Lemur

Novo EP editado pela Merzbau.

Em mês de aniversário, a Merzbau, para além das duas festas organizadas em Évora e Lisboa, deu-nos mais uma “prenda”, com a edição do mais recente trabalho dos alfacinhas Lemur. Este novo EP (sem título) vem consolidar a posição da banda como uma das mais interessantes no segmento “indie-rock-instrumental”. Fiquem a conhecê-lo um pouco melhor nos parágrafos seguintes e passem pelo site da Merzbau e saquem-no. Não custa mesmo nada!

Com apenas um CD-R editado (em 2004), a banda lisboeta formada por Vasco Furtado (bateria), João Brandão (guitarra, baixo), João Marques (baixo, guitarra) e Pedro Rodrigues (violoncelo, teclas), já conta no seu CV com muitas actuações ao vivo, que lhes têm dado uma crescente maturidade e consistência. Este novo EP é o resultado dessa mesma experiência de palco e o registo é bastante semelhante àquilo que a banda faz em cima dele.

Embora muitas vezes exista a tendência para “adjectivar” em demasia um determinado projecto ou sonoridade, no caso dos Lemur é bastante simples definir a música que praticam: indie rock instrumental. Ambientes intensos, instrumentos em total harmonia, alterações de ritmo imprevisíveis, com piques extraordinários. Esta é a música dos Lemur, que está disponível para todos no site da Merzbau (nunca é demais relembrar).

Este novo EP é composto por 4 temas, todos eles sofrendo das mesmas premissas (já referidas no parágrafo anterior). Abre com «Spikes and Nails», onde lá pelo meio podemos desfrutar de um notável duo bateria/guitarra, prossegue com «Cell’s Cleavage», menos exuberante mas também muito “densa”, continua com «Tarrafal», a faixa mais extravagante e enigmática do registo, terminado em apoteose com «Escape from Alamut», em seis minutos de explosão sonora.

É também bastante curioso analisar os nomes dos temas deste registo. Estaremos perante um disco conceptual sobre prisões e edifícios semelhantes? «Tarrafal» é o nome de um local em Cabo Verde onde em tempo de guerra colonial existia uma das mais importantes prisões do regime. «Alamut» é o nome de uma fortaleza no Irão, baptizada de “fortaleza da fortuna” após a chegada de Bin Sabbah, o Bin Laden no início do milénio. «Cell’s Cleavage» & «Spikes and Nails» têm também uma clara ligação ao “universo” prisional. As próprias faixas, se virmos as coisas por este prisma, podiam muito bem fazer parte da banda sonora de um motim. Talvez sim, talvez não. É só mesmo uma interpretação.

O melhor mesmo é tirarem vocês próprios as vossas conclusões. O EP dos Lemur está disponível para download gratuito no site da Merzbau. Passem por lá e conheçam mais um excelente projecto da música nacional.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This