Fast Food Nation

Do you want lies with that?

Com ketchup ou sem, já todos sucumbimos uma vez (ou mais) às maliciosas gorduras polisaturadas de umas batatinhas fritas douradas e reluzentes do “Mac”. É verdade que, numa altura de aflição (falência financeira, horário nocturno, carência derivadas de maleitas sentimentais), iguarias “fast-foodianas” sabem mesmo bem. É facto que, como sistema, a fast food é prejudicial à saúde, isso já todos sabemos… o que talvez nos escape, pois muito bem dissimulado, sob sorridentes campanhas publicitárias e inofensivos packagings, é toda a maquinaria científica por trás desta crescente indústria, responsável pelos sabores artificiais de um sem fim de produtos alimentares (e nem todos pertencentes propriamente à fast food, basta falarmos de alimentos processados), que nos controla os sentidos, através de métodos eticamente discutíveis. É nesta ferida que “Fast Food Nation” pretende colocar o dedo(de preferência sem gordura, se faz favor) em cima. 

“Fast Food Nation” foi o passaporte do jovem realizador americano Richard Linklater até à glamourosa Cannes. O filme, produzido pela Recorded Picture Company e construído a partir da adaptação do best seller escrito por Eric Schlosser, retrata a indústria da fast food nos Estados Unidos da América, vista por três personagens: o marketeer de uma crescente cadeia de fast food, a Mickey´s Fast Food; um empregado dessa mesma cadeia  e um imigrante clandestino que trabalha no matadoiro fornecedor de  carne. Para este filme, Richard Linklater rodeou-se de um casting de luxo, encabeçado por Ethan Hawke, Greg Kinnear, Patricia Arquette, Catalina Sandino Moreno, Patricia Arquette and Bruce Willis, entre outros. 

Eric Shclosser, que co-escreveu o argumento do filme, era um consumidor esporádico de fast food, começou por explorar mais o assunto quando o editor da revista Rolling Stone lhe confiou a missão de descobrir a origem da fast food… equivocado com o teor deste trabalho, Schlosser inicia uma aprofundada pesquisa sobre o tema e, à medida que vai sabendo mais sobre o assunto, apercebe-se da sua mega dimensão como indústria e do seu impressionante e crescente impacto sobre a vida actual, que o levou a criar “Fast Food Nation”. O livro, que revela as origens da Fast Food, acompanha Schlosser  nas suas visitas aos laboratórios onde os cientistas recriam os sabores e cheiros de tudo – desde carne cozinhada até morangos frescos – ; aos matadoiros com os piores níveis de segurança do mundo; desvenda, através de mórbidas investigações, toda a verdade escondida por trás daquela carne corada ou daquelas batatas fritas reluzentes, demonstrando assim o modo como a indústria da fast food está a modificar (negativamente) não só a nossa dieta, como as nossa paisagem, economia e valores.

Sinopse: 

Don Henderson (Greg Kinnear- ”As Good as it Gets”, “Little Miss Sunshine”) é um executivo de marketing que trabalha para a cadeia de restaurantes Mickey´s Fast Food que se vê com um grave problema em mãos. Uma inesperada contaminação está a atacar o hambúrguer Big One, o mais popular da Mickey’s. Para tentar descobrir a origem do problema, Henderson embarca numa viagem pelo lado obscuro das refeições all-american. Ao abandonar os escritórios californianos da empresa rumo aos matadoiros recheados de trabalhadores imigrantes da américa profunda, Don descobre que esta “Nação do Fast Food” é um país de consumidores… que ainda não perceberam que eles é que são os consumidos, por uma indístria com um apetite insaciável por carne fresca…

“Fast Food Nation” estreia dia 11 de Janeiro.

Pipoca azeda, ou mais alguns filmes que criam consciência social:

“Supersize Me”

“An inconvenient truth”

“Bowling for Colombine”



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This