sfr1

Stickfacerunner

Um dos grupos de criativos portugueses que estiveram presentes na edição do OFFF Barcelona 2011. Entrevista exclusiva.

A Stickfacerunner foi um dos grupos de criativos portugueses que estiveram presentes na edição do OFFF Barcelona 2011. No espaço designado de “Mercadillo”, onde os criadores apresentam e vendem o seu trabalho considerado fora do mainstream. A Rua de Baixo quis conhecer melhor este projecto e esteve à conversa com eles!

Como surgiu este projecto?

Stickfacerunner (SFR) – A Stickfacerunner nasceu da vontade de impulsionar novos artistas e divulgar novas formas de arte. Queríamos criar condições para que os jovens artistas pudessem expor os seus trabalhos, e também criar um circuito alternativo, onde novas formas de arte pudessem ser exploradas.

Em poucas palavras, conseguem descrever o vosso caminho até estarem hoje no OFFF2011?

Quando a Stickfacerunner foi criada, a Raio X Design, empresa incubadora do projecto, desenvolveu um site para que os trabalhos dos artistas pudessem estar sempre disponíveis para qualquer pessoa ver. Como se fosse uma galeria online, inicialmente organizámos algumas exposições, e fomos, sempre em parceria com a Raio X, desenvolvendo artigos que pudessem ser vendidos e divulgados para trazer notoriedade à Stickfacerunner. Vários artistas foram mostrando interesse no projecto, e temos crescido desse interesse.

O que é que os visitantes do OFFF 2011 podem encontrar no vosso stand?

Podem encontrar ilustrações de alguns artistas, roupa exclusiva, a colecção de t-shirts Stickfacerunner com ilustrações exclusivas, mobiliário e bijutaria também com peças únicas.

A Stickfacerunner surge como um projecto paralelo da Raio X Design. Quais foram as principais razões que vos levaran a criar este projecto e não a integrá-lo na vossa empresa? Está directamente relacionado com a debilidade do mercado nacional para com a cultura visual underground/contemporânea?

Penso que no fundo quisemos fugir à ditadura do design comercial construindo um projecto que nos motiva e estimula criativamente, criando, de certa forma, um escape para o stress normal de um atelier de design. Era impossível tê-lo sem o apoio da Raio X Design. Sentimos que infelizmente a cultura visual é pouco estimulada em Portugal e não tem forma de se auto-sustentar. É preciso ter o apoio logístico e financeiro de uma empresa, ou de um mecenas. Mas não nos faz sentido que a Stickfacerunner seja parte integrante da Raio X, porque não pretende ser uma empresa, nem tão pouco gerar lucros. A auto-sustentação deste projecto é o nosso objectivo, encaramos a Stickfacerunner como um filho que dentro de pouco tempo, esperamos, sairá de casa dos pais.

Como é que os criadores portugueses se podem juntar à SFR?

Basta enviar um portfólio dos seus trabalhos para o e-mail criadores@stickfacerunner.com. Há uma avaliação dos trabalhos, não a nível de qualidade, pois não somos críticos de arte, mas avaliamos se o trabalho faz sentido a nível da estética que está associada à Stickfacerunner – a urbanidade.

Já verificámos que nesta edição do OFFF temos imensos portugueses, qual tem sido a adesão dos mesmos ao vosso stand e como têm reagido quando constatam a vossa nacionalidade?

Muitos portugueses ainda não conheciam a marca e ficaram surpresos quando perceberam que é portuguesa, ficaram admirados com o facto de estarmos num evento desta dimensão juntamente com artistas de outras nacionalidades.

Que balanço fazem da vossa presença neste festival?

Fazemos um balanço muito positivo deste festival. Gostámos muito da experiência, conhecemos muitas pessoas da área, trocámos ideias. Demos a conhecer o nosso projecto, e isso é muito importante para os nossos planos para o futuro da StickFaceRunner.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This