El Paisage Inventado

Fotografia digital no Festival Madeira Dig. Entre 15 e 31 de Janeiro no Museu da Casa da Luz, no Funchal.

A Madeira não é só turismo. Esta frase até pode parecer estranha, mas quando se pensa na “Pérola do Atlântico” (e pelo pouco que nos dão a conhecer) é esta a ideia que permanece na memória. O Madeira Dig – Festival Internacional de Multimédia e Arte Digital, já vai na sua segunda edição, contando desta feita com um cartaz bastante interessante e com convidados de luxo, onde se incluem os nomes de Volker Schreiner, um dos expoentes máximos da vanguarda da videoart digital, ou os projectos musicais Fennezs e Ruinman.

Em funções desde 5 de Dezembro, o Festival apresenta, entre os dias 15 e 31 de Janeiro no Museu da Casa da Luz no Funchal, a exposição de Fotografia, “El Paisage Inventado”, que reúne trabalhos de cinco artistas da Macaronésia, contando com imagens de Hugo Olim, da Madeira, Andrea Inocêncio dos Açores e outros três fotógrafos canarinos.

A exposição pretende ser uma oportunidade para o encontro e promoção de diversos artistas digitais da Macaronésia e, consequentemente, uma selecção de autores e obras que reflictam uma paisagem com intervenção que poderá ser designada como território inventado que é palco da interacção dos meios rural-urbano-natural.

Andrea Inocêncio é licenciada em pintura pela Escola Universitária das Artes de Coimbra e realizou o primeiro curso de Escenografia e Arquitectura do Espetáculo pela TAI em Madrid. Já participou em várias exposições individuais e colectivas em Portugal, Brasil e França. Foi seleccionada para participar no certame com duas obras de técnica mista (intervenção plástica sob fotografia digital): «daqui para acolá pelas montanhas arrojadas» e «suave brisa de Outono envergonhado».

Hugo Olim é licenciado em Tecnologias da Comunicação Audiovisual pelo Instituto Politécnico do Porto. A sua obra artística está no campo das artes visuais, mais concretamente no vídeo e na fotografia. Actualmente reside na Madeira, local onde continua a experimentar e a desenvolver trabalhos de manipulação e improvisação de imagens para sons e estéticas electrónicas. Já participou também em algumas exposições colectivas de fotografia digital e realizou pontualmente trabalhos em vídeo e fotografia para Moda, Teatro e Dança Contemporânea. Ultimamente tem trabalhado mais como VJ, no seu projecto pessoal de videojamming “Chiklet TV”, projectando regularmente imagens em bares, discotecas e outros eventos, para alguns dos melhores Músicos/DJ’s do mundo.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This