rdb_Cine-Incrivel_header

Mostra de Ilustração na Cine-Incrível

Patente em Almada a partir de 5 de Maio.

O que mais gosto no Cinema é que tudo é possível e a nossa imaginação tira-nos dos limites da nossa realidade.

Há amores platónicos, amores de copo vazio, amores de copo cheio e meio-amores. Há comédias, thriller e suspense, histórias com final feliz e histórias pela metade. Há reencontro e saudade! Há arrepios na espinha e suspiros de peito cheio. Há barcos, carros e aviões cheios de amizade. Há loopings de loucura e voltas de 360º. Há castelos na areia e castelos de perdição. Há gritos, risos, mexericos, segredos, parvoíce e arte!

Já dizia Orson Welles, “o Cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho.”

E porque não juntar todos os filmes, todas aquelas frames que ficam guardadas nos sonhos e trazê-las até aqui, até nós, ou até… ao Cine-Incrível?

Arranca, dia 5 de Maio pelas 21h00, e até dia 12 de Maio, a Mostra de Ilustração da responsabilidade do 2 Carry On (colectivo de design) e do Cine-Incrível em Almada, que juntaram um elenco incrível e decidiram fazer uma Mostra de trabalhos.

“Esta ideia surgiu após um convite do Cine-Incrível. Fui convidado a realizar uma exposição no espaço, que não conhecia. Pesquisei, visitei… e de facto é incrível, tanto na sua essência, como na sua história… tal como o Cinema.

Neste espaço já há muito que a música e todas as Artes Performativas se co-relacionam com o Cinema. Este é só mais um evento, que vem mostrar a visão que cada ilustrador assume enquanto amante de Cinema, realizador, protagonista, ou apenas sonhador. Todos temos um pouco de cada um dentro de nós. Todos nos rimos, choramos ou assustamo-nos com aquela cena. E essa cena que convidamos o público em geral a vir ver, a divertir-se, vivendo o cinema de uma forma diferente.” – Marco Almeida, 2 Carry On.

A lista dos ilustradores, designers e street-artists que vão fazer parte deste filme é grande e grande é a sua criatividade: AKA Corleone, Ana Carvalho, Atomik Kid 196, Aymes, Dinis Carrilho, Eu, Glam, GonçaloMAR, João Vasco, José Carvalho, Kruella, La Suerte, Las Cucarachas, Ligone, Marco “Cary” Almeida, Marta Teives, Mass, Mr. Phomer, Nélson Silva, Newillustrator, Nuno Ricardo, OmniVisio, Oruam Graphics, Pluzbrut, RAF, Rui Fernandes, Sam Scarpulla, Skran, Smile, Tâmara Alves, TraviS, Vika, Utopia, Zé Burnay.

A festa não fica só por aqui e ainda temos a oportunidade de assistir ao grupo de dança Aaminah Bellydance e ainda a actuação da banda Jo o do Roque e os Pro Bono logo seguidos por um DJ Set com DJ Nemmitt.

“Este é um evento para já único e pensado para esta ocasião. No entanto, queremos sempre realizar mais projectos inovadores e que consigam criar uma dinâmica com todos os seus intervenientes. Este projecto está a ser desenvolvido, sem fundos ou apoios, pelo colectivo 2 Carry On, que tem desenvolvido diferentes projectos relacionados com as Artes Performativas emergentes.

Somos um conjunto de amigos, que nos relacionamos com as mais diferentes áreas de design, moda e publicidade, conseguindo juntos, e por gosto, proporcionar momentos como o de Sábado. Ilustração, música e dança, num revivalismo ao cinema… ao fantástico… ao incrível…” – Marco.

Para saber que filmes vão passar na câmara dos nossos artistas, Ângela Ferreira, a.k.a. Kruella d’Enfer, e o João Vasco, deixam-nos com mais vontade de querer passar pelo Cine-Incrível e fazer parte desta experiência:

O que achaste desta iniciativa?

Kruella: Achei fantástico, nunca tinha participado em nenhuma exposição em que o Cinema fosse o tema central, portanto logo aí já marca a diferença. O facto de ser em Almada no Cine-Incrível também é uma mais-valia, para além de ser o sítio indicado para esta exposição, que sempre viveu do Cinema, Almada foge um bocado aos típicos lugares a que já estamos habituados em Lisboa. E não se trata apenas de uma exposição, será uma noite multi-cultural, tudo com o propósito de reviver o Cinema.

João: É louvável, apesar desta festa ter a participação de muitas pessoas, a sua organização conta com um número diminuto de elementos, por isso um obrigado à malta da 2 Carry On e da Cine-Incrível.

Em que é que te inspiraste e o que podemos ver na tua peça?

Kruella: Foi difícil escolher um filme que me marcasse.. acho que tenho muitos, desde todos os filmes do Tarantino até filmes independentes que quase ninguém conhece! Mas decidi inspirar-me no “Donnie Darko”. É um filme que marcou a minha adolescência porque é aquele tipo de filme sinistro e quebra-cabeças… em que podemos fazer várias interpretações e nos dá vontade de vê-lo mais que uma vez para ver se conseguimos finalmente perceber o significado ou até mesmo a história…

Eu queria dar ênfase a essas características do filme na minha peça e uma das técnicas que eu usei para tal foi com base no teste de Rorschach, uma técnica de avaliação psicológica através de manchas simétricas.

João: A minha peça é uma reflexão sobre o aspecto sonoro na obra “Recordações da Casa Amarela”, de João César Monteiro. O cineasta perseguia o som in loco captando-o directamente dos locais de cena. No objecto fílmico o som assume um corpo acústico em par (ou por vezes não) com a imagem captada. O que eu fiz foi a captação de imagem em 35 mm nos locais onde o filme foi rodado, e mais tarde amotinei algumas delas numa só, de forma a que as imagens contassem sons e os sons se misturassem com a imagem.

O Cinema para ti é…

Kruella: Fugir da realidade e comer pipocas!

João: É o registo de luz e sombra em movimento. O que procuro no Cinema é o prazer da imagem, a forma como ele é filmado é primordial. Não vamos esquecer que o Cinema nasceu mudo.

Então, tragam as pipocas!

ALINHAMENTO:

21h00: Inauguração da Mostra de Ilustração Cine-Incrível

22h30: Jo o do Roque e os Pro Bono
Aaminah Bellydance

00h30: DJ Nemmitt



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This