Serralves em Festa

40 Horas Non Stop.

Pela 2ª vez consecutiva o Museu de Serralves abre as suas portas durante 40 horas a todos os que queiram disfrutar da cultura num espaço luxuoso, no coração da Invicta.

Nos próximos Sábado e Domingo, 2 e 3 de Junho, o Museu de Serralves preparou para toda a família uma programação variada que vai desde a música até às exposições, debates e cinema, passando pela dança e o teatro, tudo de entrada gratuita, numa festa que tem início às 8 da manhã de Sábado e que verá o seu fim às 24 horas de Domingo.

À semelhança da edição do ano passado, o Museu de Serralves e os seus jardins estão abertos ao público e, pela primeira vez, todos os espaços que compõem a Fundação de Serralves fazem parte da festa.

Como se pode ver o que não falta na programação deste ano são nomes de referência. Assim, Sábado poderemos assistir ao concerto da Mingus Big Band, grupo de jazz criado por Sue Mingus – mulher do falecido contrabaixista e compositor. A Mingus Big Band é composta por 14 músicos conceituados. De destacar também o alinhamento na Festa do Prado que decorre entre as 24 h de Sábado e as 6h da manhã de Domingo com Soul jazz Soundsystem e Tigersushi Bass System.

A Casa da Música também se junta ao Museu de Serralves e propõe-nos 4 Walls, um colectivo experimental composto por 4 músicos que misturam melodias, palavras e música. Presentes vão estar os Bullet, projecto nacional de Hip hop instrumental que vai beber aos filmes de espionagem dos anos 70 as suas maiores influências.

Na dança poderemos assistir aos espectáculos de Bruno Beltrão e o Grupo de Rua de Niterói a apresentar “Too legit to quit”, coreografia que parte dos clichés da cultura Hip hop, reinterpretando-os de forma humorística, expondo as suas contradições.

O fim-de-semana conta também com circuitos arquitectónicos fora do espaço de Serralves como uma visita guiada através de obras de referência do arquitecto Álvaro Siza eque compõem marcos das cidades do Porto e Matosinhos.

O Teatro Nacional de S. João junta-se à festa e apresenta “Ubuzada”, uma leitura encenada de excertos da obra de Alfred Jarry, sobre direcção de António Durães e instalação de Pedro Tudela, bem como um espectáculo dedicado ao Novo Circo, pela Companhia Circoland. “Giroflé” é então a mais recente criação desta companhia que irá instalar no jardim de Serralves uma cúpula gigante e celebrar o encontro com a natureza, cruzando várias linguagens artísticas – o teatro físico, a dança, o circo, marionetas e música.

Este vai ser um fim-de-semana bem agitado com o Museu de Serralaves a propor durante 24 horas 50 eventos que vão povoar de música e alegria as suas instalações.

 



There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This