rdb_Yamamoto_header

Yohji Yamamoto

Um dos maiores revolucionários da história da moda continua a surpreender.

Yohji Yamamoto, com pontos de venda em todas as capitais de moda do mundo, tem mais uma colecção disponível para o sexo feminino. Aquele que a imprensa britânica terá considerado como um dos mais rigorosos criadores de moda em termos mentais, está sempre presente numa determinada franja de consumidores mas nem todos compreendem o que significa usar este estilista. Yamamoto, que inventou ao som de uma batida de coração electrónica amplificada uma estética andrógina e assexuada com manequins de olhar severo, surpreendeu a audiência logo desde o início da sua carreira no Japão em 1977 e depois em Paris, quatro anos mais tarde. Mantém-se sempre a nível mundial como influência para muitos criadores, tendo sido ele que operou mais uma revolução na história da moda – desafiando convenções e a forma como esconder o corpo. Também na forma de apresentar colecções se devem a ele novas atitudes nas passerelles. Os entendidos, em choque, chegaram a chamar o seu trabalho de “Hiroshima Style”.

A moda do criador japonês revela muito neste Inverno com uma ideia nova na sua colecção para 2011/2012, ao introduzir elementos ainda não vistos nas suas criações, que continuam a permanecer nas mais escultóricas e tradicionalmente intelectuais imagens das passerelles mundiais. Em Paris, viram-se, por exemplo, crinolinas e lingerie expostas por baixo de peças suspensas – novidade em forma de toques de punk e de folk a marcar a colecção para estes próximos seis meses. No que diz respeito à pele, ela ficou exposta através de buracos nas leggings, musselinas e tops em sobreposições de transparências e opacos, no mais puro estilo avantgarde pós-moderno que em nada defrauda o genuíno Yohji Yamamoto dos anos 80. Mr. Yamamoto, o advogado que dá ignição à sua carreira em Paris, em 81, tornou-se uma referência que não perde relevo; embora tenha atravessado fases em que as suas colaborações com a Adidas, Mandarina Duck ou as suas linhas de difusão Y’s ou a Coming Soon (sobre a qual já escrevemos na Rua de Baixo) tenham sido bastante mais oportunas na imprensa e comercialmente.

Central no trabalho de Yamamoto são os tecidos, desde o feltro ao neoprene. Neste domínio nunca deixou de surpreender, assim como no uso de técnicas, tingimentos e até bordados. Ainda os cortes menos usuais nas linhas assimétricas e nas volumetrias, revolucionaram e subverteram, até um certo ponto, o que estava estabelecido na moda em Paris. Yamamoto não fez por menos aquilo que hoje merece uma absoluta homenagem, e uma celebração em grande estilo. Seja pela inspiração ou usando os seus temas.

Este ano o Victoria & Albert Museum, em Londres, deu grande visibilidade ao criador. O museu britânico dedicou uma total atenção aos arquivos de Yamamoto ao criar ambientes que duraram até ao passado Julho e que foram visitados por mais de 70,000 pessoas. Eram 80 coordenados que ilustravam a carreira de Yamamoto, tanto no domínio da roupa masculina como feminina, e que foram acompanhados de material fotográfico, excertos de desfiles, uma cronologia. A surpresa estava nos manequins adicionais que foram expostos entre os tesouros do V&A, colocados em pontos mais ou menos inesperados, silhuetas montadas e criadas para um efeito de diálogo entre o trabalho do estilista e os diferentes espaços escolhidos do museu. Na sexta-feira, 1 de Julho 2011, Yohji Yamamoto faz desfilar casais verdadeiros, das ruas de Londres, num evento a que chamaram “Fashion in Motion”, ainda integrado naquela que foi uma celebração do seu trabalho no maior museu da capital inglesa. O conceito ecoava ainda a colecção de Primavera/Verão 1999 de homem, que tinha tido também rapazes e raparigas das ruas de Paris, como centro das atenções para a ainda grande contemporaneidade que está contida na moda de Yamamoto, mesmo na mais descontraída linha Y’s. Em Lisboa, o MUDE – Museu do Design e da Moda – está neste momento a mostrar também peças do criador nipónico, numa febre pós-modernista que assola um pouco por todo o lado e onde não podia faltar o nome essencial da moda japonesa.

Lojas Yohji Yamamotowww.yohjiyamamoto.co.jp
Londres 14 and 15 Conduit Street W1 SXJ + 44 207 491 41 29
Paris 4, Rue Cambon 75001 +33 1 402 000 71 / 25, Rue du Louvre 75001

MUDE, Museu do Design e da Moda – Colecção Francisco Capelo – www.mude.pt
Morte ao Design! Viva o Design!
Até 15 de Janeiro 2012 Rua Augusta, nº24 1100 + 351 218 886 117



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This