1

Nioh: Bloodshed’s End | Análise

A Koei Tecmo despede-se colocando a cereja no topo do bolo!

Com Bloodshed’s End, a terceira e última expansão de Nioh marca o final da aventura de William. Depois de ser alvo de praticamente um ano inteiro de conteúdo, tanto gratuito como na forma das anteriores expansões, chega a altura da Koei Tecmo se despedir daquela que para mim foi uma das grandes experiências deste ano. Apelidado logo à partida por muitos, aquando do seu lançamento, como um mero clone da série Souls (a cargo da FromSoftware), foi um enorme prazer constatar que Nioh é bem mais do que isso. E há lá melhor forma dos produtores se despedirem deste projecto do que com uma terceira e final expansão, ou a cereja no topo do bolo, se preferirem.

A última aventura de William começa precisamente no ponto em que terminou a anterior expansão, Defiant Honour (Honra Desafiante). A campanha de inverno do Cerco de Osaka chegou ao fim, graças a um entendimento pacífico entre Toyotomi e Tokugawa. Contudo, apenas alguns meses depois, o estado de ruínas em que o castelo de Osaka se encontra deu origem a um motim e consequentemente ao início de mais uma guerra! Está assim lançado o mote para mais uma aventura, ou melhor ainda, mais um pretexto para uma vez mais empunharmos as nossas armas de eleição.

Não se preocupem que não vos vou estragar nada mas posso adiantar que foi com prazer que acompanhei o desfecho da história de Nioh. Desta vez, o palco de toda acção que irá decorrer no nosso ecrã consiste na campanha de verão do Cerco de Osaka, cuja conclusão levou ao final da era Sengoku. Tal como no jogo original, também aqui os produtores se esforçaram por capturar a brutalidade e a violência que se vivia nesta época. Só que não podiam deixar também de parte, claro, os valores de honra, lealdade e justiça manifestados pelos incontáveis homens que deram as suas vidas em prol de um futuro melhor. Uma vez mais a produção está de parabéns ao transportar-nos para a sua adaptação de um dos períodos mais marcantes da história do Japão, ao longo de cenários muito bem concebidos, todos eles populados por novos inimigos que teremos de derrotar, novos encontros que teremos de aprender a superar e segredos por descobrir.

Tal como os cenários, também os inimigos impressionam e mostram que a dificuldade continua tão aguçada como sempre. As lutas contra os famigerados bosses continuam a impressionar e se elas são várias nesta expansão! Pessoalmente, porém, a exploração continua a ser o melhor de toda esta experiência e a componente que mais momentos memoráveis me oferece. Aliás, algo que já tenho vindo a sentir desde o início da minha viagem pelo universo de Nioh. Basicamente, com os novos Yokai, novas personagens, um novo nível de dificuldade e novos Espíritos Guardiões para recolher, a expansão Bloodshed’s End até que se podia traduzir por apenas: mais Nioh. E não haveria problema nenhum com isso mas os produtores têm ainda mais a oferecer. Acontece que esta expansão se faz acompanhar por uma novidade que irá expandir ainda mais a longevidade deste título.

Trata-se do The Abyss e se fazem parte do grupo de veteranos em busca de um novo desafio, então este novo modo é para vocês. À vossa espera está uma série de encontros que irão colocar à prova toda a vossa destreza. Felizmente que não estarão sozinhos, uma vez que poderão partilhar toda a vossa experiência com mais dois companheiros de armas e não apenas um como é habitual. Podem, portanto, imaginar a dificuldade que vos espera, certo? Juntos, terão de superar os mais variados inimigos e bosses em confrontos de cortar a respiração. No final de cada confronto e recolhido o respectivo loot, considerem se devem ficar por aí ou seguir em frente. Isto porque se morrerem, perdem tudo o que recolheram até então. É uma experiência aliciante, digo-vos, ainda que inevitavelmente frustrante mas, quanto a mim, só tenho pena que não hajam criaturas exclusivas para este modo.

Depois de praticamente um ano de conteúdo chegou a altura da Koei Tecmo se despedir dos jogadores com a terceira e última expansão de Nioh. Com Bloodshed’s End, o resultado é um desfecho à altura, repleto de acção em cenários de cortar a respiração e ainda adicionando um novo modo capaz de fazer as delícias dos veteranos em busca de mais desafios à sua altura. Se ainda não tiveram oportunidade de deitar as mãos neste título, agora é a melhor altura para o fazer! Se estão á espera de uma versão completa que inclua todo o conteúdo lançado, então marquem na vossa agenda o dia 7 de Novembro, o dia em que será lançada a Complete Edition e isto tanto para os jogadores de PS4 como de PC! O que já é bom vai ficar ainda melhor e vai finalmente poder ser desfrutado por uma maior comunidade de jogadores!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This