SUCESSO CONSOLIDADO DO NOS PRIMAVERA SOUND

Pelo terceiro ano consecutivo, o NOS Primavera Sound volta a ser um sucesso na cidade do Porto, conquistando um público proveniente de mais de 40 países diferentes. Numa edição marcada pela variedade estilística do cartaz, os grandes triunfos do fim de semana recaem no rapper norteamericano Kendrick Lamar, na lenda da música brasileira Caetano Veloso, que revisitou em palco a sua longa carreira, nos inúmeros hits indie rock dos Pixies, no espectacular regresso aos concertos dos britânicos Slowdive e no post rock aguerrido dos escoceses Mogwai. Mas foram outros também os grandes momentos do NOS Primavera Sound: Television a visitar na íntegra o emblemático “Marquee Moon”, o post rock dos canadianos Godspeed You! Black Emperor, a demonstração de força das californianas Haim, a electrónica do duo Darkside e o pop experimental das Warpaint fizeram as delícias do público presente no Parque da Cidade.

Com uma assistência superior a 70.000 pessoas, o NOS Primavera Sound reforça o êxito consolidado na edição passada e revalida o objectivo de continuar a ser uma referência da música alternativa da Europa. A próxima edição é, por isso, o passo natural no caminho de um festival que este ano mudou de nome sem mudar as metas que cada vez mais estreitam a profícua e bem sucedida ligação com a NOS e com a Câmara Municipal do Porto.

As datas da próxima edição são uma certeza a ser revelada em breve, mas hoje a atenção centra-se no encerramento da terceira edição do festival. Um dia marcado pela actuação dos americanos The National, pelo aguardado regresso aos palcos do grupo de culto Neutral Milk Hotel, pelo irresistível soul do veterano Charles Bradley, o carisma inconfundível de St. Vincent ou o slowcore de Slint, sem esquecer propostas como Dum Dum Girls, !!!, John Grant ou os grupos catalães Standstill e Refree.

Também a sonoridade cristalina dos portugueses You Can’t Win, Charlie Brown é uma referência deste último dia, numa edição que, à semelhança dos anos anteriores, voltou a apostar no ecletismo das propostas do panorama nacional. O experimentalismo de HHY & The Macumbas, o rock instrumental de Torto e a canção tradicional de Os Da Cidade foram os outros protagonistas da música portuguesa que desfilou no festival.

O NOS Primavera Sound também se ouviu fora do Parque da Cidade. Para dar as boas vindas ao público, a cidade abiu as portas ao Primavera das Virtudes com os grupos portugueses Sopa de Pedra e Dead Combo. Também a Casa da Música e o Hard Club se associaram ao festival com a inédita pre-party e os já habituais After Hours, uma programação complementar que faz do NOS Primavera Sound um evento pleno da cidade do Porto e que enche as ruas, unidades hoteleiras, restauração e comércio de um multiculturalismo ímpar durante uma semana.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This