rdb_rbmaindustria_header

Dâm-Funk @ Indústria

Foi Alta Noite! Red Bull Music Academy - Porto Hub

Inserido nas comemorações dos 100 anos da Red Bull em Portugal, vulgo, Red Bull Music Academy – Porto Hub, Dâm-Funk visitou a cidade do Porto para uma tertúlia e um DJ set/live act no clube Indústria . Abriram-se os portões da cidade para receber directamente de L.A. o proclamado Ambassador of Boogie Funk, no que se esperava ser um evento imperdível para qualquer fã de música.

E se durante o dia Dâm-Funk partilhou os seus segredos de estúdio com algumas promessas do mundo da música em Portugal, à noite foi tempo de apresentar a sua  faceta mais performativa, mostrando que nem só de valores de produção vive o artista.

A afluência foi forte, tendo a casa enchido, mas tal só se verificou por volta das três da manhã (Sábado à noite, jantar tarde e “passar por ali” para dar o abraço àquele amigo que já não se vê há muito tempo resulta nestas coisas). Talvez por isso o evento tenha sido atrasado e Dâm-Funk subiu ao palco uma hora mais tarde do previsto, depois da actuação da banda de Kuduro com nome de banda Indie “The Shine” e de um DJ set de aquecimento do Kaspar.

E num palco improvisado no lado oposto ao DJ booth (os mais saudosos relembraram que este era o local onde estava a cabine do DJ do antigo Indústria de Mário de Carvalho) Dâm-Funk começava,  assim, por colocar no gira-discos alguns clássicos do Funk e Boogie.  Mas a pouco e pouco, o que à primeira vista seria só mais um DJ set foi-se transformando num live act. Dâm-Funk usava o seu o seu microfone para cantar e improvisar por cima das músicas a preparar a audiência para o que viria a seguir.

O grande salto deu-se quando Dâm-Funk  pegou no seu strap-on synth, acompanhado pelos lasers que se acendiam atrás do palco, criando uma atmosfera a lembrar o  “Purple Rain” de Prince. Seguiu-se um concerto em que Dâm-Funk mostrou algumas faixas do seu vasto espólio, com direito a um synth-jam tocado mesmo no meio da audiência.

A terminar, a flagship da obra de Dâm-Funk, segundo o próprio “a special request from my man, DJ Ride” (que se encontrava já no DJ booth a escolher o primeiro disco da after party do concerto) “Step Into My Life” fechou a actuação com chave de ouro, com a voz de Dâm-Funk a juntar-se a vocais pré-gravados e a um público que insistiu em acompanhara canção.

Uma performance que igualou o nível de criatividade de estúdio deste artista, e que fez com que muitos dos presentes considerassem já esta a noite do ano.

Resta-nos esperar que venham outras assim, afinal ainda só estamos em Fevereiro. Mas a fasquia está alta.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This