a closed beta de Everybody’s Golf, a minha primeira abordagem à série, fiquei com a sensação de que aquando do lançamento da versão final este seria um jogo ao qual gostaria de voltar. Gosto que o jogo não se leve muito a sério, mas que esconda uma jogabilidade capaz de satisfazer os vários graus de exigência dos fãs desta modalidade. Gosto sobretudo que seja praticamente impossível jogá-lo sem um sorriso no rosto!

Online ou offline, mesmo que estejamos a realizar torneios contra a IA do jogo, vamos cruzar-nos com centenas de personagens de todos os tipos e feitios. Ainda que não o aprecie muito, é inegável que o seu ar cartoonesco confere ao jogo um certo charme. Se obtivermos melhores resultados do que estas personagens, elas serão adicionadas à nossa galeria de espectadores. Um sistema de coleccionismo completamente opcional mas que complementa o sistema de progressão do nosso jogador e do seu respectivo equipamento. Joguem e vejam, por exemplo o poder das vossas tacadas a aumentar. Joguem bem e vejam isso acontecer com uma maior frequência.

Tal como tem vindo a ser habitual na série, as nossas tacadas dependem de um sistema de três cliques: um para nos posicionarmos, dando início ao preenchimento de uma barra, outro para a força da tacada, e um último clique que irá afectar a nossa pontaria. Parece fácil e em teoria, até é. Só que na prática esta é uma mecânica que levará algum tempo para dominar. No que diz respeito à jogabilidade, Everybody’s Golf mostra-se, de facto, como um jogo para todos. Se o quiserem jogar apenas para dar umas tacadas, sem pensar muito no que estão a fazer, podem fazê-lo. Mas quando decidem levar o jogo mais a sério e começam a considerar outros factores – como a inclinação do solo ou como este pode afectar as vossas tacadas, as condições climatéricas, como e em que parte da bola querem bater e por aí fora – quando o resultado dos vossos cálculos for um belo “Nice Shot”, de repente Everybody’s Golf ganha outro sabor!

Os cinco percursos que o jogo base tem para nos oferecer são todos eles ricos em detalhe e repletos de actividades. Algumas delas, como a pesca são alheias à modalidade do golfe, mas tal como a exploração podem recompensar-nos com coleccionáveis que vão desde bolas, consumíveis ou peças de roupa para a nossa personagem. Em termos de desafio este é gradual, de percurso para percurso. Se quiserem fazer frente aos desafios mais exigentes, aqueles que não forem veteranos da série, podem esperar uma curva de aprendizagem algo complexa, mas que nunca roça a frustração, uma vez que o ambiente descontraído sugere que a percorramos sempre com a diversão em mente. Ainda assim, é pena que para desbloquear todos os cinco percursos de 18 buracos, tenhamos de depender de algum grind, ou seja da repetição incessante dos mesmos buracos, até que possamos progredir para outros.

Isto acaba por comprometer ligeiramente o modo Turf War. Disponível online, o objectivo é simples: alcançar a maior pontuação nos vários buracos do nível em que o jogo vos coloca. Em termos de jogabilidade, nada muda à excepção da corrida desenfreada de um buraco para o outro. Acaba por ser mais do mesmo mas mentia se dissesse que não me diverti no meio daquelas correrias desenfreadas.

Everybody’s Golf não se leva muito a sério, daí o seu aspecto jovial e brincalhão continuar ainda presente e bem vincado. Mas é de facto um jogo para todos os tipos de fãs. Para os mais exigentes, além de uma jogabilidade com um grau de complexidade invejável, podem ainda desfrutar do Serious Mode, um modo de jogo que permite à IA do jogo alcançar pontuações ainda mais competitivas. Terminem o modo single-player e ganhem ainda acesso a tacos personalizáveis, os quais poderão evoluir ou reparar (porque se gastam) com gems, uma moeda de troca que podem encontrar dentro do jogo ou mediante a sua compra com dinheiro real. Mesmo que não seja um dos jogadores mais exigentes, este é um jogo ao qual vou voltar, nem que seja no intervalo de outros, para dar umas valentes tacadas na bola, em bom relaxe. Mas fico feliz que sempre que quiser algo mais desafiante dentro desta modalidade, não precise de ir mais longe pois Everybody’s Golf é para todos, independentemente da forma como o queiram jogar.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This