8 ½ FESTA DO CINEMA ITALIANO

Festa do Cinema Italiano

Um leve pout-pourri cómico dramático

Passatempos: “PULCE NON C’É” // “I PRIMI DELLA LISTA” // “A.C.A.B. ALL COPS ARE BASTARDS”

Reportagem (em actualização)

Entre os dias 12 e 28 de Março Lisboa volta a receber mais uma edição do 8 ½ Festa do Cinema Italiano. Este ano celebra-se a sexta edição do evento, cujo principal objectivo é trazer a terras lusas uma selecção do que de melhor e mais relevante se produziu em Itália durante a última temporada.

A marcar esta edição, logo desde início, está a passagem do evento para as salas do Cinema São Jorge. Estas receberão ao longo de oito dias longas-metragem (em competição e fora da mesma); o Ciclo Focus: “Mani in Alto!”, que fará uma retrospectiva ao cinema de género italiano da década de 70; o Ciclo Amarcord, que celebrará os cinquenta anos de duas das maiores obras do cinema italiano; a primeira secção de Altre Visioni (uma das grandes novidades deste ano), que se dedicará a obras que reflictam uma abordagem singular à linguagem cinematográfica.

Haverá ainda tempo e espaço para a música, para a exibição de uma selecção de curtas de Alessio di Zio, para encontros, festas, cine-jantares e cine-aperitivos.

Depois da entrega de prémios, onde é dado ao público espaço para demonstrar as suas preferências, através do prémio do público, o 8 1/2 começará o seu processo de itinerância. Muito por causa do seu grau de aceitação, um pouco por todo o País, este ano a Festa chegará, novamente, a Coimbra, ao Funchal e ao Porto. Pela primeira vez será recebida na cidade de Loulé, no Algarve, e terá a sua primeira incursão no circuito internacional, voando até Luanda, em Angola.

Na secção Competitiva, o público poderá encontrar sete novos filmes, na sua maioria primeiras ou segundas obras de autores italianos. Segundo a organização da Festa, estas obras cinematográficas foram seleccionadas pela sua ousadia e capacidade expressiva, afirmando-se através da sua competência e desejo de fazer Cinema de qualidade. De frisar ainda que todos eles se destacam pela inovação a nível de conteúdo e de linguagem. Constam desta secção filmes como: “Bellas Mariposas” de Salvatore Mereu , “Gli equilibristi” de Ivano de Matteo, “I primi della lista” de Roan Johnson ou “Il futuro” de Alicia Scherson

Panorama é uma selecção de longas-metragens que ao longo do último ano foram aplaudidas pelo público e pela exigente crítica internacional. Um Cinema que prima pela sua qualidade e originalidade a nível artístico e que se recusa a escolher elites. Salientam-se os filmes de Guiseppe Tornatore, “La migliore oferta”, com um extraordinário Geoffrey Rush e de Pablo Genovese, “Una famiglia perfetta”, com um delirante Sergio Catellitto, “L’intervallo” de Leonardo di Constanzo, e ainda “Romanzo di una strage” de Marco Tullio Giordana.

Na secção Amarcord os cinéfilos poderão visualizar três obras que fizeram a História do Cinema italiano. Duas delas chegam a ser consideradas, por muitos, dois clássicos imprescindíveis do Cinema universal e este ano comemoram os cinquenta anos de deleite proporcionado aos amantes da sétima arte. São elas: “8 ½” de Federico Fellini, “Il gattopardo” de Luchino Visconti e “La guerra dei vulcani: Bergman and Magnani” de Francesco Patierno.

Para os que apreciam os autores cinematográficos cujos trabalhos são marcados por uma abordagem estética audaz e pelo desenvolvimento de uma poética singular, levam o público a colocar questões sobre o método de pensamento e criação, poderão encontrar quatro exemplos marcantes na secção Altre Visioni.

A Festa contará com a presença de cinco convidados internacionais, entre eles Alessio di Zio, um jovem realizador autodidacta que rapidamente foi considerado como uma das mais belas surpresas do novo Cinema italiano. O cineasta estará por Lisboa, entre 26 e 28 de Março, para apresentar três das suas obras: “La Famiglia dell’orco” (2012); “Appunti per un film su Rodolfo Valentino” (2012) e a premiada “Le Favole di Casimiro” (2012). Todas elas serão apresentadas no dia 26 de Março. Salvatore Mereu estará presente na exibição da sua mais recente obra, “Bellas Mariposas”. Estarão ainda presentes os realizadores Francesco Vairano, Marco Tullio Giordana e Paolo Genovese,

Não serão apenas exibidas as curtas-metragens de Alessio di Zio. Ao longo dos oito dias serão ainda projectadas nas salas do Cinema São Jorge mais seis curtas de diferentes autores, na secção Il Corto.

Dopo le 8 1/2 é uma secção dedicada aos eventos culturais e sociais realizados em paralelo com a programação oficial. Entre a festa de abertura no dia 20 no Miradouro Portas do Sol e a Festa de Encerramento dia 28 no Ritz Club, é de destacar o concerto dos Calibre 35, uma banda que pretende levar os amantes do Cinema numa viagem pela contagiante atmosfera policial da década de 70. É também de destacar o Workshop de Lomokino promovido pela Embaixada Lomográfica e a exposição de cartazes de filmes que contam a História de uma parte do Cinema italiano que, ainda hoje, leva muitos às salas de Cinema. Há ainda duas festas no Teatro do Bairro e os famosos Cine-Aperitivos.

Qualquer festa que se preze tem sessões especiais agendadas. Esta não é excepção e coloca no seu calendário quatro sessões bastante diferentes. Por entre as quais, encontra-se a projecção no Hotel Tivoli de uma das mais reconhecidas obras de Luchino Visconti, a adaptação do romance homónimo de Thomas Mann que será dada a ver e a rever – “Morte a Venezia”, uma indulgente e romantizada elegia à nobreza do amor homossexual.

É uma Festa que agradará certamente a gregos e a troianos pela sua diversidade e oferta. Novos nomes, velhos rostos. Uns atrás das câmaras e outros em frente às mesmas. A sexta edição do 8 1/2 Festa do Cinema Italiano é um leve pout-pourri cómico dramático.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This