Gotan Project @ Coliseu de Lisboa

Uma noite de Verão Especial...

Os Gotan Project voltaram a Portugal. E o público lisboeta também voltou para os ver. Perante nova enchente, os modernos pregadores do tango apresentaram “Lunatico”, o seu mais recente trabalho, com direito a surpresas e muita sensualidade.

Notava-se no Coliseu de Lisboa uma certa expectativa em volta da actuação dos Gotan Project. Pouco depois da hora marcada, os comentários de ocasião e todo o burburinho que existia desapareceu para dar lugar à música dos dez elementos que preenchiam o palco. «Diferente» abriu então o espectáculo e arrancou as primeiras ovações.

Apesar de estarem perante um Coliseu a abarrotar e expectante, o colectivo parecia estar a actuar num qualquer salão, com os seus fatos brancos que envolviam uma postura rígida e uma atitude irrepreensível. Também o palco, completamente cobrido de branco, parecia querer transmitir tranquilidade a um espectáculo que se quer que seja tudo, menos tranquilo.

Com oscilações entre temas mais calmos e outros que apelavam à dança, o espectáculo prosseguiu envolto numa aura de adoração de um público completamente rendido. Pena alguns momentos demasiado melancólicos, que quebravam alguma da fluidez do concerto.

Mas havia uma surpresa reservada para o público lisboeta porque “foi um dos primeiros locais a acolher o projecto”. «El Norte» foi então o tema apresentado em primeira mão ao Coliseu de Lisboa, com um excelente solo de uma das violinistas e que marcou a transição na sonoridade do projecto, dando-lhe um ritmo muito mais dançante e com influências de hip-hop ou mesmo house.

Seria impossível trazer para os seus espectáculos os convidados que participaram em “Lunatico”. A alternativa foi a projecção em dois painéis brancos da imagem de Joey Burns dos Calexico, em «Amor Porteño», e dos membros de Koxmaz, grupo de hip-hop argentino para «Mi Confesión». Este último foi mesmo uma das mais interessantes “experiências”, mostrando que a inovação e a conjugação de estilos, em príncipio, opostos, resulta. E muito bem.

O encore impunha-se e foi com temas como «Criminal» que se fez. No final, era notória a satisfação do público, que parecia esperar ouvir ainda mais temas e dançar ao ritmo dos Gotan Project. Novas oportunidades surgirão.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This