pf2_header

Portugal Fashion Fall Winter 2012/2013 | Dia #3

Com as expectativas ao rubro, foram muitos os que acorreram à Alfândega neste terceiro dia, 23 de Março. Entre looks mais ousados e alguns mais contidos, a moda fez-se dentro e fora da passerelle

“LIV” by Fernando Lopes e Hugo Veiga
A jovem dupla de criadores volta a surpreender. Com uma estética inspirada no Rugby e um look muito sporty, os azuis e amarelos predominaram, criando silhuetas femininas bastante delineadas e fortes. Detalhe: a abertura do desfile ficou a cargo de um elemento masculino bem equilibrado em cima de umas botas de plataforma que faria inveja a muitas cheerleaders desse mundo fora.

“Autopsy” by Jordann Santos
Jordann Santos trouxe ao público “La Hire”, uma colecção de presença forte, com traços que remetem ao universo medieval. Entre brocados de seda, napas, malhas, sarjas e algodões, onde as cores predominantes se situavam no preto, verde, azul, castanho e khaki, as formas estruturadas das peças conseguiam o equilíbrio perfeito entre uma mulher guerreira e ao mesmo tempo dotada de uma doce e peculiar sensibilidade. Destaque para as saias compridas, de corte irrepreensível.

Diogo Miranda
Diogo Miranda repartiu a sua colecção em duas fases distintas: “Self Service” e “Fever Nights”. A primeira adoptou uma estética clean e algo minimalista, onde pequenos detalhes de brilho ofereciam a personalidade necessária às peças, que se mantinham entre o cinza-prata, o branco, o preto e o azul-marinho. No que diz respeito a “Fever Nights”, uma evocação do disco dos anos 70, os tecidos brilhantes, como o cetim, misturados com lantejoulas, decotes acentuados e pernas cobertas por meias de rede, acentuaram o glamour revivalista.

Cláudia Garrido
Diaghliev foi o mote da colecção, inspirada no Ballets Russes. Com preto e cinzento escuro no domínio da paleta cromática de malhas tricotadas e gangas, a sobriedade conseguiu uma pontuação muito alta.

Teresa Abrunhosa
Apresentada no Espaço Bloom, a colecção de Teresa Abrunhosa captura a silhueta feminina dos anos 50, aliada ao forte sentido de personalidade das mulheres fotografadas por Helmut Newton. A reter: peles com recortes a laser, cetins, apontamentos em dourado e um foco no preto, cinza, bordeaux e verde.

Luís Buchinho
Depois da apresentação da linha de knitwear, Luís Buchinho esteve presente na 3ª noite do Portugal Fashion com uma colecção inspirada na Calçada Portuguesa. Preto, azul marinho, tonalidades pedra e branco, em linhas gráficas e femininas, com um toque casual e urbano que consegue conservar a elegância até aos mais pequenos detalhes das peças. A salientar as cinturas marcadas, as calças cigarro e os casacos de corte mais masculino.

Daniela Barros
Presença já comum no Espaço Bloom, Daniela Barros trouxe consigo “Akkadian”. Esta colecção evidencia a personalidade feminina no seu contraponto existencial: subtileza com austeridade. Longas mangas, chapéus de feltro e silhuetas estruturadas e geométricas em tonalidades marcadas por azuis escuros.

“TM COLLECTION” by Teresa Martins
Um dos desfiles mais surpreendentes em toda a história do Portugal Fashion. Teresa Martins apresentou a sua colecção recorrendo a um grupo de bailarinos (coreografia a cargo de xpto), fugindo ao tradicional desfile do passo-passo-pose. A estranheza de alguns olhares foi-se dissuadindo ao fim de alguns minutos e o final teve direito a uma ovação memorável. As cores fortes, como o laranja e o ocre, sobressaíram em misturas de sedas com fazendas e pashminas, criando identidades originais e únicas, onde não faltaram bordados e estampados.

Hugo Costa
“Apache” e a sua estética inspirada nos nativos indígenas norte-americanos revelou-se uma colecção bastante forte, onde o cariz nómada e artesanal se aliou à reutilização de matérias. Silhuetas essencialmente flexíveis e confortáveis misturadas com alguns materiais mais rígidos.

Miguel Vieira
Para Miguel Vieira o Fado também se pode vestir. E a prova concreta esteve nesta nova colecção onde crianças, homens e mulheres tiveram o seu espaço. Encontramos tecidos nobres em cortes de alfaiatarias (para eles) e silhuetas de ampulheta, com cinturas muito demarcadas (para elas). Nada foi deixado ao acaso: as peças de vestuário foram complementadas por calçado, carteiras, malas e joalharia.

Sem dúvida uma noite em que a fasquia do design de moda ficou bastante elevada.

Fotografia por Pedro Castro. Galeria fotográfica aqui.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This