Sonic Fresh 06

Um festival fresco para dia quentes.

Um festival fresco para dias quentes. Repartido por duas cidades, Lisboa e Porto, mas com propósitos de continuidade. Comece-se a 2 de Junho mais a sul e continue-se a dançar até ao Porto, no dia 3. Enquanto se aguentarem em pé.

Nem de propósito, em dias tão anormalmente quentes, a Sonic mostra-se fresca. Mas desengane-se quem pensa que isto é um subterfúgio estilístico para atrair gentes às pistas de dança. O fresco é-o aos ouvidos e também aos corpos, porque neste festival dança-se.

Sendo a Sonic referência na música de dança em Portugal, trazendo até nós dj’s de vários quadrantes estilísticos, sempre de qualidade e em tempo útil, não é de estranhar que se repita o formato do passado ano e se conte novamente com nomes ‘frescos’ e os bons da casa como é o caso de Superpitcher, Sleeparchive, Lee Van Dowski, Expander, Nelson Flip feat. Yellow, Manu, Billy Dalessandro e Freshkitos.

De Superpitcher tudo se disse. De Superpitcher tudo se sabe. È inevitável não ter, pelo menos, ouvido falar deste dj. Mas se não se ouviu «Here Comes Love» em 2005 é porque não se é deste planeta e não se conhece o schaffel techno que ele apadrinhou. Mas como isso é uma quase impossibilidade aproveitem para acompanhar esta coqueluche da Kompakt a caminhar para uma fusão de acid techno com trance ambiental. Perguntem aos muitos fãs o porquê de tanto hype, de certo encontrá-los-ão em grande número tanto em Lisboa como no Porto.

Sleeparchive é uma estreia. Também não é de estranhar de quem sempre se movimentou no underground berlinense. Porém, o seu regresso às origens minimais do techno garantiu convites para remisturar nomes como Monolake, Modeselektor, Regis e Rhythm&Sound, e os seus temas inseridos em compilações de Richie Hawtin, Miss Kittin,  The Hacker ou Tiefschwarz.

A Trax Magazine atribuiu-lhe o galardão de “Artista Revelação 2005” o que dá boas pistas acerca de Lee Van Dowski. E parece que ele já conquistou clubbers e apreciadores de música electrónica com o seu funky-minimal-techno, que diz quem sabe ‘assenta em estruturas rítmicas muitas vezes abstractas e experimentais, mas sem nunca perder o sentido de pista.’ De Lee Van Dowski pode-se dizer que com Phil Quenem fundou a Num Records e já editou pela Cadenza, Pnuma ou Mental Groove.

Do outro lado do Oceano Atlântico vêem Billy Dalessandro. Na bagagem transporta a responsabilidade pela renovação do techno de Chicago e três conceitos dominantes: pumping, groovy e minimal. Linhas orientadoras? Um apelo irresistível à dança conferidos por uma linha de baixo forte com techno e house minimal de sonoridade futurista. A descobrir no Porto.

Com marca da casa, quatro nomes que quem sai à noite em Portugal conhece sem sombra de dúvida: Expander, Nelson Flip feat. Yellow, Manu e Freshkitos.

Expander é nome que qualquer ouvido atento reconhece. Não só se tornou incontornável no movimento underground como a sua procura de novas abordagens, sobretudo no techno, valeram-lhe um carimbo para passar música em clubes como o Studio 672 (Colónia), Berghain/Panorama (Berlim), Nitsa (Barcelona), Cargo (Londres) Flex (Viena), sem esquecer a sua passagem pelo Sónar em Barcelona. 2005 foi o ano do reconhecimento com a entrada para o exclusivo mundo da Kompakt. Mais uma oportunidade para se deixar guiar por um set empolgante, sexy e envolvente.

São dois e funcionam como se fossem energia pura. Nelson Flip faz da música sintetizada matéria prima e junta tudo em sets que são um conjunto de vários estilos puros de dinâmica entre humor, energia e alguma perversão. Em ocasiões especiais faz-se acompanhar de Yellow que transporta consigo um processador de efeitos que transforma a sua voz limpa num ruidoso, sujo e por vezes maquinal efeito. Mas o resultado é todo ele força, energia, explosão, sensualidade.

Manu move-se em terrenos mais votados ao ambient e chillout  mas desde que se associou à Sonic caminhou em direcção a uma redefinição estilística que se alicerça em terrenos  que passam pelo techno, minimal e dub.

Gustavo e dj Phil são as duas metades de Freshkitos, projecto responsável pela programação no Indústria e Maré Alta. Sempre a norte já partilharam cabines com gente como Laurent Garnier, Felix Da Housecat, Ricardo Villalobos, André Galluzzi, Michael Mayer, Tiga, 2manydjs, entre outros.

2 Junho_ Lisboa (Op Art – Espaço Exterior) [23h00] Superpitcher (dj) + Sleeparchive (live) + Lee Van Dowski (live) + Expander (dj) + Nelson Flip feat. Yellow (dj+mc) + Manu (dj)

3 Junho_Porto (CBC BEACH CLUB [17h] + INDUSTRIA [02h00]) Superpitcher (dj) + Sleeparchive (live) + Lee Van Dowski (live)+ Billy Dalessandro (live) + Expander (dj) + Nelson Flip feat. Yellow (dj+mc) + Manu (dj) + Freshkitos (dj)



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This