rdb_soar_header

Soar

What you get is what you see

Para Tim Soar, a moda é um meio de comunicação visual. Simples e irreverente. Ímpar e provocante.

Com um estilo muito próprio, Soar revela-se inovador e provocante. Assumidamente influenciado pela cultura londrina, o próprio afirma que a cidade de Londres o influencia a todos os níveis.

Artista das mais diversas vertentes, Tim Soar começou a sua carreira criativa, nos anos 1980, como designer gráfico, na área dos interiores, pela mão do famoso designer Neville Brody. Após esta colaboração, Soar seguiu para a indústria da música, na qual se tornou DJ. Mais tarde, fundou a agência de consultoria de música “Music Concrete”, tendo colaborado com várias marcas como Ian Schrager Hotels, Adidas e Fendi.

Em 2005, Soar criou a sua própria marca, a qual teve, desde logo, enorme sucesso. A moda irrompeu, na vida de Tim, como uma nova linguagem criativa, baseando-se o conceito e design das suas colecções, na sua vasta experiência criativa na indústria da música, design gráfico e de interiores.

As colecções de Soar surgem como uma conjugação interactiva e verdadeiramente inspiradora de várias plataformas. O seu estilo define-se como uma brand masculina com contornos de alfaiataria, muito bem executada, que mistura minimalismo, sportwear e tecidos invulgares.

Presente, desde 2009, na London Fashion Week, o seu trabalho está actualmente disponível em inúmeros países dos vários continentes. Tim Soar é considerado um dos designers mais em voga na actual cena londrina de moda masculina, desenhando e criando para o homem moderno, de forma inteligente e luxuosa.

Tim Soar tem colaborado com vários estilistas como Linda Farrow, com quem desenhou uma linha de óculos de sol; Christopher Raeburn, com quem desenhou um conjunto de peças leves,  produzidas a partir de pára-quedas militares reciclados; e Atsuko Kudo, estilista japonesa pioneira na criação e fabrico de roupa de alta-costura em látex, que concebeu algumas belas peças de alfaiataria em látex para a colecção de Soar.

Recentemente, colaborou com a Topman, brand masculina da Topshop, na reinterpretação de uma peça cada vez mais obrigatória do closet masculino: o trench coat. Para comprovar que a elegância e sofisticação não são atributos exclusivos da mulher, vários estilistas, para além de Tim Soar, foram convidados a criar uma nova versão do mítico trench coat: Mihara Yasuhiro, B Blessing e Alister Mackie.

Soar apostou numa abordagem minimalista e única que originou um trench de nylon verde-azeitona com elástico nos punhos, e um zipper preto no verso, que aumenta o volume da peça.

A colecção Outono|Inverno 2010|2011 apresentada por Tim Soar na London Fashion Week, pode ser descrita como uma colecção de design inteligente e de luxo intrínseco. As peças não apresentam o conceito de luxo imediato e não são demasiado detalhadas. No entanto, os detalhes estão presentes e são fundamentais, o luxo está camuflado nas peças mas existe e é indispensável. O próprio estilista descreve a colecção como industrial, pesada e escura, mas interessante.

Predominantemente em tons de camel e bege, é constituída por blazers com duplo virado, calças de corte clássico largas e camisolas de malha listradas conjugadas com cintos estilo smoking, ao melhor dandy look. Como complementos, surgem os guarda-chuva, as luvas em pele e uma reinterpretação muito própria dos chapéus impermeáveis estilo sou’wester, ao estilo dos anos 40 e 50 britânicos. Os tons neutros permitem que o corte ocupe um lugar de destaque nas criações.

Soar apresentou também um casaco estilo motard preto sobre um casaco de caxemira mas, o momento mais exuberante do desfile aconteceu quando um modelo envergou uma peruca azul eléctrico, a condizer com uma camisola de malha, com gola alta, da mesma cor vibrante.

No seu último desfile, Tim Soar mostrou que possui uma visão diferente e única, capaz de chocar os mais sépticos e de exacerbar os mais excêntricos.

Segundo o estilista, o conceito principal da colecção é a apresentação dos greatest hits da menswear. Soar utilizou influências, cortes e técnicas desde o período vitoriano, passando pelos anos 70 parisienses, até à actualidade.

Cada peça funciona individualmente, tanto no contexto do show, como na forma de a ver.

Para o futuro, Soar espera que a continuação do excelente trabalho que tem desenvolvido até agora traga boas oportunidades para a marca e promova o seu crescimento.

Dotado de um talento excepcional e de uma visão futurista e provocadora, Tim Soar reúne os ingredientes essenciais para continuar a dar cartas no mundo da moda masculina, revitalizando-a e projectando-a para um lugar de destaque nas mais importantes runways do mundo.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This