ipod_battle_rdb_header

!Pod Battle @ Musicbox

9 de Outubro de 2009.

Tendo como motivo principal a edição do 7º número do Guia da Noite, o Musicbox recebeu a !Pod Battle que opôs oito equipas em sete battles. Cada battle era composta por um set de quatro rounds, com 90 segundos cada um. No final dos sets, o público do Musicbox manifestava o seu apreço pelas equipas e um sonómetro media a maior manifestação. Tinha tudo para dar certo. Não deu, em parte.

Quatro equipas eram compostas por dois ilustres músicos portugueses e outras quatro por dois desconhecidos. A verdade é que para quem não conhecesse Ruas e Sensi (na equipa Sons do Sotão), Cláudia Efe (nas Ringmábelles) e Lady G Brown e Claudiam (as Sisstar) terá ficado convencido que eram perfeitas desconhecidas.

A primeira batalha opôs os Sons do Sotão aos Pés Descalços Soundsystem. Sem ser fantástica foi de longe a melhor das battles. Isto porque estas duas equipas usaram e abusaram dos mashups e é isso que ser quer de um set, por mais pequeno que seja. Os Sons do Sotão passaram, por exemplo, por «99 Problems» de Jay-Z, «Body Movin’», de Fatboy Slim e «So Fresh And So Clean», dos Outkast. Os Pés Descalços Soundsystem passearam pelo rock, reggaeton, electrónica e até metal. Os Sons do Sotão venceram esta ronda.

Seguiram-se as Sisstar e os I-Rocker. As primeiras passearam-se pela previsibilidade de «Wegue Wegue» dos Buraka Som Sistema e o tributo a Michael Jackson com os Jackson 5. Por seu lado, os I-Rocker receberam o prémio simpatia da noite e passaram o hino «Hey Ya», entalado no meio de muita electrónica e muito pouco rock. Vitória para os I-Rocker.

Com a palhaçada dos I-Rocker sobrou pouca margem de manobra para os Hardrockers. Ouviu-se «Pretty Fly (For a White Guy)», dos Offspring, «Pim Pam Pum» dos Kussondulola e distribuíram-se pastilhas ou «Chiclete(s)» enquanto passavam o êxito dos Táxi. Do outro lado estavam as Femme Fatale, duas meninas que optaram por um set mais clássico e por alguma sensualidade.

No último battle da primeira ronda estiveram as Ringmábelles e Ebony And Ivory. As primeiras chegaram a prometer um bom set com uma versão manipulada de «Song 2» dos Blur, mas logo caíram na tentação de passar «Killing in The Name Of» dos Rage Against the Machine e «Where’s Your Head At» dos X-Press 2, na integra. Os Ebony And Ivory são rapazes dados à electrónica e ao hip hop. Surpresas só com «O Corpo é Que Paga» de António Variações e «Playback» de Carlos Paião. O resto foi de «In Da Club», de 50 Cent a «Billie Jean» de Michael Jackson e a «The Final Countdown» dos Europe. Venceram os Ebony And Ivory.

Nas meias-finais as Femme Fatale venceram os I-Rocker e os Ebony And Ivory venceram os Sons do Sotão. A melhor equipa da noite ficava de fora. Sobravam duas equipas que nos 90 segundos a que tinham direito se limitavam a colocar uma canção do início ao fim. Passados 30 segundos já o público olhava para a projecção do tempo. Na final, as Femme Fatale acabaram por vencer, sem brilho. Tiveram direito a 15 minutos de set, que preferiram partilhar com as restantes equipas.

No final, contas feitas, a iniciativa valeu pela boa disposição e por alguns bons momentos de humor vindos do palco. Se queriam uma boa aula de música contemporânea que passa na rádio também a tiveram.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This