Rotas do Vento

Conheça uma agência de viagens um pouco diferente do que é habitual. Que tal passar uma semana no Nepal de elefante e de jangada?

Quando pensamos em férias e num destino para gastar o dinheiro que andámos a poupar durante todo o ano, encontramos um vasto leque de opções. Por um lado podemos escolher aqueles destinos que estão mais na moda ou que estão em promoção (Tunísia, Egipto, Cabo Verde) ou, se quisermos praia, sol e margaritas podemos sempre ir para o México, para Cuba ou para as Maldivas (os que podem). Quem não quer só sol mas quiser muita cultura citadina, tem dezenas de capitais europeias para descobrir, com os mais variados programas e preços. Se mesmo assim não encontrar um destino que realmente valha a pena estourar o seu dinheirinho, nós aqui na Rua de Baixo encontrámos a solução: Rotas do Vento, a verdadeira alternativa do viajante.

As Rotas do Vento representam um estilo de viagem singular dirigido para pessoas que procuram a aventura que os outros só conseguem sonhar. No catálogo podem encontrar programas de férias diferentes do habitual, concebidos para todos os que têm um genuíno espírito de viajante. São férias activas, em pequenos grupos, percorrendo zonas de grande beleza natural e contactando com outras culturas em locais longínquos, tais como o Nepal, Tanzânia, Tibet, Quénia e muitos outros locais.

As Rotas do Vento foram fundadas em 1992 por Gonçalo Velez que, após largos anos de actividade a percorrer diversas serras portuguesas e estrangeiras, decidiu criar programas para pessoas sem experiência, mas que fossem amantes da Natureza e tivessem um forte desejo de passar umas férias diferentes. Todos os programas são concebidos pela própria agência o que é muito importante pois, como portugueses, conhecem as especificidades do público e planeiam itinerários que lhe são acessíveis, não só em termos físicos como em termos culturais.

O catálogo é muito vasto e conta com vários tipos de programas, desde passeios de fim-de-semana em Portugal, até às maiores expedições no Nepal. Os programas estão classificados pelo nível de dificuldade física que pode ser bastante desgastante em alguns casos mas que será sem dúvida compensadora quando os objectivos forem alcançados. Obviamente que o preço varia imenso consoante o destino e programa escolhido e pode ir desde os 28 Euros para um passeio pela serra da Arrábida até aos 3600 Euros para uma viagem até ao Butão de 17 dias mesmo no coração dos Himalaias, para conhecer o reino Tibetano.

Todos nós gostamos de sol e mar num qualquer paraíso tropical, mas não será mais interessante ir a lugares e conhecer povos que muitos poucos conhecem, numa aventura que serve como desafio pessoal, onde os nosso limites são colocados à prova?

Parece que já estou a vislumbrar a primeira RDB Trip … Nepal ou Vietnam? Aceitam-se inscrições :)



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This