boris_header

Boris Chimp 504

Quando a imagem e o som se unem.

Envolver a audiência numa experiência imersiva hipersensorial e criar estados de sinestesia pura é o objectivo de Miguel Neto e Rodrigo Carvalho, a dupla portuguesa que ganhou notoriedade em Barcelona com um projecto bastante sui generis.

Uma viagem pela união entre a música electrónica e as imagens abstractas é o que tem para oferecer o projecto Boris Chimp 504. Não uma viagem qualquer, mas sim um bilhete de ida com liberdade suficiente para que cada um tenha uma experiência própria/distinta.

Tudo começou em Barcelona, mais propriamente na Universidade Pompeu Fabra, onde os dois portugueses fizeram o Master de Artes Digitais. As etapas sucedem-se e é chegada a altura das apresentações dos projectos finais.

Concluído que está ele, surge a ideia da criação de um colectivo de Arte e Tecnologia, de seu nome Once Upon a Byte, e uma candidatura para uma residência artística que viria a ser o local de trabalho e palco de algumas instalações artísticas interactivas.

A partir daí, era altura de explorar o background que cada um tinha e os gostos em comum que partilhavam para aproveitar as ferramentas que aprenderam e investigar as suas áreas de eleição.

Em entrevista à Rua de Baixo, os dois amigos contam que os papéis se definiram desde o início e que começaram a experimentar com o que cada um sabia fazer melhor para que a interactividade desse frutos.

Em tom de brincadeira, clarificam que o Miguel, que não percebia nada de visuais, dedicava-se à componente musical e o Rodrigo levava em frente a sua formação como designer porque não parecia estar muito interessado em fazer música.

“Da pura experimentação técnica, aliou-se o nosso fanatismo pela Ficção Científica e daí apareceu o chimpanzé Boris 504, com o objectivo claro de som e imagem serem indissociáveis.”

Muitos ensaios e experimentação constante para conjugar som-imagem e imagem-som foi o trabalho seguinte da dupla, que considera que “já conseguimos comunicarmo-nos de maneira coesa e criar esta experiência sinestésica”.

O primeiro espectáculo chegou em 2010, no Festival MAU, chamava-se “Mission to the Moon” e contava a história do chimpanzé Boris 504, lenda urbana da engenharia espacial, que supostamente terá sido enviado pelos soviéticos à Lua, tendo a sua última comunicação acontecido em 1969.

“Depois desta aventura, para nós fazia todo o sentido que Boris continuasse vivo pelo Espaço em novas missões”. “Lost in Space” surge como o ponto de partida para que Boris, “cosmonauta fantasma, seja mais livre para poder chegar a qualquer ponto da Galáxia e comunicar-se com qualquer ser perdido, como ele, pelo Espaço”, contam os artistas à Rua de Baixo.

Rotina é tudo aquilo que este projecto procura não ter nos seus concertos ao afirmarem que “tentamos que cada show seja diferente do anterior e pensamos sempre que elementos novos vamos usar no próximo concerto. Outra das premissas base que defendemos é a própria incerteza que a improvisação traz. Tentamos transmitir um conceito que pode ser um princípio mais frio/maquinal, um factor mais humano”.

Os Boris Chimp 504 actuaram já, entre outros, nos festivais MAU (Portugal), Micro Mutek.Es (Barcelona), Live Performers Meeting (Roma), OFFF! (Barcelona) e Visual Brasil (Barcelona), contudo o feeback por terras lusas é “ainda tímido”.

Para contrariar a timidez, a dupla actuou em vários locais em Portugal no início de Setembro, dando o último concerto no dia 9 no espaço Flausina, em Lisboa, onde voltarão a apresentar o espectáculo “Lost In Space”.

O projecto não pára e tem já projectos em andamento e para o futuro: “Neste momento estamos a colaborar com duas curtas-metragens de dois realizadores portugueses – Mauro Amaral e Pedro Pinto – e fora do projecto BC504 estamos a pensar em voltar às instalações interactivas para 2012. Depois destes concertos em Portugal, que serão os últimos de um ano recheado, vamos parar para gravar o que será o primeiro EP/DVD de BC504 e voltar em 2012 para apresentá-lo tanto em Portugal como noutros países”.

Uma nova maneira de entender o som e a imagem é o que prometem os Boris Chimp 504.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This