Rich Kids of Instagram

Rich Kids of Instagram

Nas redes sociais, todos podemos publicar (quase) tudo. Quem tem, ou vai herdar, “partilha” jactos, carros de luxo ou ilhas privadas

Aparentemente alheado da polémica que se instalou com o Instagram a propósito de através do Facebook as imagens tornarem-se facilmente partilháveis, o tumblr Rich Kids of Instagram continua em alta. É de fonte segura: a última vez que verificámos a sua existência, havia uma foto com dois Rolex… num só pulso.

Meninos ricos do Instagram

A sua criação foi logo um caso de sucesso mediático na rede social. Estava-se no início do Verão de 2012. Vale a pena debruçarmo-nos sobre as referências aos Rich Kids of Instagram na imprensa norte-americana.

Logo após o seu surgimento, já a revista digital Business Insider lhe dedicava parte da sua atenção. Não pelos melhores motivos, pois, tal como outros media norte-americanos, descobria estupefacta que os herdeiros das maiores fortunas do País pavoneavam o seu status sem nenhum pudor ou modéstia. A América estava chocada. Enquanto se deliciava – “silver spoon voyeurism”, como alguém tão bem disse.

Tiffany, herdeira de Donald Trump, mostrava fotos tiradas do avião da família. O apelido Trump a cobrir praticamente toda a aeronave. Noutra imagem, Barron Hilton, sem a famosa irmã, passeava-se na praia com companhia feminina e de copo na mão. Champanhe, talvez – a bebida que parece ser obrigatória no meio. Entre os vários apreciadores, há mesmo um que deixa Las Vegas num jacto particular acompanhado de uma garrafa de Dom Pérignon enorme.

A mesma estranheza, o mesmo choque, depreende-se do artigo que o insuspeito Huffington Post lhes dedica. A jornalista confessa que de início pensou tratar-se de imagens manipuladas e que tudo não passava de uma brincadeira com recurso ao Photoshop. Gradualmente, apercebe-se de que este é realmente o estilo de vida dos muito ricos, na sua aparente normalidade. Pelo menos, o dos seus herdeiros.

O Mail Online, em 16 de Agosto, também dedica algum espaço a comentar o Verão louco dos meninos ricos do Instagram. Perante nós desfilam Ferraris, mansões e o inevitável Dom Pérignon. Há uma conta, em Saint-Tropez, com uma despesa de 13 020 euros em caviar Beluga, entre outros mimos que perfazem a totalidade de 107 524 euros. Mas atenção ao jovem que mergulha nu – em caso de denúncia, serão os Rich Kids banidos do Instagram.

Foi o que aconteceu a Daniel Arnold, que já era reconhecido como um dos expoentes da arte do Instagram. Acabou banido por partilhar uma foto de duas mulheres em top less. Nem o rótulo de arte o livrou das normas restritas da rede social. Para o Gawker, que relata o caso, o Instagram não serve só para partilhar o pôr-do-sol e meninos ricos em festas – é um veículo por excelência para a arte contemporânea.

Richard Koci Hernandez, fotojornalista credenciado, vencedor de um Emmy e duas vezes nomeado para o Pulitzer, vê no Instagram a nova linguagem fotográfica e a mais fiel à realidade deste nosso tempo. Que é também o tempo dos meninos ricos, mas não só, no Instagram encontra-se do humor ao amor, da nostalgia ao futurismo. Do melhor e do pior, como na vida real. (Há quem partilhe Instagram de unhas!)

Quanto aos meninos ricos e à sua vida real(?), o debate impõe-se. Deveria a exibição de porno-chic ser classificada “Só para adultos”? Porque aqui o pornográfico não é o jovem que mergulha nu, bem entendido, é a conta do Beluga em Saint-Tropez.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This