rdb_rotaserituais_header

Rotas & Rituais – O Samba também mora aqui

De 9 a 17 de Novembro no Cinema São Jorge. Exposição. Cinema. Conversas Musicais. Concertos

Gosto de sentir a minha língua roçar a língua de Luís Camões
Gosto de ser e de estar
E quero me dedicar a criar confusões de prosódia
E uma profusão de paródias
Que encurtem dores
E furtem cores como camaleões…

Língua, Caetano Veloso
[Vêlo, Polygram – 1984]

 

Todos os dias milhões de pessoas levam as suas vidas em português e, ligadas por uma língua renascida e reinventada pelos novos e velhos migrantes, escrevem uma história, sempre no tempo presente, utilizando substâncias sedimentadas a partir de outras eras. As relações entre Portugal e o Brasil já duram há mais de quatro séculos e a configuração actual da cultura destes dois países é, essencialmente, o resultado de fluxos e refluxos populacionais, de trocas e empréstimos, nem sempre temperadas por doces melodias.

Tendo como mote as Comemorações do Ano Brasil em Portugal, e partindo de um verdadeiro desejo intercultural de lembrar que a nossa história e estórias são um hino ao diálogo e uma promessa de compreensão mútua, o Rotas & Rituais atravessa a fronteira líquida do Atlântico e promove este encontro com o intuito de captar a intimidade que se estabelece do lado de dentro da música, do cinema e das conversas entre os artistas. Distantes mas próximos, diferentes mas idênticos, independentes mas fraternos, Brasil e Portugal, Portugal e Brasil.

EXPOSIÇÃO

MpB – Música Portuguesa Brasileira – Fotos, Desenhos e Aquarelas

João Vasco | Sergio Pagano | Manuela Rolão | Tati Chalhoub

9 a 17 Novembro | Foyer 1º Andar

Entrada Livre

No decorrer das filmagens do documentário MpB – Música Portuguesa Brasileira, os fotógrafos João Vasco (Portugal), João Lima (Cabo Verde) e Sérgio Pagano (Brasil) e as artistas plásticas Manuela Rolão (Portugal) e Tati Chalhoub (Brasil), documentaram as tertúlias no Conservatório Nacional de Música de Lisboa e na Casa da Rua Poço dos Negros. Desenhos e fotos contam a história a partir de fragmentos e olhares únicos destes artistas.


SEMANA DO CINEMA BRASILEIRO EM LISBOA | 9 a 14 DE NOV

9 Novembro
“MpB – Música Portuguesa Brasileira”
De Pierre Ardene

Documentário | 2012 | 80’ | m/12
21h30 | Sala Manoel de Oliveira

Entrada Livre

 

“MPB” – Música Portuguesa Brasileira” – é uma tertúlia musical entre o Brasil, Portugal e África.

Tendo como base as filmagens realizadas em 2010 no Brasil e em 2011 em Portugal, “MPB” capta a intimidade que aconteceu no lado de dentro da música, no interior dos apartamentos. Mostra concretamente o que aconteceu nos apartamentos do músico brasileiro Pierre Aderne, na Rua Poço dos Negros, em Lisboa, e na Rua Nascimento Silva, em Ipanema no Rio de Janeiro. O ambiente acolhedor e de enorme liberdade criativa remete-nos para os finais dos anos 60, onde os encontros musicais surgiam de forma espontânea e reuniam artistas de diferentes gerações: Tom Jobim, Nara Leão no Rio de Janeiro, Amália Rodrigues em Lisboa ou Cesária Évora e Tito Paris em Cabo Verde.

Este documentário revela-nos dois olhares: a vulnerabilidade e a fragilidade do artista no seu momento mais intimo e a reacção do público/amigos a este primeiro contacto com a música ainda nua e crua, que engloba os seus improvisos e surpreendentes descobertas.

Com: Tito Paris, Sara Tavares, Cuca Roseta, Mário Laginha, Marco Rodrigues, Fernanda Abreu, Jorge Palma, Susana Félix, Couple Coffee, Paulo Praça, Pedro Jóia, Adriana Queiroz, JP Simões, Luiz Caracol, Valete, Luisa Sobral, John e Nuno Gonçalves ( The Gift ) , Sonia Tavares, Mú Carvalho e Ana Zingone, Viviane e Tó Viegas, Fred Martins, Luis Guerreiro, Vicente Palma, Teresa Cristina ,Edu Krieger, Pedro Pinhal, Bernardo Couto, Ricardo Cruz, Ângelo Freire, João Afonso, Julio Resende e Elisa, João Vasco e Eduardo Jordão, Tiago Torres da Silva, Luis Filipe Gama e Ana Luísa, Tati Chalhoub, António Carlos Miguel, Susana Travassos, Ruca Rebordão, Carla Santos, Jaume Pradas, Kimi Djabaté e a Big Band do Conservatório Nacional de Música de Lisboa .

 
10 Novembro

“O Samba que mora em mim”
De Geórgia Guerra-Peixe

Documentário | 2010 | 72’ | m/12

18h | Sala 3

Entrada Livre

“O Samba que mora em mim” é um documentário que se desenvolve no período que antecede o Carnaval, no Morro de Mangueira, Rio de Janeiro. O ponto de partida é a quadra escola de samba Estação Primeira de Mangueira, lugar de reencontro da realizadora Geórgia Guerra – Peixe com a sua própria história.

 

“Bruna Surfistinha”
De Marcus Baldini

Ficção | 2011 | 109’ | m/12
21h30 | Sala Manoel de Oliveira
Entrada livre

 

Raquel é uma rapariga adoptada por uma família de classe média abastada. Com 17 anos foge da casa dos pais e abandona os estudos num dos colégios tradicionais de São Paulo. Raquel decide então trabalhar numa casa de “garotas de programa” e torna-se um sucesso com a clientela. Atinge a fama ao relatar as suas experiências com os clientes no seu blog.

Trailer Bruna Surfistinha HD from TvZERO on Vimeo.

Prémios recebidos recentemente: http://academiabrasileiradecinema.com.br/gp2012/br/indicados/vencedores

 

11 Novembro

“A Antropóloga”
De Zeca Nunes Pires

Documentário | 2010 | 90’ | m/12
18h | Sala 3
Entrada livre

Costa da Lagoa, reduto açoriano de Santa Catarina. Malú tem 33 anos e realiza no local a sua investigação de doutoramento na área de etnobotânica. Com dona Ritinha aprende a cultura mística que os descendentes açorianos mantêm viva. Ao acompanhar um tratamento com ervas, Malú subitamente tem contacto com o sobrenatural. Enfrentando o cepticismo científico, ao qual ela já foi devota, tenta provar a experiência que vivenciou.

“Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”
De Breto Brant

Ficção | 2011 | 104’ | m/12
21h30| Sala Manoel de Oliveira
Entrada livre

Cauby tem 40 anos, trabalha como fotógrafo numa revista semanal e resolve trocar São Paulo pelo interior do Pará. Céptico em relação ao amor e devoto à beleza, encontra Lavínia num cenário amazónico. Bela e instável, Lavínia é mulher do pastor Ernani, um homem que acredita ser possível resolver as contradições humanas.

No interior do País ainda existem lugares onde a honra se lava com sangue. Cauby não imaginava que acabaria envolvido num triângulo amoroso imprevisível, no qual pudesse perder o controlo da própria vida.

 

12 Novembro

“JK em exílio”
De Charles Cesconetto e Bertrand Bessot

Documentário | 2010 | 52’ | m/12
18h | Sala 3
Entrada livre

Em 1964, Juscelino Kubitschek vê-se privado os seus direitos e segue o caminho do exílio. Este documentário reconstitui este momento de saída, um dos mais dramáticos da sua vida, a partir dos relatos de amigos, parentes e, sobretudo, através do testemunho da sua secretária, Maria Alice, exilada até hoje em Portugal. Cenas únicas de JK no exílio, recuperadas nos arquivos franceses, fotos e cartas proporcionam uma viagem no tempo e uma homenagem a JK e à sua secretária.

“Girimunho”
De Helvecio Marins

Ficção | 2011 | 90’ | m/ 12
21h30| Sala Manoel de Oliveira
Entrada livre

No sertão mineiro, onde o tempo parece andar ao ritmo do rio, duas senhoras acompanham o girar do remoinho. Bastú acaba de perder o marido Feliciano e, sem choro, procura abrigo nos sinais do dia-a-dia e nas suas lembranças. Maria carrega no seu tambor a alegria e a força do seu povo. Neste universo, onde a tradição é surpreendida pela novidade e a realidade pela invenção, pequenos movimentos podem fantasiar o correr da vida.

13 Novembro

“Quem se importa”
De Mara Mourão

Documentário | 2012 | 92’ | m/12
18h | Sala 3
Entrada livre


“Quem se importa” é um documentário sobre os empreendedores sociais pelo mundo. Com narração de Rodrigo Santoro, esta longa-metragem mostra o trabalho de pessoas que mudam o mundo através da criação de organizações sociais. São capazes de não só transformar a sociedade em redor, mas também de causar o impacto social para que estas ideias possam transformar-se em políticas públicas pelo mundo. “Quem se importa” apresenta empreendedores sociais cujas ideias visionárias já transformaram milhões de vidas.


“A Festa da Menina Morta”
De Matheus Nachtergaele

Ficção | 2008 | 116’ | M/12 ANOS
21h30| Sala Manoel de Oliveira
Entrada livre

 

Há 20 anos que uma pequena população ribeirinha do alto Amazonas comemora a Festa da Menina Morta. O evento celebra o milagre realizado por Santinho, que após o suicídio da mãe recebeu nas suas mãos, da boca de um cão, os trapos do vestido de uma menina desaparecida. A menina nunca foi encontrada, mas o tecido rasgado e manchado de sangue passa a ser adorado e considerado sagrado. A festa cresceu indiferente à dor do irmão da menina morta, Tadeu.

 

14 Novembro

“O Céu sobre os ombros”
De Sérgio Borges

Documentário | 2010 | 72’ | m/12
18h | Sala 3
Entrada livre

“O Céu Sobre os Ombros” conta a história de três pessoas anónimas, comuns. São histórias inventadas pela vida, pelas personagens, pelo filme, de pessoas que vivem num contexto entre o quotidiano, o exótico e a marginalidade. O filme é um gesto para revelar o quanto somos todos tão humanos, e quão semelhantes são os nossos medos e desejos. Everlyn é uma transexual que fez o mestrado sobre os diários de um hermafrodita do século XIX e vive entre a prostituição e os cursos de sexualidade que ministra. Murari é um devoto da religião Hare Krishna e do clube de futebol do Atlético Mineiro. Lwei é africano descendente de portugueses e escreve vários livros ao mesmo tempo, sem nunca ter concluído nenhum.

 

“Heleno”
De Henrique Fonseco

Ficção | 2011 | 116’ | m/12
21h30| Sala Manoel de Oliveira
Entrada livre

Heleno de Freitas é uma figura do Rio de Janeiro de 1940, quando a cidade estava cheia de glamour, sonho e promessas. Primeiro galã de futebol, Heleno defendia o Botafogo e tinha tudo para ser o maior jogador do Brasil. Bonito, charmoso e refinado nos salões elegantes, era um génio explosivo e apaixonado nos campos de futebol. Heleno tinha a certeza que seria o maior jogador brasileiro de todos os tempos, mas a guerra, a sífilis e as desventuras desviaram o seu destino, numa jornada de glória e tragédia.

 

CONVERSAS MUSICAIS
12 e 14 NOVEMBRO
19h | SALA 2

Entrada livre limitada à lotação da sala

 

O compositor e realizador brasileiro Pierre Aderne recebe alguns dos artistas que fazem parte do documentário homónimo.

As conversas musicais são o fio condutor do documentário onde Pierre Aderne recebe os amigos de profissão como se estivesse na sala de sua casa. Artistas à volta da mesa a contar e a cantar a música portuguesa brasileira.

Convidados:

12 de Novembro: Marco Rodrigues, João Afonso, Fred Martins, Luiz Caracol, Susana Travassos.

14 de Novembro: Cuca Roseta, Susana Féliz, Pedro Pinhal, Couple Coffee.

 

CONCERTOS
15, 16 E 17 DE NOVEMBRO | 22h
SALA MANOEL DE OLIVEIRA
m/6

15 Novembro – Paula e Jacques Morelenbaum convidam Pedro Jóia

Neste ano de celebração das pontes que ligam Portugal e o Brasil, Jacques e Paula Morelenbaum convidam o guitarrista português Pedro Jóia para uma apresentação conjunta, no âmbito da edição de 2012 de Rotas e Rituais.

Um concerto que caminhará entre o balanço clássico do Brasil e uma interpretação superior da guitarra clássica.

16 Novembro – Hamilton de Holanda convida Maria João e Mário Laginha

Hamilton de Holanda é o homem que reinventou o bandolim de 10 cordas no Brasil, conseguindo duas nomeações para os Grammys de 2012. A crítica aponta-lhe a maestria e refere as pontes que construiu entre o choro e o jazz. Faz por isso sentido ver Hamilton de Holanda a convidar Maria João e Mário Laginha, eles próprios responsáveis por tantas fusões. Entre o jazz, as tradições portuguesas e um mundo que se estende à frente dos seus ouvidos, Maria João e o pianista Mário Laginha propõem agora um diálogo em torno de um dos tesouros da paisagem musical brasileira – o choro.

17 Novembro – Mariana Aydar e Duani + JP SIMÕES E NORTON DAIELLO

Mariana Aydar e Duani são uma dupla com história, protagonista de duas carreiras distintas.

Mariana é vista como uma das vozes mais importantes da nova geração de MPB. Duani é a mais recente voz da Orquestra Imperial, o homem que assumirá a pele de Tim Maia num filme a estrear em breve, é produtor e também multi-instrumentista: tocou bateria para Seu Jorge ou Marcelo D2 e colaborou com Hermeto Pachoal, Marisa Monte ou Tulipa Ruiz. Já foi por duas vezes indicado para um Grammy latino.

Ambos dividem o palco do Rotas e Rituais com uma dupla de peso, bem estabelecida no panorama nacional: JP Simões, um dos mais aplaudidos cantores portugueses, desde os Belle Chase Hotel até às suas edições a solo, que cimentaram a sua carreira; e Norton Daiello, um extraordinário baixista brasileiro há muito radicado em Portugal, país onde lançou os seus Couple Coffee, grupo que investigou a bossa e homenageou Zeca Afonso antes de apresentar as suas próprias criações musicais.

 

Entradas: 1 concerto 10€; 2 concertos 17,50€; 3 concertos 25€



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This