parappa-the-rapper-remastered-listing-thumb-01-ps4-eu-06dec16

PaRappa The Rapper Remastered | Análise

O rap dos anos 90 está de volta à PlayStation...

Celebrado mundialmente como um dos jogos de ritmo que marcou uma geração de jogadores, esta remasterização marca o regresso de PaRappa the Rapper às consolas da Sony na celebração do vigésimo aniversário do primeiro lançamento na PlayStation original. Com as texturas melhoradas para correr segundo os padrões de hoje em dia no mundo das consolas, a versão remasterizada permite não só aos saudosistas reencontrar uma das personagens mais icónicas da PlayStation como ainda introduzir as novas gerações a este jogo de ritmo. Nos idos anos 90, PaRappa the Rapper era um jogo de vanguarda que abria muitas portas para o seu género e o estilo bidimensional destas personagens, a cantar música rap num mundo 3D, foi uma novidade que cativou muita gente. E se o estilo era muito característico e peculiar na altura, celebrado com a onda de rap que brilhava pelas rádios da década de noventa, hoje em dia torna-se nostálgico e continua a resultar, de uma forma muito bem conseguida, visualmente. Desenvolvido em parceria com o lendário músico de multimédia Masaya Matsuura e o famoso artista de Nova Iorque, Rodney Greenblat, PaRappa the Rapper regressa agora com todas as músicas e personagens do jogo original, gráficos em alta resolução, qualidade de som CD e troféus.

PaRappa the Rapper Remastered é um jogo de ritmo, com melodias e letras muito peculiares que retratam situações tão comuns como cozinhar, conduzir um carro ou ganhar dinheiro a vender mercadorias… Todas elas músicas muito originais e que funcionam de uma forma viciante que entra pelo nosso ouvido e se mantém durante largas horas a tocar na nossa cabeça. O que mudou desde que PaRappa The Rapper chegou ao mundo dos videojogos, desde os anos 90 até hoje, restringe-se ao facto do género dos jogos de ritmo ter evoluído de tal maneira e de tantas formas diferentes e bem sucedidas que este que foi outrora um jogo muito original, surge agora com mecânicas que parecem já algo datadas e pouco conseguidas. A evolução no género acaba por tornar por demais evidentes as lacunas deste jogo para os dias que correm. A jogabilidade caracteriza-se por as personagens que cantam com PaRappa, os mestres, entrarem primeiro com as suas linhas de rap para o jogador, logo depois, apenas ter que repetir o verso ou uma versão semelhante ao que elas cantaram, utilizando combinações de teclas de entre as seis que faziam parte do DualShock original.

Apesar de simples, a verdade é que a jogabilidade é também lenta, e pouco específica relativamente ao que o jogador deve fazer ou ao ritmo em que terá de executar as suas acções. O pior é mesmo o facto de em momento algum o jogo mostrar ao jogador aquilo que fez bem ou o que fez mal, o que deve continuar a fazer ou o que deve corrigir. Acertar as primeiras melodias até nem é muito complicado, mas a tarefa complica-se a partir do momento em que saímos da jogabilidade restrita ao modo Easy e entramos na dificuldade Normal. Conseguir um nível de combinações Cool torna-se praticamente impossível nesta remasterização e tenho a sensação de que não era assim tão complicado nos anos 90, quando este jogo conheceu o seu lançamento original e o joguei na PlayStation de amigos. Este facto pode ter alguma coisa a ver com o próprio port e com as taxas de conversão das televisões actuais que são totalmente diferentes daquelas que existiam na década de noventa. Falhanço atrás de falhanço, PaRappa The Rapper Remastered leva o jogador a uma inevitável frustração que fará desistir até o jogador mais saudosita.

PaRappa2_1490915267

Não obstante, o estilo de arte que caracterizou PaRappa The Rapper continua presente nesta remasterização e a dimensão que ganha com as novas texturas HD assenta-lhe na perfeição. As cores sobressaem e fazem vibrar os modelos 3D das personagens que agradarão sobretudo aos mais novos, graças ao facto de as personagens serem todas animais ou vegetais, com um desenho muito alegre. A narrativa é também ela muito bem disposta, sem grande profundidade é certo, mas que nos conta a evolução de um zé-ninguém para herói do hip-hop. Isto claro, contando com a ajuda de todas as personagens que vai encontrando e que vão desde uma galinha chefe de cozinha, a um camaleão comerciante, um alce agente da polícia ou até uma cebola que é mestre de um dojo.

A verdade é que o charme de PaRappa The Rapper continua presente nesta versão remastered, conseguindo passar o teste do tempo graças ao seu estilo artístico que ainda continua muito original e cuja actualização nas texturas lhe assenta muito bem. Estamos a falar de um jogo que abriu portas a grandes jogos de ritmo como Guitar Hero ou Rock Band, mas que face aos níveis de hoje no género já falha em alguns aspectos. Os problemas na conversão para os novos equipamentos parece ter deixado PaRappa the Rapper com alguns problemas técnicos que poderão ser complicados de ultrapassar. Não obstante, os mais saudosistas e fãs desta série da PlayStation não deixarão de parte a hipótese de ver esta icónica personagem na sua PlayStation 4.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This