preocupome_logo_existo-header1

“Preocupo-me, logo existo!”

Porque o melhor momento do dia não se pode reduzir aos pêssegos em calda

E eis que nos surge, em palco, um médico que prescreve ao paciente um medicamento “por questões de segurança”. “Mal não faz” – diz o médico, que descreve em seguida toda uma lista de possíveis efeitos secundários que culminam numa cegueira temporária.

Esta é apenas uma das oito personagens a quem Diogo Infante dá vida, no espectáculo “Preocupo-me, logo existo!” “São oito personagens que se distinguem entre si, mas todas elas têm em comum o facto de proporcionarem questões sobre a nossa existência” – disse-nos Diogo Infante que, através deste projecto, se reencontra com a profissão de actor.

“O texto aponta para uma decadência de valores de uma forma divertida e corrosiva. Sofreu algumas adaptações, no sentido de se aproximar à realidade portuguesa” – disse Diogo. Natália acrescenta: “Aqui encontramos personagens de linguagem corrente, que no fundo representam pessoas com as quais nos podemos cruzar no café, no metro.” E que nos representam a nós, num momento ou outro? “Sim – diz Natália – a realidade é muito difusa e provavelmente eu ou tu podemos encontrar no espectáculo algum momento em que pensamos “eu já disse isto” ou “eu às vezes sou assim”. Estas personagens são modos de reacção ao mundo”, diz Natália.

Diogo lançou o desafio à amiga Natália Luiza e juntos (re)visitaram o universo de Eric Bogosian. Cerca de dez anos depois do sucesso “Sexo Drogas e Rock & Roll”, o “trio” Infante-Natália-Bogosian volta a unir-se em palco.

“Preocupo-me, logo existo!” apresenta-se como um retrato crítico de uma sociedade sem debate. Trata-se de um texto provocatório, que pretende pôr as pessoas a pensar: “O debate é fundamental. Gostava que as pessoas viessem ver a peça, passassem um serão divertido, mas saíssem daqui com algumas questões para debater. A apatia – diz Diogo – não é solução, e todos nós temos que nos implicar naquilo que está a acontecer à nossa volta. Nas grandes situações limite, em crise, as pessoas acabam por revelar a sua humanidade.”

Natália Luiza acrescenta: “Preocupações todos temos, mas nem sempre as manifestamos de uma forma construtiva.” A preocupação surge aqui como uma forma de medir a nossa existência: “Como é que nos encontramos, na nossa sociedade? De que forma reagimos perante este momento actual na redefinição das nossas prioridades? Em que medida é que nos preocupamos connosco, com os outros?”

Para Natália Luiza, que assumiu a direcção cénica deste projecto, “Bogosian é um autor através do qual se consegue lançar um olhar crítico e colocar em palco os homens comuns.”

Sobre o trabalho a dois, Natália e Diogo não hesitam em caracterizar este projecto como um trabalho prazeiroso, pela amizade que une estes grandes actores portugueses.

“Preocupo-me, logo existo!” foi apresentado, no passado mês de Junho, no Centro Cultural de Macau, numa sala bem diferente daquela que encontramos no Cinema São Jorge.

Inspirados por uma das personagens da peça, deixamos-lhe uma pergunta: E você? Está do lado dos que consideram que tem o copo meio cheio ou o copo meio vazio?

Enquanto pensa, sugerimos que “encha” o vazio do seu serão com uma visita à sala Montepio, no cinema São Jorge, de quarta a sábado às 22h e ao domingo às 17h. O espectáculo estreou a 13 de Julho.



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This