“Simplesmente Maria”

“Simplesmente Maria”

Diferente, surpreendente e emocionante

Chegar ao Teatro d’A Barraca é já saborear um pouco de História num espaço que conta mais de trinta anos de espectáculos. Com “Simplesmente Maria”, recuamos esses trinta anos e somos transportados para uma realidade que nos deixa de sorriso ao canto da boca desde os primeiros jingles publicitários até ao fecho do pano. Estamos na Rádio, nos bastidores daquela que viria a ser a radionovela de maior sucesso em Portugal.

Dos figurinos ao cenário e adereços de cena, tudo foi pensado a preceito para chegarmos aos anos 70. A teatralidade das personagens, trabalhada desde a voz e dicção até cada gesto, dá o toque cómico, que nos ajuda a distanciar e a embalar num saudosismo feliz por tempos que nem por isso foram leves.

Entre anedotas, piadas e superficialidade, fala-se da guerra colonial, da censura, da ditadura e do ideal revolucionário, ao mesmo tempo que nos aproximamos dos costumes dos jovens da época, eles próprios já mais críticos e mais livres do que as personagens que representam no folhetim.

A sonoplastia do espectáculo é deliciosa e põe toda a plateia a trautear e a cabecear ao som de um passado tão recente para alguns.

Também a sonoplastia da radionovela, um dos segredos do sucesso deste género, é posta a nu na sua extraordinária simplicidade, visível desde a trovoada ao bater de um coração.

É o quotidiano que vemos acontecer e apenas do final ficamos com falta de mais. Espera-se a revolução e o que temos é apenas um bebé prestes a nascer, naquela que poderá ser mais uma vez a opção da encenação por abordar as questões de fundo através da metáfora e da simbologia, porque não é delas que se trata aqui.Antes, vemos desenrolar-se uma ideia que foi trabalhada em cada pormenor para proporcionar ao público alguns momentos de aproximação a uma realidade que já foi a nossa.

Nos dias que correm, ver um espectáculo diferente, que surpreenda e que emocione, mesmo através da leveza que este inspira, é um bálsamo.

E é o que nos faz regressar sempre com a certeza de que vale muito a pena ir ao teatro, simplesmente.

Teatro ‘A Barraca’ | 7 a 24 fevereiro 2013
4.ª, 5.ª e sáb. 21h | 6.ª 19h e 22h45 | dom. 17h

FICHA ARTÍSTICA

criação Mirró Pereira
actores Ana Lopes Gomes, Carolina Parreira, Daniel Moutinho, Joana Barros, Pedro Luzindro participação especial Sofia Ramos
vozes Anabela, Bernardo Gavina, José Neves
consultoria Gisela Duque Pereira
desenho de luz Feliciano Branco
espaço sonoro Pedro Costa
design de comunicação Patrícia Guimarães
produção e secretariado Carolina Parreira, Joana Barros, Mariana Vilela



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This