“Como apanhar uma estrela” | Oliver Jeffers

“Como apanhar uma estrela” | Oliver Jeffers

Poema ilustrado de um sonho

Quando olhamos para as fotografias que Oliver Jeffers vai publicando no seu site e página do facebook, tiradas no momento em que um dos seus livros está em «full swing» – nas palavras do próprio -, não é difícil encontrarmos semelhanças com o estúdio do pintor Francis Bacon, ainda que com um pouco mais de ordem e limpeza.

Oliver Jeffers é um artista completo: faz pintura figurativa, dedica-se a instalações, concebe livros, ilustra e inventa histórias dedicadas aos mais pequenos. Neste último campo, o autor australiano tem já uma série de livros publicados no nosso país, onde se inclui a edição recente de “Como apanhar uma estrela” (Orfeu Negro, 2013) – da recomendada colecção Orfeu Mini -, que representou a estreia de Jeffers na escrita e ilustração de livros para crianças.

“Como apanhar uma estrela” | Oliver Jeffers

Nesta história, com uma linha narrativa mais clássica do que encontraremos em livros posteriores como “Este Alce é meu” ou “O incrível rapaz que comia livros”, seguimos os passos de um rapaz que gostava muito de estrelas. Um amor tão grande que, para muitos olhos, poderia ser visto como uma estranha obsessão. Todas as noites o pequeno ia para a janela observar as estrelas acreditando que, dentro de pouco tempo, teria uma só para si, para brincar às escondidas e a outras coisas divertidas.

Um dia, passou da contemplação à acção e partiu em busca de uma estrela. Quando avistava uma no céu tudo fazia para a agarrar: trepava ao cimo das árvores, saltava o mais alto que conseguia, pedia ajuda a gaivotas, tentava usar bóias e foguetões, mas nunca conseguia alcançá-la. Até que, numa noite em que o desânimo parecia instalar-se, descobriu uma estrela dourada a flutuar.

Com ilustrações magníficas onde a aguarela e o lápis de cera parecem andar de mãos dadas, deixando sempre a ideia de um traço inacabado, Oliver Jeffers oferece aos mais novos um poema visual sobre o sonho, que abre caminho a diversas interpretações adultas, entre o não haver impossíveis na vida ou a necessidade de reajustar os desejos à realidade. Interpretações à parte, numa coisa certamente todos irão concordar: sem o combustível do sonho, a vida seria tremendamente aborrecida e pouco desafiante.

Outros títulos de Oliver Jeffers na Colecção Orfeu Mini:

Este alce é meu | Presos | Sobe e desce | Perdido e achado | O coração e a garrafa | O incrível rapaz que comia livros



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This