rdb_californiaisaplace_header

California is a Place

Uma nova voz do documentário surge na internet com uma linguagem muito segura e cinematográfica que conta pequenas estórias de uma Califórnia feita de contrastes e pessoas tão diferentes como nós.

O surgimento de canais de vídeo online como o Youtube ou o mais recente Vimeo permite a uma nova geração de artistas de garagem promoverem e encontrarem o seu espaço de forma muito mais eficaz que pelos meios tradicionais das salas de cinema ou televisão. A propagação de novas linguagens de comunicação tem também regras específicas, o Twitter apenas permite posts de 140 caracteres, o Youtube só permite vídeos até 10 minutos de duração, e o Facebook também limita o número de caracteres. Estas regras são também reflexo de uma linguagem online com um tempo de atenção muito mais reduzido. Um pouco como o que aconteceu com o aparecimento da MTV, videoclips de um máximo de 4 minutos, semelhante ao tempo de antena para os singles de música dos anos 50 e 60. Mas se nessa altura as limitações eram impostas por uma indústria, hoje esse limite é imposto por uma geração mais ávida de conhecimento: conhecimento rápido e instantâneo.

Com a proliferação de gadgets que possibilitam a gravação de vídeo em alta-defenição (HD), telemóveis ou máquinas fotográficas, a qualidade e profundidade de campo das imagens é perfeita e essa estética é quase uma corrente artística. Há uma série de novos realizadores que utilizam as câmaras fotográficas da Canon, as primeiras a possibilitar a gravação de vídeo HD, para filmar videoclips, documentários, séries de televisão ou mesmo filmes inteiros, devido à qualidade quase filosófica da lente de uma câmara fotográfica.

Os documentários que a dupla California is a Place coloca online não têm mais que 5 a 7 minutos de duração e contam estórias tão ou mais profundas que a maioria dos documentários de hora, hora e meia. Conseguem isso de uma forma tão simples quanto poética, condensam a narrativa, utilizando a banda sonora de forma exímia, e contam apenas o que há para contar sem excessos nem exacerbado dramatismo.

Cannonball from California is a place. on Vimeo.

Em “Scrapertown”, Cooper e Canepari filmam uma jovem comunidade que enfeita as rodas das suas bicicletas, as chamadas Scraper Bikes, um clube restrito e com um rei, o Scraper Bike King. A fluidez do movimento das bicicletas e os olhares dos miúdos que de outra forma estariam nas ruas a percorrer o lado mais negro da vida de um bairro da periferia, são documentados icónicamente, como pinturas modernas de cores fortes e singular poesia, enquadradas pelo sol quente de East Oakland, California.

“Cannonball” conta a estória de um grupo de skaters que invadem piscinas abandonadas em casas devolutas ou vazias por acções de despejo para praticarem os seus truques, chegando mesmo a limpar e a cuidar dos sítios, levando consigo todo o lixo que trouxeram. Fazem-no porque a curvatura de uma piscina é muito mais excitante de navegar que um half-pipe normal, e porque é uma espécie de culto, mas principalmente por ser uma contra-cultura, a noção que os Estados Unidos da América tem de poder, de posse, uma casa grande e um carro topo de gama, esse lifestyle tão icónico, tudo isso é diluído nestes jovens que apenas querem praticar o seu skate. O som do skate a percorrer a piscina e a música, os planos soberbos onde o céu está sempre presente, os time lapses e a singular emoção com que o documentário é montado são simplesmente perfeitos.

Bonecas em tamanho real, tão perfeitas que quase falam, as Real Dolls, são fabricadas na California e em “Honey Pie”, a dupla filma os corpos das bonecas em pormenores quase sarcásticos, a perfeição que é colocada em cada boneca, o comentário do seu criador que, afinal, não é só um lunático que fabrica bonecas para companhia ou prazer, é um artista perfeito na sua arte. As cores quentes da fotografia são perfeitas para documentar os tons da pele das bonecas e o armazém onde são fabricadas, como se fosse uma fábrica de pessoas, e a banda sonora é tão divertida quanto assustadora.

Honey Pie from California is a place. on Vimeo.

Esta dupla merece todo o destaque, até porque documentários assim não se vêem todos os dias e muito menos em cinco minutos. California is a Place vem ocupar um lugar muito especial nas comunidades de partilha de vídeo porque as suas obras documentais são adequadas à nova geração. Não são vídeos caseiros, são obras magníficas que tocam a nossa emoção da forma mais simples e directa possível, contando verdadeiras estórias de verdadeiras pessoas, filmadas de forma verdadeira.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This