Bola Cá, Bola Lá

Bola Cá, Bola Lá

" a deficiência é um pormenor e não uma característica"

Actualmente mais de 20 mil portugueses sofrem de paralisia cerebral e foi a 20 de Outubro deste ano que, pela primeira vez, se comemorou o dia nacional da paralisia cerebral.

Na urgência que nos traz o tema, Luís Sousa estreia esta semana, dia 6 de Novembro (16:45, na biblioteca Almeida Garrett, no Palácio de Cristal, Porto), o documentário “Bola Cá, Bola Lá”, projecto que surge no âmbito do seu projecto de final de mestrado em Comunicação Audiovisual.

Colocando a história real de pessoas portadoras de paralisia cerebral no centro da narrativa, é através de uma análise paralela sobre o bóccia, um desporto ainda desconhecido da grande maioria das sociedades, que se reflete sobre as questões essenciais dos sentimentos, conquistas e problemas partilhados pelas pessoas portadoras de deficiência.

Numa atmosfera naturalista e comovente e com um registo cru e verdadeiro quanto baste, o documentário intersecta sempre mais do que um lado da mesma realidade através de entrevistas e relatos intensos nas primeiras pessoas, com algumas aparições amargas que nos vão pregando rasteiras: “Era um favor que me fazia ela ter abortado (…).Vou chocar técnicos e psicólogos e algumas pessoas, mas quantos menos deficientes houver no mundo, melhor é, não é? (…)”.

Um filme onde a comunicação e a educação aparecem como elementos centrais na construção de um filme que pretende derrubar uma série de mitos e tabus sobre a deficiência e lançar luzes importantes diante da nossa fragilidade física e capacidade de superação.

Em conversa com o Luís, ele contou-nos que este projecto surgiu através de duas perspectivas distintas:  “Primeiramente como cidadão, julgo que o tema da deficiência é tido como algo extremamente divulgado, abordado e experienciado. Todos construímos a nossa opinião baseada numa formação cívica imposta; porém, o verdadeiro significado deste termo esconde uma panóplia de abordagens que é possível conhecer sobre as pessoas portadoras de deficiência, as suas vivências, conquistas, relações e formas de enfrentar a vida.

Posteriormente, surge a minha perspectiva como autor. Aqui senti-me no direito e obrigação de tentar comunicar todas as informações que fui recolhendo junto de várias pessoas que tive o prazer de interagir. Aprendi que existe muito mais do que aquilo que todos conhecemos e este “Bola Cá, Bola Lá” surge como a resposta a um tipo de abordagem que, julgo, ainda não existir sobre o mundo da deficiência, em Portugal.”

A APPC – Associação do Porto de Paralisia Cerebral – emerge como instituição fundamental para o sucesso deste projecto, tendo sido fundamental para o desenvolvimento de um espírito humanitário que depois se vê reflectido no registo sensível, delicado e humano do documentário.

“Nestas filmagens ouvi uma frase que me ficou e penso que resulta em pleno como sinopse de todo o projecto: Queremos demonstrar que a deficiência é um pormenor e não uma característica”.

Obrigada, Luís. Conseguiram.

 

Para saberem mais sobre o projecto consultem a página de Facebook do Documentário: https://www.facebook.com/bolacabolala.

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This