rdb_muchoblast_header

Mucho Blast @ Via & Musicbox

25 e 26 de Março de 2010.

Mucho Blast? O que é a Mucho Blast? A Mucho Blast é um novo colectivo de músicos e DJs portugueses do campo da música electrónica. A sua finalidade é a de organizar festas por esse Portugal fora e de dar a conhecer artistas musicais nacionais e internacionais.

A ideia para este colectivo surgiu de João Tiago e Ricardo Coelho, ambos músicos pertencentes à banda Loto, sendo que o intuito foi o de criar um projecto com uma vertente mais voltada para a pista de dança ao qual pertencessem vários artistas portugueses. Do colectivo fazem parte o projecto Cavaliers of Fun, Bullycau, Stuart, Le Rockeur Digitable e Pixxxhell. Estes rapazes querem dar a conhecer ao público o que de melhor se faz cá dentro e lá fora e, para isso, muitas das festas Mucho Blast para além dos artistas portugueses, vão contar com a presença de convidados internacionais também eles do campo da música electrónica.

As festas de apresentação da Mucho Blast ocorreram no dia 25 de Março no Via em Coimbra, e no dia 26 no Musicbox em Lisboa. Para estas primeiras apresentações foram convidados a dupla inglesa Futurecop! e o produtor Stephen Falken do colectivo francês Valerie. Ambas as festas tiveram uma grande afluência por parte do público, e isso notou-se no exterior dos espaços onde era grande o aglomerado de pessoas à espera para entrar nos clubes.

Em Coimbra a noite começou no bar Feito Conceito, onde teve lugar o warm up oficial da Mucho Blast, tendo este ficado a cargo de Stuart. O ambiente era de descontracção e de preparação para a longa noite que se aproximava. Podia-se ouvir um nu disco passando pelo funk e por um electrónico mais calmo enquanto se bebiam umas caipirinhas de cereja ou somente uns finos. Já no Via, Bullycau ficou responsável por fazer com que as pessoas que iam chegando, e se dirigiam para a pista, permanecessem nesta a dançar, objectivo concretizado.

Entre o público encontrava-se muita gente do norte do país que tinham vindo de propósito para verem os convidados desta primeira edição da Mucho Blast e também para darem o seu apoio ao lançamento deste novo colectivo. Seguiu-se Stephen Falken mas, infelizmente, depois de ter tocado apenas três temas, surgiram-lhe problemas técnicos, pelo que não foi possível a este produtor continuar a presentear o público com a electrónica muito característica da Valerie.

O duo londrino Futurecop! entrou logo em acção. Já com a casa completamente cheia, os ingleses iniciaram a sua actuação em formato live act. Era grande a reacção do público a temas desta dupla tais como Transformers, As Seen On TV ou Karate Kidz. As excelentes projecções de vídeo, que tão bem caracterizam a música dos Futurecop!, remetiam para a esfera dos anos 80 onde era visíveis desenhos animados, filmes e jogos de arcada dessa época. O fecho desta primeira apresentação ficou a cargo da prata da casa, ou seja, dos Le Rockeur Digitable que, com o clube completamente cheio até ao fecho, findaram a noite com a electrónica maximalista que lhes é característica.

No dia seguinte, era tempo de ir para sul e de realizar a segunda festa de apresentação da Mucho Blast. O clube escolhido foi o Musicbox em Lisboa e nesta festa já se pôde contar com os restantes dois nomes do colectivo que não tinham actuado na festa de Coimbra, Cavaliers Of Fun e Pixxxhell. Ora, foi precisamente este primeiro artista que deu início à noite no clube do Cais do Sodré por volta da meia-noite para uma casa ainda não muito cheia mas com um óptimo ambiente. Em formato live act, Cavaliers esteve como peixe na água no palco e a sua actuação surpreendeu até os convidados internacionais.

Como a agenda era apertada e os artistas muitos, Pixxxhell encadeava-se entre as restantes actuações, sempre num bom registo musical. Já com o clube bastante composto, Stephen Falken iniciou a sua actuação e finalmente pôde-se ouvir músicas de sua autoria, dos Outrunners e outros tantos artistas da Valerie. Já com cerca de 40 minutos de actuação, Stephen foi interrompido mais uma vez, não por problemas técnicos mas por uma operação de fiscalização da polícia juntamente com a asae e o sef, que percorria todos os bares da zona nessa noite. Este atraso retirou cerca de hora e meia à festa mas, praticamente todas as pessoas que se encontrava dentro do Musicbox anteriormente, esperaram na rua, enquanto iam buscar bebidas a outros sítios e socializavam entre si, que a fiscalização terminasse. Finalmente o clube reabriu e a casa encheu em menos de 15 minutos.

Na cabine já se encontrava Stuart mas, com a agenda ainda mais apertada, o seu set não durou mais do que uns 30 minutos. Foi tempo dos Futurecop! entrarem em acção pela segunda noite seguida, novamente em formato live act. Grande adesão mais uma vez por parte do público que até foi convidado por um dos membros da dupla para um stage dance. Mais uma vez, Futurecop! esteve à altura e presenteou o público com as suas produções sempre acompanhadas pela componente visual. A sonoridade dreamwave continuou ao longo da noite pelas mãos de Bullycau, pode-se ouvir músicas de Russ Chimes, Keenhouse sempre num registo electronic uplifting.

Coube, mais uma vez, à dupla Le Rockeur Digitable acabar a noite para uma casa cheia de gente que parecia não querer parar de dançar. Houve ainda tempo no final para um vs entre todos os membros do colectivo. Por volta das 7 horas da madrugada, ainda com o club cheio, ouviu-se a última música da noite e assim terminava a apresentação da Mucho Blast ao mundo.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This