rdb_issaemiyake_header

Issey Miyake

O império do designer japonês.

Mais do que um designer de moda, Miyake é um artista de coração e alma que explora formas artísticas do ponto mais puro de modo a exaltar as linhas mais belas e inspiradoras. A busca de uma perfeição de um estado leve e alegre, explorando as formas e os meios de construção para atingir peças revolucionarias em vários níveis distintos. Os interesses dele vão muito além da moda, eles passam por arquitectura, dança, literatura, ou seja, tudo o que envolve formas artísticas.

Miyake, um artista com um grande gosto e apego pela arte do seu país e cultura, que combina com o estilo ocidental. Nasceu em Hiroshima, Japão, em 1938 e presenciou o desenrolar da 2º grande guerra, a bomba atómica que caiu na sua cidade natal onde vivia, sobreviveu para ver as consequências desta, a morte da sua mãe passado 3 anos devido à exposição de radiação.

Estudou Design Gráfico na Universidade Tama Art em Tóquio que terminou em 1964, mudando-se de seguida para Paris aonde se dedicou a estudar design de moda com os grandes génios da moda como Guy Laroche e Givenchy. Em 1968 mudou-se para Nova Iorque para trabalhar com Geoffrey Beene, onde foi influenciado pela moda das ruas, as gangas, camisetas e combinação de roupas usadas.

Ao regressar a Tóquio em 1970 fundou o estúdio Miyake Design, e em 1971 apresentou o seu primeiro desfile de moda, mas não impressionou imediatamente o exigente mundo da moda norte Americana, após 2 anos começou a apresentar a sua colecção em Paris, seu estilo baseado em roupas sobrepostas com peças que envolviam o corpo feminino com leveza, conforto e estilo tornou-se um sucesso na moda parisiense. Em 1977 tornou-se consagrado quando personalidades começaram a usar suas concepções que mesclava a influência japonesa com a moda ocidental, e em 1986 foi capa da revista Time e apelidado de Mestre de Estilo.

Miyake expressa vivamente que é um criador e nunca um destruidor, “ …prefer to think of things that can be created, not destroyed, and that bring beauty and joy.” Suas fontes de inspiração são o mundo, a arte e a tecnologia. O contraste entre a tecnologia e o uso de elementos naturais é bastante perceptível em todas as suas criações, inclusive nas fragrâncias.

Revolucionário, um cientista que explora novas concepções de vestuário, utilizando este como uma forma de arte e interveniente no espaço, explora a área entre o corpo e a peça de vestuário. É conhecido pela junção que faz da escultura com o vestuário, utilizando tecidos para construir modelações arquitectónicas.

No final dos anos 80 introduziu o método de “Pleating” (estrutura de pregas) que iria permitir flexibilidade de movimentos para o utilizador como também facilidade em manutenção e na produção das peças de vestuário, método considerado tecnológico, funcional e harmonioso, desenhou os primeiros Pleats Please (tecido ultra-tecnológico) para o ballet de William Forsythe. Criou formas a partir de tecidos e seus conjuntos são uma fusão da tecnologia e tradição de seu país: das camisas de fibra de abacaxi e vestidos de papel ao mais inovador fenómeno da marca, os plissados Pleats Please, fruto de um desenvolvimento dos quase 30 anos que trabalhou como criador de moda.

“Adoro fazer experiências com tecidos, combinando a mais moderna tecnologia com tradição e artesanato”, Issey.

Inspirado pelos plissados artesanais criados por Mariano Fortuny (1871-1949), Miyake conseguiu industrializar o look e oferece um guarda-roupa completo com a seguinte opção de materiais: poliéster, voal, chifom, crepe ou tafetá.

“Ao criar uma peça, a coisa mais importante para nós é olhar o futuro e ao mesmo tempo tentar reflectir as necessidades da vida da mulher moderna e preservar as fontes naturais do mundo”, diz. Os modelos da linha Pleats Please provam isso: são guardados enrolados, ocupam pouco espaço, são leves e não amarrotam.
Os desfiles traduzem este desejo, ao criarem imagens sempre associadas à arte, cultura, bem-estar e felicidade, com recursos como o ballet de Frankfurt ou uma orquestra medieval japonesa. Formas e modelagens são mostradas com um tom lúdico que faz a bolsa se transformar em casaco ou o vestido virar um espesso círculo.

Em 1992, desenhou o frasco de seu primeiro perfume, L’Eau d’Issey, que representa o encontro entre a flor de lótus e a rosa, o ocidente e o oriente. Em 1994 lançou a fragrância Leau Odissey que se tornou num verdadeiro clássico entre os perfumes masculinos, e devido à grande popularidade desta Issey acabou por lançar outras variações do perfume Odissey, o Blue e o Summer. Elege o material mais natural como base da fragrância: a água, elemento puro e sem cor. E para os frascos adopta: o metal, inovador e luxuoso.
Actualmente Miyake dedica-se a tempo inteiro à investigação na fundação Issey Miyake, pesquisa novos materiais e novas técnicas de vestuário e embalagens para traduzir perfumes modernos e atemporais. Entregou as suas colecções nas mãos de talentosos designers que continuam o trabalho deixado por Issey, embora este ainda tenha presença subtil nas suas linhas.

O império Issey Miyake cresceu e tornou-se numa multimilionária constituída por vestuário, perfumes, entre muitos outros, combinando a leveza oriental com elementos ocidentais, um império comercial e suas lojas estão espalhadas nas principais capitais do mundo. Issey Miyake, um nome que ficará para história.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This