rdb_FIMFALX12_header

FIMFA LX 12

As marionetas dançam com a cidade

De 4 a 20 de Maio de 2012, o FIMFA Lx12 – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas, faz de Lisboa um grande foco sobre a arte das marionetas, tanto para público adulto como para crianças e jovens, juntando importantes criadores internacionais e nacionais. A edição deste ano aproveita o ano em que se comemoram os 350 anos da criação de Punch (personagem mítico de “Punch & Judy”) para fazer uma homenagem a estes famosos fantoches de luva.

Desde 2001 que o FIMFA LX se tem consagrado à “promoção, divulgação e reconhecimento do universo das formas animadas”, adquirindo uma crescente dimensão internacional, apresentando tanto as expressões mais tradicionais e ancestrais da arte das marionetas como as formas contemporâneas de teatro de marionetas para um público adulto. Nesta edição são dezassete os dias em que o espectador pode confrontar-se com a magia e a dimensão poética do trabalho sobre as formas animadas, “numa programação que integra uma enorme diversidade de técnicas e propostas estéticas, estabelecendo ligações entre a marioneta, dança, vídeo, circo, teatro e instalações plásticas.”

Organizado pela Tarumba-Teatro de Marionetas, com direcção artística de Luís Vieira e Rute Ribeiro, o FIMFA LX 12, traz-nos cerca de vinte companhias e criadores, provenientes de vários países, como a Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Holanda, Israel, Itália, Reino Unido e Portugal. As mais de cinquenta representações envolvem espectáculos de sala, de pequenas formas e de rua, em espaços como, para além das ruas da cidade, o Teatro Maria Matos, o Teatro São Luís, o Museu da Marioneta, o Teatro Nacional D. Maria II, o Centro Cultural de Belém, o CAMa – Centro de Artes da Marioneta. Há também concertos, documentários e encontros com os criadores e outras actividades complementares como uma exposição na Livraria do TNDMII.

A presença portuguesa articula formas tradicionais com experimentais. É assim que teremos, por um lado, o Teatro de Marionetas do Porto, que nos traz o inesquecível Teatro de Robertos, onde o Dom Roberto (fantoche de luva na tradição de Mr. Punch e cuja voz também é construída através de uma palheta) será manipulado por Sara Henriques, substituindo assim João Paulo Seara Cardoso, figura de maior relevo nas artes da marioneta em Portugal, e por outro o Teatro de Ferro, com duas peças curtas de Carla Veloso e Igor Gandra, ou a estreia dos projectos de André Murraças (“Teatro Noir”, um teatro de papel sobre Teatro e Cinema), de Joaquim René (“Divas’ Haiku”, um pequeno espectáculo, íntimo, para duas pessoas de cada vez), de Ana Gabriel (“Imago” sobre o poder da imagem na nossa sociedade), de Luís Hipólito (“Rio, rio, rio…”. sobre Carmen Miranda) e de Márcia Lança e João Calixto ( “MECÂNICA 1 – maquete” a partir do estudo da construção mecânica). Para além do espectáculo da Tarumba, “Mironescópio: A Máquina do Amor”, um espectáculo intimista só para dez pessoas, em torno do erotismo.

Dada a homenagem que o FIMPA LX12 realiza ao personagem Punch, é de destacar, na participação internacional, as presenças de Rod Burnett, com o tradicional “Punch & Judy” Inglês e de Neville Tranter (do Stuffed Puppet Theatre e que no FIMFA de 2009 teve um grande êxito com o espectáculo “Vampyr” ), que com “Punch & Judy in Afghanistan” renova e actualiza o humor e o cinismo do tradicional “Punch & Judy” Inglês.

Outra abordagem da marioneta de luva chega-nos através de Jean-Pierre Larroche (Les Ateliers du Spectacle), misturando-a com outras formas animadas e reflectindo sobre o tema da dança da morte. Da marionetista e cantora Yael Rasooly teremos “The Gramophone Show”, viagem pela música. Mischa Twitchin e Penny Francis assinam dois projectos experimentais sobre Samuel Beckett. O Théâtre du Rugissant, que trabalha sobre o tema do racismo, promete deslumbrar o público com a música, os efeitos cenográficos e a manipulação das marionetas em “Dans l’œil du Judas”. “La Música Pintada” mostra-nos o pintor e marionetista Joan Baixas sozinho em palco, com pincéis, uma tela e projecções. A companhia Pèlmanec apresenta “Diagnóstico: Hamlet”, um trabalho criado pelo actor-manipulador Miquel Gallardo (um êxito também da edição de 2009). A companhia TamTam Objektentheater traz “Esperto como um burro”, trabalho poético dedicado ao público mais jovem. O Alemão Bruno Pilz apresenta um menu audiovisual e multimédia de 5 minutos servido unicamente para duas pessoas, que vão viver uma experiência inédita. Costanza Givone, finalista do Premio Scenario 2011 (Itália), estreia “Salomé perdeu a Luz”, uma performance com dança e objectos, a partir do mito de Salomé.

Em síntese, criadores reconhecidos e conceituados ombreiam com jovens criadores no trabalho de espelhar a realidade actual através do teatro de formas animadas, que se debruça tanto sobre o amor como a guerra, o racismo, a crise. De referir que a prática portuguesa no campo das marionetas e das formas animadas, embora sofra da mesma atribulada existência de toda a restante actividade cultural e artística, tem tido ao longo destes anos criadores, divulgadores e grupos que têm feito um trabalho significativo como, entre outros, a Tarumba, o Teatro de Ferro, o CENDREV (recuperando e preservando o espólio dos Bonecos de Santo Aleixo, Isabel Alves Costa – programadora que criou o Festival Internacional de Marionetas do Porto), João Paulo Seara Cardoso e o Teatro de Marionetas do Porto, as Marionetas de Lisboa (José Carlos Barros e José Ramalho), as Marionetas de São Lourenço, para além, claro, da criação do Museu da Marioneta.

Todo este esforço é feito numa altura de desinvestimento e corte acentuado na produção e divulgação artística e cultural. Talvez por isso os organizadores façam questão de assinalar que para estes tempos conturbados de crise sentiram a necessidade de reinventar e procurar novas soluções: “Não gostamos da palavra resignação e, por isso, nada melhor que o mundo milenar da arte das marionetas, que se soube reciclar, acompanhar as revoluções e os tempos modernos.” E, para que não restem dúvidas, afirmam que pretenderam “apresentar propostas que maravilhem os nossos sentidos e nos deixem boquiabertos com o poder destes pequenos seres de cartão, madeira e todo o tipo de materiais inimagináveis, que parecem vivos e nos fazem sonhar, pensar e transformar o mundo que nos rodeia….”

FIMFA Lx12
Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas
4 a 20 de Maio de 2012

ESPECTÁCULOS DE SALA

STUFFED PUPPET THEATRE (Holanda)
“Punch & Judy in Afghanistan”
Museu da Marioneta
4 de Maio às 22h (Sexta)
5 de Maio às 21h30 (Sábado)
M/12 -60m

MIREILLE & MATHIEU (Bélgica)
“ARM”
Maria Matos Teatro Municipal
5 de Maio às 21h30 (Sábado)
6 de Maio às 18h (Domingo)
M/8 – 60m

TAMTAM OBJEKTENTHEATER (Holanda)
“Esperto como um burro” – “Smart as a donkey”
Centro Cultural de Belém – Sala de Ensaio
9, 10 e 11 de Maio às 11h (Quarta a Sexta)
12 de Maio às 15h30 (Sábado)
13 de Maio às 11h30 (Domingo)
M/6 – 60m

YAEL RASOOLY (Israel)
“Paper Cut”
Museu da Marioneta
9 e 10 de Maio às 21h30 (Quarta e Quinta)
M/12 – 50m

THÉÂTRE DU RUGISSANT (França)
“Dans l’œil du Judas”
São Luiz Teatro Municipal
11 e 12 de Maio às 21h (Sexta e Sábado)
M/10 – 75m

JEAN-PIERRE LARROCHE – LES ATELIERS DU SPECTACLE (França)
“Tête de mort”
Maria Matos Teatro Municipal
12 de Maio às 21h30 (Sábado)
M/10 – 60m

COSTANZA GIVONE (Itália)
“Salomé perdeu a Luz”
Museu da Marioneta
13 de Maio às 21h30 (Domingo)
M/12 – Aprox. 45m

TEATRO DE FERRO (Portugal)
“Ciclo M 1 [marioneta um]: M 1.1 e M 1.2”
Museu da Marioneta
17 de Maio às 21h30 (Quinta)
M/12 – 40m

COMPAÑÍA PÈLMANEC (Espanha)
“Diagnóstico: Hamlet”
Teatro Nacional D. Maria II – Sala Estúdio
18 e 19 de Maio às 21h15 (Sexta e Sábado)
M/12 – 70m

JOAN BAIXAS (Espanha)
“La Música Pintada”
Museu da Marioneta
19 de Maio às 21h30 (Sábado)
20 de Maio às 16h (Domingo)
M/8 – 60m

ESPECTÁCULOS DE RUA E DE PEQUENAS FORMAS

ROD BURNETT (Reino Unido)
“Punch and Judy”
Museu da Marioneta – Claustro
4 de Maio às 21h (Sexta)
5 de Maio às 16h (Sábado)
M/6 – Aprox. 40m

BRUNO PILZ (Alemanha)
“Lacrimosa”
CAMa – Centro de Artes da Marioneta
4 de Maio das 23h às 00h30 (Sexta)
5 de Maio das 20h às 21h30 e das 22h30 às 24h (Sábado)
6 de Maio das 15h às 16h30 e das 21h às 22h30 (Domingo)
7 e 8 de Maio das 20h às 21h30 e das 22h30 às 24h (Segunda e Terça)
M/12 – 5m – Várias sessões – Lotação limitada

A TARUMBA – TEATRO DE MARIONETAS (Portugal)
“Mironescópio: a Máquina do Amor”
Galeria Boavista
7 de Maio às 21h e 22h30 (Segunda)
M/16 – Aprox. 60m

MISCHA TWITCHIN (Reino Unido)
“The Field of Memory” e “The Zone of Stones”
São Luiz Teatro Municipal – Sub-palco
12 e 13 de Maio às 17h e 19h (Sábado e Domingo)
M/12 – Aprox. 36m – Lotação limitada

TEATRO DE MARIONETAS DO PORTO (Portugal)
“Teatro Dom Roberto”
Jardim da Estrela
12 e 13 de Maio às 17h30 (Sábado e Domingo)
Para todos – Aprox. 20m



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This