Rainy Days Factory | Entrevista

Rainy Days Factory | Entrevista

Conversámos com a banda, que actua hoje à noite na Caixa Económica Operária

Surgidos dos DIVA, os Rainy Days Factory, são uma banda cujo trajecto já está com alguns quilómetros percorridos. Surgem-nos agora com um novo álbum, cujas temáticas etéreas dão mote á sua essência. “Ocean of Tears” é a materialização do sonho alcançado. Conversámos com o guitarrista, Pedro Solaris.

Gostaríamos que se apresentassem como colectivo, para termos uma breve noção da vossa formação.

Os Rainy Days Factory são constituídos pelos seguintes elementos: Óscar Coutinho, vocalista e baixista, João Vitorino, baterista e Pedro Solaris guitarrista. Começaram a ensaiar uns meses antes de o colectivo decidir avançar para a gravação do primeiro EP “it’s your time”. Este EP foi gravado ao vivo na Fábrica da Pólvora no ano de 2011 e durante um fim de semana bastante chuvoso. A gravação e produção estiveram a cargo do amigo Amândio Bastos. O local e a chuva determinaram a escolha do nome da banda

Qual o vosso percurso até este novo álbum “Ocean of tears”?

Passou cerca de ano e meio desde o primeiro EP, lançado no início do ano de 2012 até ao lançamento no mês de Setembro de 2013 do álbum “Oceans of tears”. Neste espaço de tempo foi efectuada uma pequena “tour” onde o colectivo apresentou os quatro temas do EP e rodou outros temas que viriam a ser gravados no “oceans of tears”.

Sendo uma banda formada por elementos vindos de outros projectos, que contributos consideram importantes para os Rainy days factory?

Os três elementos dos RDF são oriundos e fazem parte de uma outra banda denominada Diva, constituída pela vocalista Natália Casanova, António Freire, guitarrista e Paulo Miguel nos teclados. As duas bandas sempre escolheram caminhos alternativos, sendo que os sons etéreos são sinónimo comum. Ao vivo comungam e privilegiam o contacto com o mundo dos espíritos, fazendo de qualquer espetáculo uma cerimónia que nos transporta numa viagem a outro mundo

Quais as espectativas para este novo trabalho editado pela “Ethereal sound works” e de que forma as editoras ajudam a promoção e a “vida” das bandas e seus “frutos”?

 

Foi o Gonçalo João da editora Ethereal Sounds Works, quem propôs a edição do álbum “Oceans of tears”. Em boa hora o fez, pois o repto foi de imediato aceite pela banda. Editoras como a ESW fazem toda a diferença para colectivos como os RDF, pois possibilitam a todos os músicos que delas fazem parte o reconhecimento dentro e fora de portas dos trabalhos realizados.

O concerto de lançamento na Caixa Económica Operária, com a curadoria de “A Comissão”, traz algumas surpresas para o público que vai assistir ao evento?

O espectáculo de apresentação do “Oceans of tears” no dia 5 de Outubro na Caixa Económica Operária mostra como a música feita em Portugal pode ser trabalhada e divulgada com enorme prazer para todos os intervenientes. Todos os elementos d’ A Comissão partilham da mesma paixão pela música alternativa que os RDF. A sala evoca outras salas já desaparecidas, mas não deixa os espectadores e músicos indiferentes a uma série de pormenores arquitectónicos que convidam a um mergulho numa filosofia de vida, através da qual as pessoas buscam equilíbrio, conhecimento, tranquilidade, bem-estar físico e espiritual. Como convidada especial desta cerimónia, os RDF vão partilhar o palco com Ana Teresa Santos, que vai cantar o tema denominado «Lost Boys».

É ainda sabido que o vosso vídeo “Oceans of tears” foi Vencedor de 2º Melhor “48 Hour Music Video Project Lisboa 2013”, vencendo também nas categorias de Melhores Efeitos Especiais e Escolha do Público. Que querem acrescentar a estes factos e de que forma isto é uma mais-valia na vossa carreira?

 

O video do tema «Oceans of tears» foi realizado durante o concurso do Lisbon’s 48h Music Video Project 2013 tem os seguintes créditos: Direcção de Ana Camões; Christian Tanto; Joana Ideias; Jules Spaniard Raimes , editado por Christian Tanto, efeitos visuais por Jules Spaniard Raimes e Produção de  Ana Camões. Eventos como este possibilitam a produção de vídeos de enorme qualidade e ainda apoiam a divulgação da música feita em Portugal.

Os Rainy Days Factory actuam logo à noite (5 de Outubro) na Caixa Económica Operária, em Lisboa.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This