BadroomstudioRecords_header

Badroomstudio Records

O “estúdio mau”.

Chama-se Badroomstudio Records, é uma recém criada netlabel portuguesa e lançou recentemente o seu primeiro EP – uma compilação desenvolvida entre Lisboa, Porto, Algarve, a ilha da Madeira e Londres. A Rua de Baixo foi saber mais sobre esta editora que se propõe a criar e difundir a música electrónica independente em Portugal.

“Foi um início como outro qualquer”

2002 foi o ano que registou o arranque deste projecto. “Foi um início como outro qualquer”, diz Hugo da Costa, produtor e fundador da Badroomstudio Records. A história começa com três amigos que se juntavam para fazer música numa cave com um objectivo comum: “criar um colectivo de  artistas áudio e visuais que pudessem expressar a sua arte em conjunto e num ambiente de partilha e Do It Yourself “. Hugo da Costa refere ainda que “a linguagem urbana e os meios lo-fi eram parte integrante deste processo”. Depois de uma pausa, que consequentemente leva a um amadurecimento do projecto, o mesmo regressa na forma de uma netlabel – a Badroomstudio Records, mas conserva a vontade e os objectivos de sempre: criar e difundir o  melhor da música electrónica independente em Portugal.

BRSO1EP

É sob os desígnios desta filosofia que surge o primeiro EP da Badroomstudio – um trabalho de colaboração concebido e desenvolvido entre Lisboa, Porto, Monchique, Madeira e Londres.  O BRS01 é uma compilação que combina sonoridades como o Dub, a Bass Music, o Electro e a IDM, e conta “com a participação de algumas das mais promissoras e talentosas figuras do movimento electrónico made in Portugal, tais como Zacarocha, Guarda, Broken e Unfixed do colectivo Hi Fidel Cartel, o colectivo Missão Apolo e Peter Banda”, garante Hugo da Costa. O produtor e fundador da Badroomstudio Records sublinha ainda que acredita que é possível levar as coisas mais longe criando uma comunidade de artistas e usando ferramentas digitais, música e arte. Uma opinião que é partilhada pelos diversos colaboradores no projecto. Para o início do ano que agora decorre está já planeado o lançamento do segundo EP, que contará com novos artistas e mais música electrónica 100% portuguesa.

Perfil

Para aguçar a curiosidade de quem ainda não teve oportunidade de ouvir do que por aqui se fala, a Rua de Baixo deixa o perfil dos artistas que participaram neste primeiro EP.

Zararocha

Cores, sentimentos e ritmo são as palavras que caracterizam Zacarocha. Com apenas 23 anos, Guilherme Lopes é um dos produtores da nova vaga da música electrónica made in Portugal. O seu som conjuga ritmo sem barreiras e linguagens únicas que derivam dos sintetizadores e do sampling que usa para retalhar desde vozes de aclamados artistas a autoclismos. Um universo musical onde o limite é mesmo a criatividade.

Guarda

Guarda é um alterego de Hugo da Costa. Nasceu da inspiração da electrónica, do dub, dos bits e bytes, do techno de Detroit e da cena garage e dubstep inglesa. Guarda junta estas influências, experimenta e explora sons onde os graves e as batidas se tornam agentes de autoridade. Como fundador da Badroomstudio Records, Guarda aka Hugo C representa a filosofia deste projecto nas suas produções e na procura incessante de sinergias.

Broken

DJ e produtor com provas dadas em Portugal e além-fronteiras, Broken aka Maurício Corvo é um dos fundadores do colectivo Hi Fidel Cartel e uma das  figuras mais proeminentes na cena DnB e dubstep nacional. Reside actualmente em Londres, onde todos os meses no cafe 1001, no coração de Brick Lane, deixa evidenciar as influências da cena bass e da cultura breakbeat.

Missão Apolo

Composto por João Ervedosa, Joaquim Valente, Jorge Martins, Kaué Costa e Ricardo Leite, Missão Apolo é um colectivo de produção audiovisual com uma missão do outro mundo: aliar a produção de música electrónica à produção de artes visuais para criar uma estimulação sensorial sem precedentes na pista de dança.

Unfixed

Miguel Tavares, mais conhecido na cena bass como Unfixed, é outro dos fundadores e o representante do quarteto Hi Fidel Cartel em território lusitano. Após uma passagem por Barcelona, Unfixed volta a Portugal como quem traz algo de novo para mostrar. Uma bagagem e técnica impressionantes permitem a este produtor explorar batidas e baixos sem se deixar influenciar por tendências.

Peter Banda

De Mc a baterista, passando pela guitarra de uma banda punk e até por um piano clássico. Uma jornada repleta de experiências ajudam a compor o som único de Peter Banda – uma canção sem fim, que procura partilhar com o mundo.

*O BRS01EP está disponível para download gratuito no site oficial.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This