rdb_kanyewest2010_header1

“My Beautiful Dark Twisted Fantasy”

Kanye West.

Muitos foram já os elogios tecidos ao sucessor de “808s & Heartbreak”. Da adjectivação, que também faz andar West nas bocas do mundo, de “megalómano” a “provocador”, entre algumas mais, o músico vem agora à tona nas mais (re)conhecidas edições de crítica musical pelo resultado do seu último trabalho.

“My Beautiful Dark Twisted Fantasy” é, sem qualquer sombra de dúvida, uma das grandes fantasias, prestes a virar realidade, na carreira do músico. E se há uma fonte de inspiração para o sucesso ela vem em trio, e é o músico quem as refere: Gil Scott-Heron, Nina Simone e Maya Angelou, que admira e de quem bebe influências.

Ao quinto trabalho o rapper norte-americano consolida a crítica mais destoante. São 13 músicas que contam com colaborações distintas e onde apraz destacar, entre outras, as presenças de Jay-Z, John Legend ou Bon Yver.

Talvez o que faça Kanye um dos destaques da pop mainstream no ano corrente seja mesmo a capacidade demonstrada na concepção de um produto que vai para além do invólucro polémico – da autoria de George Condo – em que será (talvez muito) vendido.

singles com potencial capaz para catapultar o recente disco numa atmosfera rítmica de forte solenidade, letal e ao mesmo tempo abrangente, que abre porta à transposição dos discursos ora monolíticos,  carregados de barreiras sociais, ora gigantescos pela linearidade deliberada que reforça muitos dos escapes possíveis à vivência de alguns dos Bairros-Metrópoles-Problema, desde Harlem a Queens.

E tal como o país que lhe permitiu a libertação da índole sónica, também West é competitivo ao ponto de reunir num só produto registos que lhe impulsionem a criação e ideias. Do prog rock injectado pelo primeiro single de apresentação «Power» (com samples da faixa «21st Century Schizoid Man» dos ingleses King Crimson), passando pela apresentação de «Runaway», com curta-metragem incluída, ou «Monster», onde as participações de Rick Ross, Jay-Z e Nicki Minaj, sem esquecer os já mencionados Bon Iver com Justin Vernon a conferir alguns pincelados da cena folk ao tema.

Mas, muito mais vultos da pop ajudam na fantasia de Kanye. Alicia Keys, Fergie, Rihanna ou Elton John, todos a contribuir, com as suas particularidades, para o que já muitos consideram a real “obra-prima” de Kanye West.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This