Festival Internacional de Humor

A 4ª edição decorre entre 10 e 13 de Novembro no CCB.

Rir é o melhor remédio.

Porque não celebrar o Outono e o Inverno com gargalhadas? Eis o objectivo da 4ª edição do Festival Internacional de Humor. A COMED’IN (produtora de eventos e espectáculos) vai apresentar, entre 10 e 13 de Novembro no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém (CCB), espectáculos internacionais de comédia.

O arranque do certame vai estar a cargo de Elliot (Bélgica) que interpreta o Rock Comedy Show às 21.00 a 10 de Novembro. Trata-se de uma rock star que se está a preparar para um grande concerto, mas no fim o que fica é a gargalhada. Num desfasamento hilariante de situações reais, numa sucessão de gags com uma banda sonora cuidadosamente escolhida num crescendo de emoção e gargalhada, Elliot já imortalizou alguns dos seus sketches, tendo sido premiado várias vezes em Festivais Internacionais.

A 11 de Novembro às 21.00 é a vez de Clownic (Catalunha) fazer rir a audiência com o espectáculo Slastic. Trata-se de uma nova companhia dos mundialmente consagrados Tricicle. Slastic é o nome imaginário de uma marca de artigos desportivos: está lançado o mote para uma noite de comédia. Todas as modalidades desportivas vão ser alvo do humor de Clownic.

Já no dia seguinte, podemos contar com Sérgio Rabello (Brasil) em “O prazer é todo seu” (16.30), e “All Classical Music Explained” (16.00) interpretado por Rainer Hersch (Inglaterra), onde este usará o seu conhecimento musical e a sua visão sobre a história da música para soltar gargalhadas entre o público.

O último dia do certame promete ser o mais preenchido. Pedro Tochas interpreta O palhaço escultor (15.30) e, a partir de uns balões e meia dúzia de adereços, o artista vai fazer um espectáculo criativo e imaginativo. Pedro Tochas é um verdadeiro artista-malabarista que já venceu o prémio The biggest fool 2003 para o melhor espectáculo de rua no Streets of Fools, integrado no Festival Internacional de Teatro de Porsgrunn, na Noruega. Às 16.30 é a vez de Ana Brito e Cunha interpretar Super Mulher escrita por Anne Roumanoff, em que a vida de uma mulher moderna serve de mote para mais umas gargalhadas. A encerrar o festival (às 21.00) está o grupo Fiat Luz (França) que vai subir ao palco com Strike, uma peça que retrata como um grupo de oito adultos sérios e educados confinados a um espaço limitado rapidamente se esquece da boa educação.

No Festival Internacional de Humor não vai haver lugar para a tristeza. Afinal, artistas consagrados internacionalmente pela sua mestria na arte de fazer rir reúnem-se no Grande Auditório do CCB. Os mais diferentes temas, que passam pela greve dos transportes, desporto, vida moderna, música clássica e rock, vão ser usados com um único objectivo: fazer rir!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This