rdb_space2010_header

SPACE

Um clube de uma galáxia não muito distante.

A analogia é óbvia e imediata, a palavra Espaço transporta-nos (ou teleporta?) para o imaginário sci-fi na última fronteira. 2001 foi meta estabelecida na década de 60 por Arthur C. Clark e Stanley Kubric quando colocaram a raça humana em rota com Júpiter. Mas a odisseia não acaba aí, 2010, 2061 e 3001 são sequelas, por vezes esquecidas, que não chegaram ao cinema, vivem na palavra escrita e contam como etapas.

Space e Lisboa são as coordenadas do clube situado no número 12 da rua Isabel Saint-Léger, em Alcântara. Dia 27 de Novembro de 2010 a data de abertura.

Para Filipe Caetano “abrir um clube foi uma continuação de um caminho que aqui teve o seu culminar. Estando envolvido em diferentes produções e projectos durante os anos fez-me querer chegar a um ponto onde, não tendo que prestar contas se não a mim próprio, desejo que ideias minhas, e de terceiros, tenham uma incubadora para poderem ser desenvolvidas.”

As produções e projectos mencionados por Filipe (ou em versão DJ, Flip) começaram nos Açores e incluem a dupla Double Damage, a meias com Rodrigo Von Schanderl (também conhecido como Cpt. Luvlace), parte integrante do colectivo D.I.S.C.O.Texas que faz a ponte do arquipélago com o continente através dos restantes membros: Bandido$, Moullinex, Xinobi e Rockets.

O vazio deixado pela antiga discoteca Domus propiciou a oportunidade: “já tinha conhecido o lugar anteriormente enquanto espaço de produções eventuais mas não reunia minimamente as condições que creio serem as necessárias para funcionar. Desde aí mantive-me em contacto com quem o explorava e, no final do verão, apareceu a oportunidade para pegar no espaço e assim foi. O primeiro objectivo foi criar um local objectivo e cru, que depois pudesse ir-se modificando conforme a ideologia da casa e do público”.

No space cabem actuações DJs, concertos e outro tipo de eventos, a versatilidade das opções é reafirmada pela programação que é definida por Filipe (coadjuvado pelo já mencionado Rodrigo Schaderl e Yari Marjamaki) como “Equilibrada”, pois “a ideia é conseguir valores do passado com apostas no futuro. É a versatilidade entre algo introspectivo e algo explosivo. Entre aquilo que gostamos e aquilo que respeitamos. Entre o eficaz e o praseiroso. Acima de tudo é feita para não cair em rótulos e não seguir nenhuma caminho para além o da qualidade, nos diferentes segmentos em que apostamos”.

Resistido à rotulação, mas colocando um tag o Space é um clube atento ao zeitgeist. A verdade está lá dentro.

Fotografia por Flashead.com



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This