Rei Édipo, o que arrancou os olhos para ver

Até 28 de Março, o mito de Rei Édipo ocupa a sala principal do Teatro Nacional D. Maria II. 40 pessoas criam o ambiente rumorejado das cidades varridas pela catástrofe, e onde, na tensão entre o colectivo e o individual, alguém, Édipo, Rei de Tebas, pergunta quem é e faz dessa pergunta a sua própria condenação.


A luz ilumina o quê?

Entrevista com Miguel Castro Caldas, Bruno Bravo e Gonçalo Amorim, responsáveis por “Maria Mata-os”, o espectáculo dos Primeiros Sintomas que marcou o arranque de 2010 no Maria Matos





More, more more… future

Depois de uma estreia com grande impacto no KunstenFestivaldesarts, chega ao Teatro Maria Matos “More, more more… future” de Faustin

Pin It on Pinterest