rdb_TheIntouchables_header

“Amigos Improváveis”

Não se fiem apenas no trailer

Quando dou uma vista de olhos pelos trailers de filmes que eventualmente irei ver, normalmente é literalmente uma “vista de olhos”, em que presto a atenção necessária para ver se me agrada ou não. Com este “Amigos Improváveis” (“Intouchables”, realizado por Olivier Nakache e Eric Toledano), a primeira reacção foi “humm…não é o tipo de filme que me faça ir ao Cinema. Parece ser um dramazinho, talvez com uma história bonita, mas não mais que isso”.

As opiniões mudam… se mudam!

Quer queiramos, quer não, acabamos sempre por ser de certo modo influenciados com as opiniões que vamos ouvindo; seja de amigos, conhecidos, seja de quem for. E a verdade é que este era daqueles filmes que não obtinha qualquer tipo de opinião negativa, muito pelo contrário, extremamente positivas.

Acabei por desejar mesmo ver o filme!

E hoje posso dizer que vi um dos melhores filmes do ano, sem qualquer sombra de dúvida.

Primeira paixão no filme, a banda sonora. De início ao fim, conseguimos ficar deslumbrados com toda a música que roda no “Intouchables”. Ludovico Einaudi e o seu piano trazem-nos lágrimas aos olhos e Vib Gyor faz-nos viajar e pensar na nossa vida.

Depois, o filme. Um filme que, sim, fala sobre amizade, mas que não precisa de declarações, de palavras de apoio e consolo, porque deixa que as acções exprimam toda a bondade e companheirismo que pode existir entre os seres humanos.

“Intouchables” é interpretado por dois protagonistas, François Cluzet e Omar Sy, duas personagens totalmente distintas. Philippe, um tetraplégico riquíssimo, que tinha tudo para viver uma vida plena, quando um acidente lhe deu este novo estilo de vida e Driss, um rapaz de bairro, com uma família extensa e problemática e sem rumo na sua vida, mas que conseguem formar uma dupla de amigos perfeita.

Esta amizade repleta de bondade e sinceridade faz com que pensemos nos valores que regem a nossa vida, faz com que um sorriso seja esboçado na nossa cara e faz escorrer lágrimas de alegria pelo nosso rosto. Um filme que consegue retratar de forma tão especial o quanto a vida pode ser difícil, mas como, ainda assim, existem valores que valem mais a pena e que se sobrepõem a tudo o resto.

Nota máxima para “Intouchables”!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This